S. LOURENÇO DO DOU­RO COM NO­VA VI­TÓ­RIA

A Verdade - - PRIMEIRA PÁGINA -

TIRSENSE B, 3 - S. LOURENÇO DO DOU­RO, 3

Em San­to Tir­so, o S. Lourenço do Dou­ro ter­mi­nou o en­con­tro em­pa­ta­do. Foi um re­sul­ta­do que não dei­xa de ser po­si­ti­vo pa­ra a equi­pa mar­co­en­se, no en­tan­to, Sal­va­dor Rocha, téc­ni­co da equi­pa mar­co­en­se, re­fe­riu que “qu­em mar­ca três go­los fo­ra, nun­ca po­de per­der o jo­go”. Ain­da as­sim, dei­xou elo­gi­os à sua equi­pa, ten­do em con­ta a “for­ça” do ad­ver­sá­rio. “Tan­to uma equi­pa co­mo a ou­tra fi­ze­ram um fu­te­bol aber­to e, sin­ce­ra­men­te, con­tra uma equi­pa co­mo a do Tirsense mui­to for­te e com um fio de jo­go mui­to iden­ti­fi­ca­do, ti­ve­mos que ir ao en­con­tro do ad­ver­sá­rio pa­ra equi­li­brar as for­ças”, dis­se o téc­ni­co.

S. LOURENÇO DO DOU­RO, 4 - SC CAM­PO, 2

A jo­gar em casa o S. Lourenço do Dou­ro so­mou mais uma vi­tó­ria por qua­tro bo­as a du­as, so­bre a for­ma­ção do SC Cam­po. Foi uma vi­tó­ria que lhe per­mi­tiu subir mais uns lu­ga­res na ta­be­la, fi­can­do na quar­ta po­si­ção. “Nós con­se­gui­mos mar­car mais ce­do que o ad­ver­sá­rio e fi­ca­mos sa­tis­fei­tos, mas se pu­dés­se­mos evi­tar so­frer tan­tos go­los mais sa­tis­fei­tos fi­ca­ría­mos”, de­sen­vol­veu Sal­va­dor Rocha. O trei­na­dor ex­pli­cou ain­da que os dois go­los so­fri­dos se de­vem à ju­ven­tu­de e inex­pe­ri­ên­cia da equi­pa. “Por aca­so fo­ram dois go­los mui­to con­sen­ti­dos da nos­sa par­te, co­mo tem acon­te­ci­do, por for­ça da ju­ven­tu­de e de al­gu­ma inex­pe­ri­ên­cia, mas o im­por­tan­te foi nós ven­cer­mos e jun­tar mais três pon­tos. Ape­sar de ter si­do um jo­go mui­to es­qui­si­to, a vi­tó­ria foi in­tei­ra­men­te jus­ta”, re­ma­tou.

O S. Lourenço do Dou­ro na pró­xi­ma jor­na­da vai jo­gar a Ro­riz e en­con­tra-se em 5º lu­gar da ta­be­la clas­si­fi­ca­ti­va.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.