FC VI­LA BOA DE QUIRES COM CON­TAS COM­PLI­CA­DAS

A Verdade - - PRIMEIRA PÁGINA -

FC PA­RA­DA, 2 – FC VI­LA BOA DE QUIRES, 0 Na se­gun­da di­vi­são, o FC Vi­la Boa de Quires es­tre­ou-se na pro­va a jo­gar fo­ra de ca­sa, dis­pu­tan­do a pri­mei­ra jor­na­da em Pa­ra­da, con­tra a equi­pa lo­cal. A equi­pa mar­co­en­se per­deu por du­as bo­las a ze­ro, con­tra a equi­pa ori­en­ta­da por Da­vid Bar­bo­sa, ex-téc­ni­co vi­la­bo­en­se, que con­si­de­rou “a vi­tó­ria jus­ta, pe­lo que a sua equi­pa fez na se­gun­da par­te”. O mes­mo foi re­fe­ri­do por Pe­dro Ri­bei­ro, trei­na­dor do Vi­la Boa de Quires, di­zen­do que “na se­gun­da par­te o ad­ver­sá­rio en­trou mais for­te, ti­ve­mos di­fi­cul­da­des, co­me­te­mos al­guns er­ros e foi fa­tal”. FC VI­LA BOA DE QUIRES, 0 - SOBREIRENSE, 0 Na se­gun­da jor­na­da e a jo­gar em ca­sa, o Vi­la Boa de Quires de­fron­tou o Sobreirense, nu­ma par­ti­da em que a equi­pa mar­co­en­se des­per­di­çou uma gran­de pe­na­li­da­de. “A equi­pa en­trou um pou­co an­si­o­sa nos mi­nu­tos ini­ci­ais da pri­mei­ra par­te. De­pois, foi-se equi­li­bran­do, tra­ba­lhou bem, foi agres­si­va e cri­a­mos vá­ri­as opor­tu­ni­da­des que fa­lha­mos na fi­na­li­za­ção”, sa­li­en­tou Pe­dro Ri­bei­ro.” Na se­gun­da par­te, o ad­ver­sá­rio equi­li­brou e foi um jo­go mais re­par­ti­do, mas nós não de­sis­ti­mos e ‘fo­mos à lu­ta’, ten­tan­do che­gar ao go­lo. Ti­ve­mos vá­ri­as opor­tu­ni­da­des, e de­pois já a aca­bar o jo­go, fa­lha­mos uma gran­de pe­na­li­da­de”, acres­cen­tou o trei­na­dor.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.