Que­da nas pes­qui­sas faz Ma­ri­na mu­dar es­ti­lo da cam­pa­nha

Valor Econômico - - POLÍTICA -

Os re­sul­ta­dos das úl­ti­mas pes­qui­sas de in­ten­ção de vo­to acen­de­ram um si­nal de aler­ta na co­or­de­na­ção de cam­pa­nha de Ma­ri­na Sil­va (Re­de). Se­gun­do o por­ta-voz da Re­de Sus­ten­ta­bi­li­da­de, Pedro Ivo Ba­tis­ta, o par­ti­do já es­tu­da mu­dan­ças na es­tra­té­gia pa­ra ga­ran­tir a pre­sen­ça da can­di­da­ta no se­gun­do tur­no.

De acor­do com ele, a cam­pa­nha vai es­co­lher cin­co te­mas pa­ra fo­car até as elei­ções, pois as men­sa­gens pas­sa­das pe­la can­di­da­ta es­ta­ri­am mui­to di­fu­sas, o que di­fi­cul­ta­ria a as­si­mi­la­ção pe­lo elei­to­ra­do. A ideia é elen­car uma pro­pos­ta de ca­da um dos te­mas con­si­de­ra­dos pri­o­ri­tá­ri­os pe­la cam­pa­nha, co­mo edu­ca­ção e meio am­bi­en­te.

Ma­ri­na tam­bém vai in­ten­si­fi­car as agen­das pe­lo Nor­te e Nor­des­te a par­tir da pró­xi­ma se­ma­na. Na se­gun­da, te­rá even­tos em Ser­gi­pe e na ter­ça, em Ala­go­as. A ava­li­a­ção é que a cam­pa­nha fi­cou mui­to con­cen­tra­da no ei­xo Rio-São Pau­lo nas úl­ti­mas se­ma­nas por con­ta da par­ti­ci­pa­ção em en­tre­vis­tas e de­ba­tes.

A cam­pa­nha tam­bém de­ve in­ves­tir em uma ima­gem mais des­con­traí­da nas re­des so­ci­ais. Se­gun­do Pedro Ivo, a pro­pa­gan­da exi­bi­da es­ta se­ma­na, na qu­al a can­di­da­ta sen­ta em uma ca­dei­ra e fa­la ape­nas “não” pa­ra res­pon­der a per­gun­ta “Ma­ri­na é cor­rup­ta?”, vi­ra­li­zou na in­ter­net com os me­mes cri­a­dos a par­tir da pe­ça.

O di­ag­nós­ti­co dos in­te­gran­tes da cam­pa­nha é que a dis­pu­ta pe­lo se­gun­do lu­gar fi­ca­rá “em­bo­la­da” até o dia da elei­ção. Atu­al­men­te, Jair Bol­so­na­ro (PSL) li­de­ra a dis­pu­ta, se­gui­do por Ma­ri­na Ma­ri­na, Ci­ro Go­mes (PSDT), Ge­ral­do Alck­min (PSDB) e Fer­nan­do Had­dad (PT). Na pes­qui­sa Ibo­pe di­vul­ga­da na ter­ça-fei­ra, Ma­ri­na caiu de 12% pa­ra 9%, sen­do ul­tra­pas­sa­da por Ci­ro.

Ques­ti­o­na­da on­tem so­bre o as­sun­to, a can­di­da­ta do Re­de vol­tou a mi­ni­mi­zar os re­sul­ta­dos. “Há no­ve me­ses que eu ve­nho man­ten­do a po­si­ção de se­gun­do lu­gar. Ago­ra, por­que hou­ve uma pe­que­na os­ci­la­ção, to­do mun­do fi­ca fa­lan­do so­bre is­so. A pes­qui­sa é o re­tra­to de um mo­men­to", afir­mou.

On­tem, Ma­ri­na te­ve du­as agen­das em Brasília. A pri­mei­ra foi uma en­tre­vis­ta à TV Gê­ne­sis, emis­so­ra li­ga­da à igre­ja Sa­ra Nos­sa Ter­ra. A can­di­da­ta, que é evan­gé­li­ca, tem per­di­do vo­to até mes­mo en­tre elei­to­res do seg­men­to.

Ma­ri­na tam­bém fez uma rá­pi­da ca­mi­nha­da pe­la área cen­tral de Brasília. Uma se­ma­na após o can­di­da­to do PSL so­frer um aten­ta­do, ela dis­se que não ti­nha me­do de ca­mi­nhar pe­las ru­as e que, por on­de pas­sa­va, era re­ce­bi­da com amor.

“O nos­so país é um país de união, de so­li­da­ri­e­da­de, nós não va­mos ser to­ma­dos pe­lo me­do. A me­lhor for­ma de com­ba­ter o ódio é não dei­xan­do que ele to­me con­ta da gen­te. Es­tou an­dan­do o Bra­sil in­tei­ro sen­do aco­lhi­da, mui­to bem re­ce­bi­da por to­dos os bra­si­lei­ros, e é as­sim que a gen­te faz, se a gen­te se­meia amor, res­pei­to, ele se pro­li­fe­ra”, afir­mou a can­di­da­ta.

Du­ran­te a pas­se­a­ta, Ma­ri­na fez di­ver­sas ve­zes o sím­bo­lo de co­ra­ção com as mãos pa­ra ser fo­to­gra­fa­da. Ela tam­bém vol­tou a afir­mar que Bol­so­na­ro “te­ve sua pro­pos­ta des­cons­truí­da” ao le­var uma fa­ca­da. “Ima­gi­na se aque­le ho­mem ti­ves­se uma ar­ma na mão. Es­sa é uma de­mons­tra­ção que a vi­o­lên­cia não se re­sol­ve dis­tri­buin­do ar­ma”, dis­se.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.