Co­o­xu­pé já re­ce­beu qua­se to­do o ca­fé es­pe­ra­do pa­ra a sa­fra

Valor Econômico - - AGRONEGÓCIOS - Ci­clo 2018/19 Alda do Ama­ral Ro­cha

Com a co­lhei­ta de ca­fé da sa­fra 2018/19 se apro­xi­man­do do fim em sua re­gião de atu­a­ção, a Co­o­xu­pé — Co­o­pe­ra­ti­va Re­gi­o­nal de Ca­fei­cul­to­res em Gu­a­xu­pé (MG) — re­ce­beu até o dia 4 de se­tem­bro um vo­lu­me de 5,180 mi­lhões de sa­cas. “Va­mos cum­prir a me­ta de re­ce­ber 5,5 mi­lhões de sa­cas de ca­fé”, dis­se Car­los Al­ber­to Pau­li­no da Cos­ta, pre­si­den­te da co­o­pe­ra­ti­va.

Se­gun­do ele, a Co­o­xu­pé re­ce­beu, até a da­ta, 4,1 mi­lhões de sa­cas de ca­fé ará­bi­ca de co­o­pe­ra­dos e o res­tan­te foi en­tre­gue por ter­cei­ros. Pe­la pre­vi­são da co­o­pe­ra­ti­va, as en­tre­gas dos associados de­vem so­mar 4,444 mi­lhões de sa­cas en­quan­to ter­cei­ros de­vem en­tre­gar 1,1 mi­lhão de sa­cas. Cos­ta afir­mou não sa­ber se a me­ta se­rá su­pe­ra­da, mas ad­mi­tiu que is­so po­de­ria ocor­rer. Na sa­fra 2017/18, que te­ve bi­e­na­li­da­de ne­ga­ti­va e foi afe­ta­da por pro­ble­mas cli­má­ti­cos, a Co­o­xu­pé re­ce­beu 4,6 mi­lhões de sa­cas de ca­fé ará­bi­ca, sen­do 3,6 mi­lhões de sa­cas de co­o­pe­ra­dos e 1 mi­lhão de ter­cei­ros.

Se­gun­do o di­ri­gen­te, se to­dos os associados da Co­o­xu­pé en­tre­gas­sem a pro­du­ção de ca­fé pa­ra a co­o­pe­ra­ti­va se­ri­am mais de 7 mi­lhões de sa­cas re­ce­bi­das, só de co­o­pe­ra­dos, nes­ta sa­fra 2018/19. No en­tan­to, os pro­du­to­res associados não são obri­ga­dos a en­tre­gar o ca­fé à Co­o­xu­pé pa­ra co­mer­ci­a­li­za­ção.

Cos­ta dis­se não sa­ber se a me­ta da Co­o­xu­pé de ex­por­tar 4,1 mi­lhões de sa­cas de ca­fé nes­te ano se­rá al­can­ça­da. Se­gun­do ele, a pa­ra­li­sa­ção dos ca­mi­nho­nei­ros no fim de maio atra­pa­lhou o flu­xo dos ne­gó­ci­os e mu­dan­ças no pro­gra­ma da Re­cei­ta Fe­de­ral pre­ju­di­ca­ram as ex­por­ta­ções. Além dis­so, o au­men­to da pro­du­ção de ca­fé em ou­tros paí­ses ele­vou a con­cor­rên­cia pa­ra o pro­du­to bra­si­lei­ro no ex­te­ri­or, ob­ser­vou. “Há uma con­cor­rên­cia mai­or na ex­por­ta­ção e os pre­ços es­tão bai­xos”. No ano pas­sa­do, a Co­o­xu­pé ven­deu ao ex­te­ri­or 4,04 mi­lhões de sa­cas de ca­fé ará­bi­ca.

Até o úl­ti­mo dia 7 de se­tem­bro, a co­lhei­ta de ca­fé pe­los co­o­pe­ra­dos da Co­o­xu­pé ha­via al­can­ça­do 95,64% da pro­du­ção es­pe­ra­da, de acor­do com acom­pa­nha­men­to se­ma­nal da co­o­pe­ra­ti­va. Em re­la­ção a igual mo­men­to da sa­fra 2017/18, a co­lhei­ta con­ti­nu­a­va atra­sa­da, em­bo­ra em me­nor in­ten­si­da­de que ini­ci­al­men­te, uma vez que pe­río­dos mais se­cos per­mi­ti­ram ace­le­rar os tra­ba­lhos. Na mes­ma épo­ca do ci­clo pas­sa­do, a co­lhei­ta es­ta­va em 98,28%.

O di­ri­gen­te vol­tou a des­ta­car a qua­li­da­de do ca­fé ará­bi­ca da sa­fra 2018/19, re­fle­xo das bo­as con­di­ções de de­sen­vol­vi­men­to, com ma­tu­ra­ção uni­for­me, e do cli­ma fa­vo­rá­vel na co­lhei­ta.

A me­lho­ra na qua­li­da­de per­mi­tiu que a co­o­pe­ra­ti­va tam­bém ele­vas­se sua ofer­ta de ca­fés es­pe­ci­ais es­te ano. Se­gun­do Cos­ta, na sa­fra atu­al a ofer­ta de ca­fés com clas­si­fi­ca­ção aci­ma de 83 pon­tos (con­for­me os cri­té­ri­os da As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Ca­fés Es­pe­ci­ais) pe­la Co­o­xu­pé so­mou cer­ca de 45 mil sa­cas. Em 2017/18, ape­nas 24 mil sa­cas fo­ram clas­si­fi­ca­das co­mo es­pe­ci­ais.

O per­cen­tu­al de ca­fés re­ce­bi­dos pe­la Co­o­xu­pé com pe­nei­ras 17 e 18, os mais de­man­da­dos na ex­por­ta­ção, tam­bém cres­ceu nes­ta sa­fra, se­gun­do Cos­ta. Fo­ram 24% an­te 19% na sa­fra 2017/18. A Co­o­xu­pé atua no sul de Mi­nas, na Mo­gi­a­na Pau­lis­ta e no Cer­ra­do Mi­nei­ro.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.