Bur­ger King re­cu­pe­ra rit­mo de ven­das e lan­ça re­de Po­peyes

Ges­tão das mar­cas é se­pa­ra­da, mas BK Bra­sil pre­vê si­ner­gi­as na ne­go­ci­a­ção de pon­tos

Valor Econômico - - | EMPRESAS SERVIÇOS&TECNOLOGIA - Adri­a­na Mat­tos

O Bur­ger King iden­ti­fi­cou nas úl­ti­mas se­ma­nas uma re­to­ma­da das ven­das pa­ra o pa­ta­mar an­te­ri­or ao pe­río­do da gre­ve dos ca­mi­nho­nei­ros, em maio. A em­pre­sa, que cha­ma aque­le mo­men­to de cri­se, evi­ta men­ci­o­nar nú­me­ros so­bre a re­cu­pe­ra­ção. “Co­me­ça­mos a en­xer­gar ní­veis vis­tos pré-cri­se. [...] É di­fí­cil pre­ver al­go nes­se ce­ná­rio que es­ta­mos, mas com PIB mais ou me­nos po­si­ti­vo continuamos tra­ba­lhan­do den­tro do pro­je­to de­fi­ni­do pa­ra o ano”, dis­se Iu­ri Mi­ran­da, pre­si­den­te do BK Bra­sil, mas­ter-fran­que­a­do da re­de no país.

A re­de inau­gu­rou 25 lo­jas até ju­nho e pre­vê tri­pli­car es­se nú­me­ro até de­zem­bro pa­ra che­gar à mar­ca de 90 a 100 aber­tu­ras. “O con­su­mo de fast-fo­od sen­te o pe­so da si­tu­a­ção econô­mi­ca, mas há tam­bém um al­to im­pac­to da mu­dan­ça de com­por­ta­men­to do con­su­mi­dor. En­tão, mes­mo com even­tu­ais re­fle­xos de al­gu­ma cri­se, há ten­dên­cia que se re­tor­ne aos pa­ta­ma­res an­te­ri­o­res”, acres­cen­tou.

Qu­es­ti­o­na­do so­bre o am­bi­en­te po­lí­ti­co no país às vés­pe­ras do se­gun­do tur­no das elei­ções pre­si­den­ci­ais, Mi­ran­da dis­se que o po­si­ci­o­na­men­to da em­pre­sa é “apar­ti­dá­rio”. O Bur­ger King fez anún­ci­os na TV an­tes do pri­mei­ro tur­no pa­ra in­cen­ti­var o vo­to cons­ci­en­te. “Não apoi­a­mos par­ti­dos [...] Acre­di­ta­mos no po­ten­ci­al de cres­ci­men­to lo­cal e a ques­tão é co­mo cap­tu­rar is­so”, afir­mou, ci­tan­do co­mo uma das ini­ci­a­ti­vas o lan­ça­men­to da re­de Po­peyes no Bra­sil.

On­tem, o BK Bra­sil, mas­ter fran­que­a­do da Po­peyes, abriu o pri­mei­ro res­tau­ran­te da re­de es­pe­ci­a­li­za­da em fran­go fri­to no país, no Shop­ping Me­trô Ita­que­ra, em São Pau­lo. A em­pre­sa pre­ten­de abrir de 5 a 10 uni­da­des pró­pri­as até de­zem­bro. Em dez anos, a ideia é con­tar com 300 res­tau­ran­tes — in­cluin­do fu­tu­ras fran­qui­as.

Pa­ra efei­to de com­pa­ra­ção, a ri­val KFC, que tem cer­ca de 50 lo­jas no mer­ca­do bra­si­lei­ro, pla­ne­ja che­gar a 500 pon­tos em dez anos.

Nes­te ano, to­das as inau­gu­ra­ções da Po­peyes se­rão em shop­pings em São Pau­lo. Ape­sar de ser uma mar­ca pou­co co­nhe­ci­da por aqui, a em­pre­sa não abri­rá lo­jas de rua ago­ra, on­de a vi­si­bi­li­da­de é mai­or. Tam­bém não de­ve in­ves­tir em cam­pa­nhas na TV nes­te mo­men­to, mas em mí­di­as di­gi­tais e mo­bi­liá­rio ur­ba­no. A re­de ne­ga que is­so te­nha a ver com li­mi­ta­ções pa­ra gas­tos. Em ju­nho, a BK ti­nha em cai­xa R$ 650 mi­lhões após a ofer­ta de ações (IPO) em de­zem­bro que le­van­tou R$ 2,2 bi­lhões. Nes­te ano, o pa­pel da BK caiu 23%.

Fran­qui­as só de­vem ser aber­tas “den­tro de al­guns anos”, dis­se Mi­ran­da. “Co­me­ça­mos com uni­da­des pró­pri­as pa­ra ter con­tro­le do pro­ces­so, um pou­co co­mo fi­ze­mos com Bur­ger King”. As re­des Bur­ger King e Po­peyes te­rão ad­mi­nis­tra- ções se­pa­ra­das, mas ha­ve­rá si­ner­gi­as na ne­go­ci­a­ção de pon­tos em shop­pings e na in­te­gra­ção de sis­te­mas de tec­no­lo­gia, por exem­plo.

Hou­ve ajus­tes no car­dá­pio da Po­peyes em re­la­ção aos itens ven­di­dos nos Es­ta­dos Uni­dos — a re­de foi fun­da­da em 1972 em Loui­si­a­na com re­cei­tas que se­guem tra­di­ções lo­cais. No pas­sa­do, a KFC en­fren­tou di­fi­cul­da­des no Bra­sil em par­te por re­jei­ção à par­te do port­fó­lio. Além do fran­go, o for­te da Po­peyes lá fo­ra é o pu­rê, a sa­la­da de re­po­lho e ba­ta­ta fri­ta mais api­men­ta­da. São 3 mil lo­jas em 30 paí­ses. Em 2017, as ven­das em res­tau­ran­tes em ope­ra­ção há mais de um ano caí­ram 1,5% no mun­do. No Bur­ger King, hou­ve al­ta de 3%.

“Fi­ze­mos ajus­tes no car­dá­pio no Bra­sil, mas não po­de­ría­mos fu­gir com­ple­ta­men­te da re­cei­ta de Loui­si­a­na”, dis­se o CEO glo­bal de Po­peyes, o bra­si­lei­ro Ale­xan­dre San­to­ro, que veio ao país pa­ra a es­treia da mar­ca. A sa­la­da lan­ça­da aqui mis­tu­ra re­po­lho e ou­tras ver­du­ras e há op­ções me­nos pi­can­tes pa­ra o fran­go. “Há um espaço no mer­ca­do de fast-fo­od de fran­go fri­to que ain­da não foi ocu­pa­do no Bra­sil”, afir­mou ele, que não vê a con­cor­rên­cia de ba­res e res­tau­ran­tes co­mo pres­são mai­or pa­ra o ne­gó­cio.

SIL­VIA ZAMBONI/VA­LOR

Ale­xan­dre San­to­ro, CEO da Po­peyes (à esq.), e Iu­ri Mi­ran­da, pre­si­den­te do BK Bra­sil: “Acre­di­ta­mos no po­ten­ci­al de cres­ci­men­to do mer­ca­do bra­si­lei­ro”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.