Cid ten­ta blin­dar pa­lan­que es­ta­du­al no Ce­a­rá

Par­ti­do de Ci­ro faz acor­do com PT e MDB que es­te­ri­li­za de­ba­te pre­si­den­ci­al e en­vol­ve 180 pre­fei­tos

Valor Econômico - - ESPECIAL -

Com a ca­mi­sa po­lo azul cla­ra for­ra­da de ade­si­vos de can­di­da­tos de sua co­li­ga­ção, o ex-go­ver­na­dor do Ce­a­rá Cid Go­mes (PDT) fez um ape­lo à pla­teia tão lo­go Ci­ri­lo Pi­men­ta (PDT), ex­pre­fei­to de Qui­xe­ra­mo­bim (CE), en­cer­rou sua bre­ve ex­pla­na­ção. “Es­se é um es­pa­ço su­pra­par­ti­dá­rio. Aqui a gen­te tra­ta de go­ver­na­dor pa­ra bai­xo. De go­ver­na­dor pa­ra ci­ma, ca­da um no seu qua­dra­do”, afir­mou o ex-go­ver­na­dor ao re­pri­mir o cor­re­li­gi­o­ná­rio que es­co­lhe­ra pa­ra ini­ci­ar um de­ba­te com po­lí­ti­cos ali­a­dos e que pou­co an­tes ha­via di­to que o can­di­da­to à Pre­si­dên­cia Ci­ro Go­mes (PDT), ir­mão de Cid, es­ta­va mui­to bem co­ta­do em sua ci­da­de, a se­gun­da mai­or do ser­tão cen­tral do Ce­a­rá.

A re­pri­men­da foi a for­ma en­con­tra­da na­que­le ins­tan­te pe­lo pe­de­tis­ta pa­ra evi­tar um cons­tran­gi­men­to ao go­ver­na­dor ce­a­ren­se, Ca­mi­lo San­ta­na (PT), e ao pre­si­den­te do Se­na­do, Eu­ní­cio Oli­vei­ra (MDB), que con­cor­rem à re­e­lei­ção e cu­jos par­ti­dos con­tam com can­di­da­tos pró­pri­os ao Pla­nal­to. Os três di­vi­di­ram o pal­co na se­gun­da-fei­ra em um en­con­tro re­a­li­za­do com cen­te­nas de pre­fei­tos, vi­ce­pre­fei­tos, ve­re­a­do­res e li­de­ran­ças po­lí­ti­cas no co­mi­tê cen­tral da co­li­ga­ção “Por um Ce­a­rá ca­da vez mais for­te”, lo­ca­li­za­do em um ter­re­no com di­men­sões de um cam­po de fu­te­bol em uma área no­bre de Fortaleza.

Ape­sar do es­for­ço, o ape­lo foi em vão. No pa­pel de mestre da ce­rimô­nia, Cid Go­mes ele te­ve que rei­te­rar o pe­di­do mais três ve­zes em meio às ma­ni­fes­ta­ções de ali­a­dos so­bre a cor­ri­da pre­si­den­ci­al. “Não va­mos fa­lar de pre­si­den­te. Se não es­ta­be­le­ce uma dis­pu­ta. O que te­mos em co­mum é o go­ver­na­dor”, fri­sou em ou­tro mo­men­to.

O pró­prio Cid, po­rém, não se con­te­ve em da­do mo­men­to ao ser in­for­ma­do ao pé do ou­vi­do so­bre a pes­qui­sa Da­ta­fo­lha, em que o ir­mão apa­re­ce co­mo o con­cor­ren­te mais com­pe­ti­ti­vo de Jair Bol­so­na­ro (PSL).

Aos es­pec­ta­do­res do ato, Cid evi­tou lis­tar os nú­me­ros, mas re­co­men­dou que olhas­sem de­pois o re­sul­ta­do em su­as ca­sas. To­do o epi­só­dio ilus­tra um pou­co do ce­ná­rio po­lí­ti­co ce­a­ren­se, que co­mo de­fi­ne o de­pu­ta­do de opo­si­ção Hei­tor Fér­rer (SD), mais se pa­re­ce co­mo uma “sa­la­da mis­ta”. “Eles to­dos es­tão jun­tos por me­ra con­ve­ni­ên­cia po­lí­ti­ca”, diz o par­la­men­tar, um dos pou­cos que não in­te­gram a ba­se go­ver­nis­ta na As­sem­bleia Le­gis­la­ti­va.

