ELMIRA NE­TO

A Verdade - - PRIMEIRA PÁGINA -

Com a che­ga­da do in­ver­no e as mu­dan­ças cli­má­ti­cas sur­gem fre­quen­te­men­te as in­fe­ções res­pi­ra­tó­ri­as agu­di­za­das em po­pu­la­ção de ris­co.

Fa­lar so­bre re­a­bi­li­ta­ção res­pi­ra­tó­ria ago­ra e nes­ta po­pu­la­ção tor­na-se im­por­tan­te para a sua edu­ca­ção e pre­ven­ção.

Até que pon­to o do­en­te po­de e de­ve par­ti­ci­par no seu pro­gra­ma de re­a­bi­li­ta­ção?

O sin­to­ma que le­va a in­ca­pa­ci­da­de do in­di­vi­duo por­ta­dor de do­en­ça res­pi­ra­tó­ria cró­ni­ca é a disp­neia (fal­ta de ar) cau­sa­da pe­la al­te­ra­ção da fun­ção pul­mo­nar.

Com a evo­lu­ção da do­en­ça res­pi­ra­tó­ria, há um au­men­to da sen­sa­ção de disp­neia e o do­en­te co­me­ça a pri­var-se de re­a­li­zar es­for­ços fí­si­cos, se­ja pelo me­do do agra­va­men­to do sin­to­ma, se­ja pe­la pró­pria li­mi­ta­ção fí­si­ca, o que le­va ao se­den­ta­ris­mo.

A re­a­bi­li­ta­ção res­pi­ra­tó­ria nes­tes do­en­tes não mu­da a fun­ção res­pi­ra­tó­ria; no en­tan­to, me­lho­ra as al­te­ra­ções mus­cu­la­res e re­duz a sen­sa­ção de disp­neia de es­for­ço.

O do­en­te re­ce­be tra­ta­men­to in­di­vi­du­a­li­za­do com o objetivo de re­du­zir os sin­to­mas, op­ti­mi­zar a ca­pa­ci­da­de fun­ci­o­nal, au­men­tar a sua par­ti­ci­pa­ção so­ci­al e re­du­zir os cus­tos re­la­ci­o­na­dos com os cui­da­dos de saú­de, por meio da es­ta­bi­li­za­ção ou da re­du­ção das ma­ni­fes­ta­ções sis­té­mi­cas da do­en­ça.

Um pro­gra­ma de re­a­bi­li­ta­ção res­pi­ra­tó­ria ofe­re­ce um ar­se­nal de cui­da­dos, co­mo con­tro­lo clí­ni­co e su­por­te nu­tri­ci­o­nal, psi­co­ló­gi­co e edu­ca­ci­o­nal, as­sim co­mo re­con­di­ci­o­na­men­to fí­si­co, ca­pa­ci­tan­do o do­en­te com su­ces­so para a re­a­li­za­ção das su­as ati­vi­da­des da vi­da diá­ria, acei­tan­do e res­pei­tan­do a sua con­di­ção res­pi­ra­tó­ria.

Atu­al­men­te a re­a­bi­li­ta­ção res­pi­ra­tó­ria es­tá in­di­ca­da pre­co­ce­men­te nas do­en­ças pul­mo­na­res em es­ta­do agu­do, nas exa­cer­ba­ções da do­en­ça pul­mo­nar cró­ni­ca obs­tru­ti­va (DPOC) e ou­tras si­tu­a­ções crí­ti­cas.

A re­a­bi­li­ta­ção res­pi­ra­tó­ria po­de ser re­a­li­za­da em do­en­tes hos­pi­ta­li­za­dos, em am­bu­la­tó­rio ou no do­mi­cí­lio.

Os prin­ci­pais re­sul­ta­dos al­can­ça­dos com es­tes pro­gra­mas são: me­lho­ria da qua­li­da­de de vi­da, au­men­to do tem­po gas­to em ati­vi­da­des do quo­ti­di­a­no, di­mi­nui­ção da disp­neia e mai­or to­le­rân­cia ao exer­cí­cio.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.