2.1. Ca­rac­te­rís­ti­cas do tex­to dis­ser­ta­ti­vo-ar­gu­men­ta­ti­vo

Superguia Enem - Português e Redação - - Sumário -

Di­an­te de sua na­tu­re­za opi­na­ti­va, o tex­to dis­ser­ta­ti­vo-ar­gu­men­ta­ti­vo pos­sui al­gu­mas ca­rac­te­rís­ti­cas par­ti­cu­la­res em re­la­ção aos de­mais ti­pos de tex­to. Ve­ja­mos as prin­ci­pais: a) Te­má­ti­co: ao con­trá­rio do tex­to nar­ra­ti­vo e do des­cri­ti­vo, que tra­tam de as­sun­tos con­cre­tos, o tex­to dis­ser­ta­ti­vo-ar­gu­men­ta­ti­vo de­fen­de um pon­to de vis­ta a par­tir de um as­sun­to de­ter­mi­na­do, is­to é, abor­da uma te­má­ti­ca ge­né­ri­ca e abs­tra­ta, mas que po­de ser­vir pa­ra vá­ri­os ca­sos con­cre­tos.

b) Ló­gi­co: o tex­to dis­ser­ta­ti­vo-ar­gu­men­ta­ti­vo é or­ga­ni­za­do a par­tir de re­la­ções ló­gi­cas. Sua or­de­na­ção e de­sen­vol­vi­men­to ocor­rem por meio de uma sequên­cia em que as idei­as são ex­pos­tas de for­ma en­ca­de­a­da.

c) Atem­po­ral: o tex­to dis­ser­ta­ti­vo-ar­gu­men­ta­ti­vo é atem­po­ral, em con­tras­te com a par­ti­cu­la­ri­da­de dos tex­tos nar­ra­ti­vos e des­cri­ti­vos. É es­cri­to no pre­sen­te e não ne­ces­si­ta de mar­ca­ção tem­po­ral.

d) Abs­tra­to: o tex­to dis­ser­ta­ti­vo-ar­gu­men­ta­ti­vo po­de re­cor­rer a ter­mos abs­tra­tos pa­ra de­sig­nar a re­a­li­da­de, usan­do con­cei­tos e de­fi­ni­ções. É o con­trá­rio dos nar­ra­ti­vos e des­cri­ti­vos, nos quais boa par­te do vo­ca­bu­lá­rio é con­cre­ta.

e) Im­pes­so­a­li­da­de: a re­da­ção de­ve ser im­pes­so­al, uma vez que o emis­sor da men­sa­gem pre­ci­sa se po­si­ci­o­nar di­an­te da pro­ble­má­ti­ca apre­sen­ta­da com o ob­je­ti­vo de con­ven­cer o lei­tor de sua opi­nião. Pa­ra tan­to, re­co­men­da-se a uti­li­za­ção da ter­cei­ra pes­soa no sin­gu­lar do ver­bo na voz ati­va e o uso da par­tí­cu­la “se”. Usar o ter­mo “sa­be-se” pa­ra afir­mar um ar­gu­men­to, por exem­plo, evi­ta fra­ses co­mo “eu pen­so que”, “na mi­nha opi­nião”, que não de­vem fa­zer par­te da re­da­ção. Em vez des­tes, o par­ti­ci­pan­te po­de usar “É im­pres­cin­dí­vel que..” ou “Faz-se ne­ces­sá­ria a cri­a­ção de po­lí­ti­cas pú­bli­cas” pa­ra apre­sen­tar uma pro­pos­ta de in­ter­ven­ção fren­te ao pro­ble­ma des­cri­to no te­ma.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.