De­pois do tér­mi­no

O re­la­ci­o­na­men­to aca­bou, mas vo­cês ain­da têm que con­vi­ver? Re­la­xa, nós aju­da­mos a su­pe­rar tu­do is­so. Vem ver!

Todateen - - Achou! -  Tex­to: Ma­ria Maz­za/co­la­bo­ra­do­ra  De­sign: Pé­ro­la Stein  Fo­tos: Shut­ters­tock Ima­ges

Quan­do dei­xar en­tra­mos em um na­mo­ro, di­fí­cil não coi­sas em co­mum. que a nos­sa vi­da e a do boy te­nham mui­tas ve­zes aca­bam Prin­ci­pal­men­te os ami­gos, que não deu cer­to e ago­ra sen­do os mes­mos. Só que o lan­ce né? Mas che­gou a vo­cês pre­ci­sam se ver sem­pre. Cha­to, mos­trar que vo­cê po­de, ho­ra de dei­xar tu­do is­so pa­ra trás e an­tes! sim, con­ti­nu­ar vi­ven­do sua vi­da co­mo

Não se iso­le

Nin­guém me­re­ce ter que mudar de ami­gos e de lu­ga­res por cau­sa de um ex, né? Vo­cê ain­da gos­ta mui­to de­le, eu sei, mas dei­xar de sair com a tur­ma por­que o boy es­ta­rá lá, nem sem­pre é a me­lhor op­ção. Nes­se mo­men­to, é sem­pre bom ter es­sas pes­so­as ao seu la­do. Mas sem pres­são: só par­ti­ci­pe dos ro­lês que se sen­tir 100% con­for­tá­vel. Na­da de ir obri­ga­da, ok?

Fui ig­no­ra­da :(

Vo­cê se apro­xi­mou da tur­ma e ele nem olhou na sua ca­ra? Is­so é um si­nal que vo­cê de­ve co­me­çar a se pre­o­cu­par mais com a sua vi­da e me­nos com ele. Fa­ça o mes­mo e mos­tre que con­se­gue es­tar aci­ma de tu­do is­so e va­lo­ri­zar qu­em é e os sen­ti­men­tos que tem.

Ele já tem ou­tra...

E le­vou pa­ra a ga­le­ra co­nhe­cer! Mo­men­to bom pa­ra pro­var que con­se­gue pas­sar por is­so. Não se aba­le, hein. Se ele já con­se­gue se in­te­res­sar por ou­tras pes­so­as, é por­que vo­cê me­re­ce al­guém que te­nha sen­ti­men­tos ver­da­dei­ros. E, ó, tá cheio de ga­tos es­pa­lha­dos por ai!

Nós po­de­mos ser ami­gos?

É ver­da­de que al­gu­mas pes­so­as con­se­guem ter ami­za­de com ex-na­mo­ra­dos, só que nem sem­pre é fá­cil, não. Mas se acha que con­se­gue con­ver­sar e até di­vi­dir as no­vi­da­des nu­ma boa, não há ne­nhum pro­ble­ma nis­so. É até le­gal, afi­nal, não fi­ca um cli­mão es­tra­nho en­tre os dois.

Vo­cê é me­lhor do que is­so!

Se não deu cer­to, é por­que te­ve um mo­ti­vo. Mes­mo que, no co­me­ço, as coi­sas pa­re­çam ser mui­to di­fí­ceis e que tu­do pa­re­ça ser o fim do mun­do, não se de­ses­pe­re! Fa­ça as coi­sas no seu tem­po e tu­do fi­ca­rá bem no­va­men­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.