Ro­ta con­tra­ria Bol­so­na­ro e po­de ser al­vo da OMC

Em vo­ta­ção re­lâm­pa­go, Se­na­do apro­va no­vo re­gi­me au­to­mo­ti­vo que te­rá im­pac­to fis­cal de R$ 2,1 bi ao ano

Valor Econômico - - BRASIL - Vand­son Li­ma e Raphael Di Cun­to

Em uma ses­são rá­pi­da — 22 mi­nu­tos — e re­a­li­za­da em uma quin­ta-fei­ra, dia in­co­mum pa­ra vo­ta­ções de ma­té­ri­as de gran­de im­pac­to, o Se­na­do apro­vou, em vo­ta­ção sim­bó­li­ca, a me­di­da pro­vi­só­ria do Ro­ta 2030, no­va po­lí­ti­ca de in­cen­ti­vo à in­dús­tria au­to­mo­ti­va que de­fi­ne as di­re­tri­zes pa­ra pro­du­ção de veí­cu­los pa­ra os pró­xi­mos 15 anos e os be­ne­fí­ci­os tri­bu­tá­ri­os, cal­cu­la­dos em R$ 2,1 bi­lhões por ano pe­lo Mi­nis­té­rio da Fa­zen­da.

O tex­to foi chan­ce­la­do pe­lo Se­na­do nos mol­des do apro­va­do na quar­ta-fei­ra pe­la Câ­ma­ra, in­clu­si­ve man­ten­do a ex­clu­são das im­por­ta­do­ras do re­gi­me. Há pre­o­cu­pa­ção no go­ver­no e nas mon­ta­do­ras so­bre pos­sí­vel san­ção da Or­ga­ni­za­ção Mun­di­al do Co­mér­cio ao pro­gra­ma, co­mo ocor­reu com o re­gi­me an­te­ri­or, o Ino­var-Au­to, ex­tin­to em 2017 após a con­de­na­ção pe­la OMC.

Por cau­sa do pra­zo exí­guo — a MP per­de­ria os efei­tos se não fos­se vo­ta­da até o dia 16 —, os se­na­do­res pre­fe­ri­ram ga­ran­tir a apro­va­ção.

O ris­co de pu­ni­ção pe­la OMC es­tá no radar, mas sua apli­ca­ção é con­tro­ver­sa, por­que o Ro­ta exi­ge in­ves­ti­men­to em pes­qui­sa e de­sen­vol­vi­men­to co­mo con­tra­par­ti­da aos in­cen­ti­vos — in­ves­ti­men­to que im­por­ta­do­ras nor­mal­men­te não fa­zem.

Na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos foi su­pri­mi­do o ar­ti­go que ha­bi­li­ta­va ao Ro­ta as em­pre­sas que im­por­tam e co­mer­ci­a­li­zam veí­cu­los no país. Elas te­ri­am di­rei­to aos mes­mos cré­di­tos tri­bu­tá­ri­os que as em­pre­sas que fa­bri­cam os car­ros em so­lo bra­si­lei­ro, des­de que tam­bém dis­pen­des­sem re­cur­sos em no­vas tec­no­lo­gi­as.

O PC­doB, que su­pri­miu o ar­ti­go, ar­gu­men­tou que os in­cen­ti­vos fis­cais de­ve­ri­am ser di­re­ci­o­na­dos às em­pre­sas que pro­du­zem no Bra­sil e ge­ram mais em­pre­gos no país. Pa­ra Ar­man­do Mon­tei­ro (PTB-PE), ex-mi­nis­tro de In­dús­tria, Co­mér­cio Ex­te­ri­or e Ser­vi­ços (Mdic) e re­la­tor da ma­té­ria no Se­na­do, não há ile­ga­li­da­de no tex­to apro­va­do. “A pre­o­cu­pa­ção no Ro­ta 2030 foi jus­ta­men­te não pro­mo­ver as dis­tor­ções do Ino­varAu­to. Não me pa­re­ce que a ques­tão dos im­por­ta­do­res pos­sa ser en­ten­di­da co­mo dis­cri­mi­na­tó­ria”, apon­tou.

