Con­su­mi­dor se­gu­ra gas­to, e va­re­jo tem ex­pan­são mo­des­ta, es­ti­mam ana­lis­tas

Valor Econômico - - BRASIL - Arí­cia Mar­tins

O fra­co desempenho do mer­ca­do de tra­ba­lho, que se­gue em rit­mo bas­tan­te len­to de re­to­ma­da, as­sim co­mo a in­cer­te­za pro­vo­ca­da pe­las elei­ções, es­tá se­gu­ran­do a ex­pan­são do co­mér­cio, ava­li­am eco­no­mis­tas. Se­gun­do a es­ti­ma­ti­va mé­dia de 31 ins­ti­tui­ções fi­nan­cei­ras e con­sul­to­ri­as ou­vi­das pe­lo Va­lor Da­ta, o vo­lu­me de ven­das do va­re­jo res­tri­to, que não in­clui au­to­mó­veis e ma­te­ri­al de cons­tru­ção, su­biu 0,1% en­tre ju­lho e agos­to, fei­tos os ajus­tes sa­zo­nais. Na me­di­ção an­te­ri­or, hou­ve qu­e­da de 0,5%.

As pro­je­ções pa­ra a Pes­qui­sa Men­sal do Co­mér­cio (PMC), que se­rá di­vul­ga­da ho­je pe­lo IBGE, es­tão bas­tan­te dís­pa­res e vão des­de re­du­ção de 0,7% até al­ta de 1,6%. Pa­ra o va­re­jo am­pli­a­do, que con­si­de­ra, além dos dez seg­men­tos ana­li­sa­dos no res­tri­to, os de veí­cu­los e ma­te­ri­al de cons­tru­ção, 26 ana­lis­tas es­ti­mam au­men­to de 2,5% na pas­sa­gem men­sal.

Des­de o iní­cio do ano, o co­mér­cio mos­tra ten­dên­cia de de­sa­ce­le­ra­ção das ven­das na com­pa­ra­ção anu­al, ob­ser­va Ale­xan­dre Loh­mann, eco­no­mis­ta da GO As­so­ci­a­dos. Em ju­lho, as ven­das res­tri­tas di­mi­nuí­ram 1% so­bre igual pe­río­do do ano an­te­ri­or. Por is­so, em sua vi­são, a al­ta de 0,5% es­pe­ra­da pa­ra o va­re­jo res­tri­to en­tre ju­lho e agos­to, após o ajus­te sa­zo­nal, não evi­den­cia re­a­ção do se­tor.

“A eco­no­mia es­tá pa­ra­da, à es­pe­ra das elei­ções. Até a de­fi­ni­ção de uma po­lí­ti­ca econô­mi­ca que pos­sa ge­rar re­to­ma­da da con­fi­an­ça dos con­su­mi­do­res, não ha­ve­rá re­ver­são da ten­dên­cia de de­sa­ce­le­ra­ção”, ava­lia Loh­mann. Além da in­cer­te­za elei­to­ral, ele apon­ta o mer­ca­do de tra­ba­lho co­mo um fa­tor que ex­pli­ca o rit­mo mais morno da ati­vi­da­de no va­re­jo. “O em­pre­go não me­lho­rou con­for­me as ex­pec­ta­ti­vas”, dis­se o es­pe­ci­a­lis­ta.

Co­mo in­dí­cio des­se efei­to no va­re­jo, ele apon­ta as ven­das re­ais de su­per­mer­ca­dos, que re­cu­a­ram 0,3% de ju­lho pa­ra agos­to na sé­rie des­sa­zo­na­li­za­da pe­la GO. Os da­dos são cal­cu­la­dos men­sal­men­te pe­la As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Su­per­mer­ca­dos (Abras).

Na pon­ta mais pes­si­mis­ta, os eco­no­mis­tas New­ton Ro­sa e Ra­fa­el Ya­ma­no, da SulA­mé­ri­ca In­ves­ti­men­tos, tra­ba­lham com re­tra­ção de 0,7% das ven­das res­tri­tas em re­la­ção a ju­lho. “Es­se re­sul­ta­do sig­ni­fi­ca a co­mer­ci­a­li­za­ção de vo­lu­me idên­ti­co ao ven­di­do em igual mês do ano pas­sa­do”, co­men­tam os eco­no­mis­tas.

De acor­do com Ro­sa e Ya­ma­no, a re­tra­ção es­pe­ra­da re­fle­te a per­da de fô­le­go das ven­das de su­per­mer­ca­dos, “em li­nha com a fra­ca evo­lu­ção da ren­da dos sa­lá­ri­os por cau­sa do len­to cres­ci­men­to de opor­tu­ni­da­des de em­pre­go”.

Tam­bém em ra­zão do com­por­ta­men­to mo­des­to do ra­mo de su­per­mer­ca­dos no pe­río­do, a equi­pe econô­mi­ca do San­tan­der pre­vê au­men­to de 0,3% pa­ra as ven­das res­tri­tas em agos­to. Pa­ra o co­mér­cio am­pli­a­do, por ou­tro la­do, a ex­pec­ta­ti­va é de avan­ço mais ex­pres­si­vo, de 4,7%, pu­xa­do so­bre­tu­do pe­las ven­das de veí­cu­los, afir­mam os eco­no­mis­tas da ins­ti­tui­ção, em re­la­tó­rio.

De acor­do com a Fe­na­bra­ve, en­ti­da­de que reú­ne as con­ces­si­o­ná­ri­as, os em­pla­ca­men­tos su­bi­ram 14,8% em agos­to, na com­pa­ra­ção com igual mês de 2017.

Ati­vi­da­de Econô­mi­ca

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.