BCE vê ris­co equi­li­bra­do

Valor Econômico - - FINANÇAS -

No bo­le­tim econô­mi­co pos­te­ri­or à reu­nião de ou­tu­bro, o Ban­co Cen­tral Eu­ro­peu (BCE) observa que as con­di­ções fi­nan­cei­ras glo­bais per­ma­ne­cem fa­vo­rá­veis às eco­no­mi­as avan­ça­das e, ao mes­mo tem­po, cri­am con­di­ções mais de­sa­fi­a­do­ras pa­ra as emer­gen­tes, em meio à pro­gres­são dos ju­ros no mun­do de­sen­vol­vi­do, es­pe­ci­al­men­te nos EUA, cu­ja pers­pec­ti­va econô­mi­ca per­ma­ne­ce “só­li­da”. Con­tu­do, os ris­cos à eco­no­mia mun­di­al ain­da são ne­ga­ti­vos, es­pe­ci­al­men­te os que di­zem res­pei­to a uma pos­sí­vel escalada das ten­sões co­mer­ci­ais. A ins­ti­tui­ção con­clui que “os ris­cos em tor­no da pers­pec­ti­va de cres­ci­men­to da zo­na do eu­ro es­tão re­la­ti­va­men­te equi­li­bra­dos”, em­bo­ra os “re­la­ci­o­na­dos ao pro­te­ci­o­nis­mo, a vul­ne­ra­bi­li­da­des nos mer­ca­dos emer­gen­tes e à vo­la­ti­li­da­de per­ma­ne­çam pro­e­mi­nen­tes”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.