Com 16 par­ti­dos ofi­ci­a­li­za­dos em sua co­li­ga­ção e o apoio de 180 dos 184 pre­fei­tos ce­a­ren­ses em uma ali­an­ça cos­tu­ra­da com a fa­mí­lia Fer­rei­ra Go­mes, Ca­mi­lo de­fen­de Ci­ro e o ex-pre­fei­to Fer- nan­do Had­dad (PT) na elei­ção pre­si­den­ci­al. Em um in­ter­va­lo de du­as se­ma­nas, su­biu no pa­lan­que de am­bos em vi­si­tas do pe­tis­ta e do pe­de­tis­ta pe­lo Es­ta­do. Além dis­so, o go­ver­na­dor con­ta com a ade­são in­for­mal de ou­tros oi­to par­ti­dos que es­tão co­li­ga­dos com Eu­ní­cio, que ho­je é um ali­a­do, mas foi seu prin­ci­pal ad­ver­sá­rio na cam­pa­nha de 2014.

O senador eme­de­bis­ta, por sua vez, es­que­ceu as rus­gas do pas­sa­do com a fa­mí­lia Fer­rei­ra Go­mes — ain­da que pu­bli­ca­men­te Ci­ro o con­si­de­re um ini­mi­go — e apoia a can­di­da­tu­ra de Cid ao mes­mo tem­po em que usa ima­gens do ex-pre­si­den­te Luiz Iná­cio Lu­la da Sil­va em in­ser­ções na TV, a des­pei­to da can­di­da­tu­ra pre­si­den­ci­al do ex-mi­nis­tro Hen­ri­que Mei­rel­les (MDB). Di­an­te do im­bró­glio, a so­lu­ção foi cri­ar qua­tro co­mi­tês, sen­do um so­men­te pa­ra as cam­pa­nhas de Cid e Ca­mi­lo, ou­tros dois em que am­bos es­tão ou com Had­dad ou com Ci­ro, além do co­mi­tê in­di­vi­du­al de Eu­ní­cio.

Ao Va­lor, Ca­mi­lo não re­ve­la em que vai vo­tar pa­ra pre­si­den­te. Afir­ma que li­be­rou os ali­a­dos e mi­li­tan­tes. “De­fen­di lá atrás que es­ti­vés­se­mos jun­tos no pri­mei­ro tur­no. Ho­je, não sou só can­di­da­to do PT. Sou can­di­da­to de uma ali­an­ça que tem PT e PDT co­mo prin­ci­pais par­ti­dos. Te­mos um pro­je­to pa­ra o Ce­a­rá que vem des­de o Cid. Pa­ra mim, é um pri­vi­lé­gio ter os dois la­dos me apoi­an­do”, diz o go­ver­na­dor que re­co­nhe­ce, por ou­tro la­do, a saia jus­ta com a pro­vá­vel tro­ca de far­pas en­tre os pre­si­den­ciá­veis.

“É cha­to. Mas acho que nos­so ini­mi­go es­tá do ou­tro la­do. As crí­ti­cas sem­pre exis­tem, in­clu­si­ve, den­tro dos pró­pri­os par­ti­dos. Fa­rei cam­pa­nha com os dois. Não te­nho dú­vi­das de que es­ta­re­mos jun­tos no se­gun­do tur­no”, con­cluiu o go­ver­na­dor, in­cré­du­lo so­bre a pos­si­bi­li­da­de de am­bos pas­sa­rem pa­ra eta­pa se­guin­te. Em uma pes­qui­sa do Ibo­pe, re­a­li­za­da en­tre 13 a 15 de agos­to, Ci­ro ti­nha com 39% das pre­fe­rên­ci­as dos ce­a­ren­ses no ce­ná­rio sem o ex-pre­si­den­te Lu­la. Had­dad, que ain­da não ti­nha si­do ofi­ci­a­li­za­do pe­lo PT na ca­be­ça de cha­pa, to­ta­li­zou 2%. Es­ta son­da­gem, no en­tan­to, não cap­tou o po­ten­ci­al de trans­fe­rên­cia de vo­tos de Lu­la, que apa­re­cia na si­mu­la­ção com seu no­me com 52%, bem à fren­te do pe­de­tis­ta (14%). foi re­gis­tra­da com pro­to­co­lo BR 08812/2018.