A pror­ro­ga­ção de in­cen­ti­vos fi­cais vai na con­tra­mão do que tem pre­ga­do o pre­si­den­te elei­to, Jair Bol­so­na­ro (PSL), e sua equi­pe econô­mi­ca. Mon­tei­ro sa­li­en­ta, con­tu­do, que os be­ne­fí­ci­os con­ce­di­dos fo­ram re­du­zi­dos em 40% em re­la­ção aos do Ino­var. “O Ro­ta é um avan­ço co­mo po­lí­ti­ca in­dus­tri­al. Res­trin­ge, mas fo­ca­li­za os in­cen­ti­vos. E ga­ran­te a ex­ten­são do re­gi­me au­to­mo­ti­vo do Nor­des­te, on­de a ca­deia não se con­so­li­dou. O cus­to lo­gís­ti­co ain­da é mui­to al­to. O mer­ca­do é em gran­de me­di­da fo­ra da re­gião. Vai vi­a­bi­li­zar um no­vo ci­clo de in­ves­ti­men­to”, dis­se.

O pre­si­den­te do Se­na­do, Eu­ní­cio Oli­vei­ra (MDB-CE), tam­bém fez ques­tão de afir­mar que o Ro­ta não é “pau­ta-bom­ba” pa­ra Bol­so­na­ro.

Se­gun­do o lí­der do go­ver­no, Fer­nan­do Be­zer­ra Co­e­lho (MDBPE), que ar­ti­cu­lou a vo­ta­ção on­tem, há a pos­si­bi­li­da­de de o pre­si­den­te Michel Temer edi­tar uma no­va me­di­da pro­vi­só­ria que tra­ga uma ex­ten­são dos be­ne­fí­ci­os pa­ra as em­pre­sas com fá­bri­cas no Cen­tro-Oes­te, que fo­ram der­ru­ba­dos na tra­mi­ta­ção da Câ­ma­ra. A ques­tão pre­o­cu­pou se­na­do­res da re­gião, que só vo­ta­ram a fa­vor do Ro­ta 2030 di­an­te des­ta pers­pec­ti­va.

Em São Pau­lo, on­de participou da ce­rimô­nia de aber­tu­ra do 30o Sa­lão do Au­to­mó­vel, Temer as­si­nou de­cre­to que re­gu­la­men­ta dis­po­si­ti­vos do Ro­ta mi­nu­tos após a apro­va­ção pe­lo Se­na­do. A san­ção se­rá fei­ta pos­te­ri­or­men­te, com o en­vio do tex­to ao Pa­lá­cio do Pla­nal­to.

Pa­ra Wel­ber Bar­ral, ex-se­cre­tá­rio de Co­mér­cio Ex­te­ri­or, o Ro­ta 2030, di­fe­ren­te­men­te do Ino­varAu­to, não tem ir­re­gu­la­ri­da­des fla­gran­tes e há ar­gu­men­tos pa­ra de­fen­dê-lo, ca­so se­ja ques­ti­o­na­do na OMC. No ca­so do Ro­ta 2030, diz, hou­ve um cui­da­do mai­or pa­ra evi­tar ques­ti­o­na­men­tos. Se­gun­do ele, o no­vo pro­gra­ma ba­seia-se no ar­gu­men­to de que o go­ver­no bra­si­lei­ro quer es­ti­mu­lar a ino­va­ção e a pro­du­ção mais sus­ten­tá­vel. “Por is­so o in­cen­ti­vo é da­do pa­ra a ino­va­ção na pro­du­ção den­tro do Bra­sil e não al­can­ça os im­por­ta­dos.”

SIL­VIA ZAMBONI/VA­LOR

Antô­nio Me­ga­le: Par­la­men­ta­res “en­ten­de­ram a po­lí­ti­ca po­si­ti­va do pro­gra­ma”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.