Se o cli­ma aju­dar, co­lhei­ta de grãos po­de­rá ser re­cor­de

Valor Econômico - - AGRONEGÓCIOS - Sa­fra 2018/19 Sa­fra 2018/19

Após re­cu­ar na sa­fra 2017/18, so­bre­tu­do em vir­tu­de da re­du­ção da pro­du­ção de mi­lho, a co­lhei­ta bra­si­lei­ra de grãos po­de­rá re­to­mar sua tra­je­tó­ria de re­cor­des nes­te ci­clo 2018/19, que es­tá em pe­río­do de se­me­a­du­ra no país.

Es­ti­ma­ti­vas di­vul­ga­das on­tem pe­la Com­pa­nhia Na­ci­o­nal de Abas­te­ci­men­to (Co­nab) in­di­cam que, a par­tir de uma área plan­ta­da cal­cu­la­da en­tre 61,87 mi­lhões e 63,15 mi­lhões de hec­ta­res — fo­ram 61,74 mi­lhões em 2017/18 — o vo­lu­me to­tal fi­ca­rá en­tre 233,56 mi­lhões de to­ne­la­das e 238,54 mi­lhões de to­ne­la­das.

Se o cli­ma con­ti­nu­ar co­la­bo­ran­do e o “te­to” for al­can­ça­do, por­tan­to, um no­vo re­cor­de se­rá ba­ti­do, ain­da que na “mar­gem de er­ro”. Até ago­ra, a mai­or pro­du­ção da his­tó­ria foi na tem­po­ra­da 2016/17 — 238,51 mi­lhões de to­ne­la­das. Em 2017/18, o vo­lu­me caiu pa­ra 226,34 mi­lhões de to­ne­la­das.

“As chu­vas con­ti­nu­am em con­di­ções fa­vo­rá­veis, man­ten­do a umi­da­de do so­lo e per­mi­tin­do não só o plan­tio, mas o de­sen­vol­vi­men­to da­qui­lo que foi plan­ta­do”, dis­se Cle­ver­ton San­ta­na, su­pe­rin­ten­den­te de In­for­ma­ções do Agro­ne­gó­cio da Co­nab. “E as pers­pec­ti­vas pa­ra os pró­xi­mos me­ses é que as con­di­ções con­ti­nu­em fa­vo­rá­veis pa­ra to­das as cul­tu­ras”, afir­mou.

Com ou sem re­cor­de, a sa­fra continuará a ser pu­xa­da pe­la so­ja, car­ro-che­fe do agro­ne­gó­cio bra­si­lei­ro. Con­for­me a Co­nab, a pro­du­ção da ole­a­gi­no­sa fi­ca­rá en­tre 117,05 mi­lhões e 119,43 mi­lhões de to­ne­la­das em 2018/19, an­te o re­cor­de de 119,28 mi­lhões de 2017/18.

Nas con­tas do IBGE, que es­ti­mou a co­lhei­ta de so­ja de 2018 em 117,7 mi­lhões de to­ne­la­das (um re­cor­de, mes­mo me­nor que o re­cor­de es­ti­ma­do pe­la Co­nab), a de 2019 che­ga­rá a 116,5 mi­lhões. A que­da é cre­di­ta­da a uma pro­du­ti­vi­da­de não tão boa quan­to a des­te ano.

“Es­ta­dos co­mo Ma­to Gros­so e Goiás es­tão até pu­xan­do [pa­ra bai­xo] es­se ren­di­men­to, que foi mui­to al­to no ano pas­sa­do. Mas é um pri­mei­ro prog­nós­ti­co e vai ser ajus­ta­do nos pró­xi­mos me­ses”, afir­mou Car­los Alfredo Gu­e­des, ge­ren­te de Agri­cul­tu­ra do IBGE — que projeta a co­lhei­ta to­tal de grãos em 2019 226,7 mi­lhões de to­ne­la­das.

Se­gun­do o De­par­ta­men­to de Agri­cul­tu­ra dos EUA (USDA), que on­tem tam­bém di­vul­gou no­vo re­la­tó­rio so­bre ofer­ta e de­man­da de grãos na­que­le país e no mun­do, a co­lhei­ta bra­si­lei­ra de so­ja so­ma­rá 120,5 mi­lhões de to­ne­la­em das em 2018/19, me­nor ape­nas que a ame­ri­ca­na (125,2 mi­lhões).

Mas tu­do in­di­ca que o des­ta­que da tem­po­ra­da atu­al, ca­paz de ge­rar um no­vo re­cor­de do vo­lu­me to­tal, se­rá a recuperação do mi­lho, afe­ta­do por in­tem­pé­ri­es es­te ano. Con­for­me a Co­nab, se­rão en­tre 89,73 mi­lhões e 91,08 mi­lhões de to­ne­la­das, an­te 80,79 mi­lhões em 2017/18 — o USDA projeta 94,5 mi­lhões.

Con­for­me Gu­e­des, do IBGE — que es­ti­ma avan­ço, mas me­nor —, a recuperação vi­rá na se­gun­da sa­fra. Cli­ma e pre­ços es­tão fa­vo­rá­veis pa­ra is­so, e a ja­ne­la de plan­tio de­ve­rá ser me­lhor apro­vei­ta­da, lem­bran­do que, es­te ano, a se­me­a­du­ra atra­sou por­que a co­lhei­ta de so­ja tam­bém de­mo­rou mais que o nor­mal.

DIR­CEU POR­TU­GAL/FOTOARENA/AGÊN­CIA O GLO­BO

Plan­tio de so­ja em ou­tu­bro na re­gião de Cam­po Mourão, no Pa­ra­ná: mais uma co­lhei­ta ro­bus­ta da ole­a­gi­no­sa em 2018/19

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.