Ain­da que pre­ser­ve um cli­ma de paz en­tre os dois con­cor­ren­tes ao Pla­nal­to, há no en­tor­no do go­ver­na­dor uma pre­o­cu­pa­ção com re­ta­li­a­ções por par­te da di­re­ção na­ci­o­nal do PT an­te sua le­al­da­de a Ci­ro. O pró­prio go­ver­na­dor fa­lou em “pre­con­cei­to” da di­re­ção par­ti­dá­ria ao lem­brar que foi o go­ver­na­dor pe­tis­ta que me­nos re­ce­beu re­cur­sos de cam­pa­nha da le­gen­da.

Até o iní­cio da se­ma­na, Ca­mi­lo ti­nha re­ce­bi­do R$ 392 mil, me­nos até do que do que can­di­da­tos a de­pu­ta­do fe­de­ral, co­mo Lui­zi­an­ne Lins (R$ 500 mil), José Gui­ma­rães (R$ 450 mil).

“Não te­ve um cri­té­rio igual pa­ra to­dos go­ver­na­do­res. Não é jus­to eu re­ce­ber me­nos do que o Pi­auí (R$ 482 mil). Es­pe­ro que não se­ja [re­ta­li­a­ção]”, afir­ma. O pou­co di­nhei­ro não de­ve re­per­cu­tir no re­sul­ta­do. Sua re­e­lei­ção pa­re­ce en­ca­mi­nha­da, de acor­do com o Ibo­pe, na qu­al so­mou 64% das in­ten­ções de vo­to, além da me­nor re­jei­ção en­tre os pos­tu­lan­tes (17%). “O mai­or pro­ble­ma do Ca­mi­lo nes­te mo­men­to po­de ser o sal­to al­to. Nes­ta re­ta fi­nal, de­ve­mos cal­çar as san­dá­li­as da hu­mil­da­de”, ori­en­tou Cid no ato com as li­de­ran­ças lo­cais.

Os pro­ble­mas da am­pla ali­an­ça não se re­su­mem ao pe­tis­ta. Eu­ní­cio tam­bém en­fren­ta a re­sis­tên­cia na ba­se ali­a­da de Ca­mi­lo. Con­for­me o re­la­to de al­guns par­la­men­ta­res, mes­mo en­tre aque­les que se di­zem sim­pá­ti­cos à sua re­e­lei­ção, mui­tos re­co­nhe­cem nos bas­ti­do­res que tra­ba­lham ape­nas pe­la can­di­da­tu­ra de Cid. Pe­tis­tas di­zem que não têm “obri­ga­ção” com o senador eme­de­bis­ta, ou­tro­ra um ini­mi­go. Ou­tros, co­mo o de­pu­ta­do Bru­no Pe­dro­sa (PP), per­cor­rem o Ce­a­rá em cam­pa­nha com san­ti­nhos de Edu­ar­do Gi­rão (Pros), um dos ad­ver­sá­ri­os de Eu­ní­cio.

Di­an­te da re­sis­tên­cia, o senador tem pro­cu­ra­do fle­xi­bi­li­zar o dis­cur­so e evi­ta­do uma po­la­ri­za­ção com Cid. No even­to com os pre­fei­tos, re­pe­tiu por cin­co ve­zes em um dis­cur­so de pou­co mais de cin­co mi­nu­tos que nes­te ano são du­as va­gas ao Se­na­do. Nes­se meio tem­po, ain­da pro­me­teu lu­tar pa­ra re­vo­gar a PEC do te­to dos gas­tos, pe­la qu­al vo­tou a fa­vor. A pro­mes­sa foi fei­ta no em­ba­lo de Cid, que o an­te­ce­deu em sua fa­la, ao ser res­pon­der à per­gun­ta de um pre­fei­to so­bre o as­sun­to. Sob aplau­sos, o ex-go­ver­na­dor dis­se vo­ta­ria pe­la re­vo­ga­ção.

DIVULGAÇÃO

Eu­ní­cio Oli­vei­ra (MDB), Ca­mi­lo San­ta­na (PT) e Cid Go­mes (PDT): no mes­mo pa­lan­que, po­lí­ti­cos evi­tam re­fe­rên­ci­as aos can­di­da­tos de seus par­ti­dos ao Pla­nal­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.