ALFA ROMEO STELVIO QUADRIFOGLIO

So­bre­tu­do pe­lo di­na­mis­mo, mas tam­bém pe­la pu­jan­ça me­câ­ni­ca de­mo­li­do­ra, o no­vo pon­ta-de-lan­ça de Are­se não pa­re­ce um to­do-o-ter­re­no… em­bo­ra na ver­da­de o se­ja.

Altagama Motor (Portugal) - - Sumário - Edu­ar­do Ca­no / Ber­nar­do Gon­za­lez

É ver­são mais sel­va­gem do Stelvio, que par­ti­lha o chas­sis, o mo­tor e o es­pí­ri­to do seu ir­mão Giu­lia Quadrifoglio. São ‘só’ 510 CV de pu­ra adre­na­li­na

É evi­den­te­men­te uma ver­são cri­a­da pa­ra o as­fal­to, com pneus de bai­xo per­fil e sus­pen­são de afin­ção mais fir­me

Já há al­gum tem­po que a Alfa Romeo tem vin­do a fa­zer os tra­ba­lhos de ca­sa. Pri­mei­ro, com a ber­li­na Giu­lia, ca­paz de com­bi­nar qua­li­da­de, com­por­ta­men­to di­nâ­mi­co ca­ti­van­te e con­for­to num con­jun­to de apu­ra­do sen­ti­do prá­ti­co. E, de­pois, com o seu ir­mão Stelvio, que lo­go na es­treia na clas­se SUV evi­den­ci­ou atri­bu­tos ca­pa­zes de om­bre­ar com os me­lho­res, no­me­a­da­men­te os mo­de­los ger­mâ­ni­cos. O Stelvio re­ce­be ago­ra a sua ver­são mais pi­can­te, que tem o se­lo des­por­ti­vo que o cons­tru­tor tran­sal­pi­no de­tém des­de 1923: o Quadrifoglio. Es­te mo­de­lo tem a mes­ma es­sên­cia, a mes­ma al­ma me­câ­ni­ca e tam­bém a mes­ma pla­ta­for­ma do Giu­lia Quadrifoglio. Mas va­mos por par­tes: me­de 4,76 m de com­pri­men­to, 2,16 m de lar­gu­ra – com re­tro­vi­so­res in­cluí­dos – e uma al­tu­ra ajus­ta­da de 1,68 m; é um veí­cu­lo le­ve den­tro da sua ca­te­go­ria, com uma ta­ra de apro­xi­ma­da- mente 1.900 kg. Pa­ra equi­li­brar as coi­sas, o fa­bri­can­te de­fi­niu uma dis­tri­bui­ção de pe­so per­fei­ta, de 50% por ei­xo.

Vo­ca­ção evi­den­te

Dei­xan­do de la­do a for­te cor ex­te­ri­or, que não re­sul­ta es­tri­den­te em re­la­ção aos res­tan­tes mo­de­los da ga­ma, o no­vo Stelvio Quadrifoglio ca­rac­te­ri­za-se por apên­di­ces ae­ro­di­nâ­mi­cos ex­ter­nos (sai­as, ar­cos de ro­da, etc.), bo­ni­tas jan­tes pre­tas de 20 po­le­ga­das que dei­xam vis­lum­brar dis­cos de tra­vão car­bo­ce­râ­mi­cos – com op­ção de ma­xi­las ver­me­lhas, 17 kg mais le­ves que as de fer­ro – e pneus de bai­xo per­fil, sen­do 255/45 à fren­te e 288/40 atrás.

As gre­lhas do ca­pot pa­ra re­fri­ge­rar a me­câ­ni­ca sur­pre­en­dem, e, na tra­sei­ra, so­bres­sa­em as qua­tro saí­das de es­ca­pe que flan­quei­am o di­fu­sor ne­gro.

No in­te­ri­or, des­ta­cam-se as bac­quets ex­clu­si­vas re­ves­ti­das em cou­ro e Al­can­ta­ra, o pai­nel de ins­tru­men­tos par­ci­al­men­te co­ber­to de cou­ro pes­pon­ta­do – com op­ção de cos­tu­ras de du­plo tom – e as mol­du­ras em car­bo­no ge­nuí­no. Os aca­ba­men­tos são re­quin­ta­dos e bem es­me­ra­dos, tal­vez não exa­ta­men­te ao ní­vel da con­cor­rên­cia ale­mã, mas es­tão num pa­ta­mar ele­va­do e do me­lhor que a mar­ca ita­li­a­na al­gu­ma vez con­se­guiu apre­sen­tar.

A ba­ga­gei­ra tem uma ca­pa­ci­da­de de 525 li­tros, mas es­te nú­me­ro po­de au­men­tar até uns avan­ta­ja­dos 1.600 li­tros com os ban­cos tra­sei­ros re­ba­ti­dos em sec­ções 40/20/40. Nes­se ca­so, a ha­bi­ta­bi­li­da­de é ra­zoá­vel pa­ra qua­tro adul­tos e, so­bre­tu­do atrás, dis­põe de lar­gu­ra e área pa­ra jo­e­lhos ade­qua­da sem ser vas­ta­men­te ge­ne­ro­so.

Em com­pa­ra­ção com ri­vais co­mo o AMG GLC 63 S 4MATIC, que cus­ta 125.700€, o seu equi­pa­men­to de sé­rie bri­lha: fa­róis bi-xé­non di­re­ci­o­nais – não são LED –, co­nec­ti­vi­da­de

Alfa Con­nect 3D NAV num ecrã de 8,8 po­le­ga­das com An­droid Au­to e Ap­ple Car Play, Key­less En­try, cli­ma­ti­za­ção com sen­so­res de qua­li­da­de de ar, vo­lan­te com bo­tão de ar­ran­que (ver­me­lho e ex­clu­si­vo des­ta ver­são, em­bo­ra ha­ja cli­en­tes que o te­nham so­li­ci­ta­do nou­tros mo­de­los Stelvio), sen­so­res de es­ta­ci­o­na­men­to e ain­da câ­ma­ra tra­sei­ra…

No en­tan­to, os pre­di­ca­dos do Stelvio Quadrifoglio são ou­tros. Fo­ca-se, por exem­plo, nos 176 Cv/li­tro que de­bi­ta o seu mo­tor a ga­so­li­na 2.9 V6 bi­tur­bo (510 CV e 600 N.m) e na me­lhor re­la­ção pe­so/po­tên­cia do seg­men­to: 3,6 kg/cv. Pa­ra al­can­çá-lo, foi im­por­tan­te o em­pre­go do alu­mí­nio – mo­tor, sus­pen­sões e tra­vões, as­sim co­mo por­tas, ar­cos das ro­das e ca­pot – e da fi­bra de car­bo­no no veio de trans­mis­são.

Re­a­ti­vo e… vi­ci­an­te

Na es­tra­da, es­ta ver­são des­ta­ca-se pe­la agi­li­da­de. A di­re­ção é di­re­ta e mui­to rá­pi­da, tal co­mo já acon­te­ce com o Giu­lia e res­tan­te ga­ma Stelvio, com pou­co mais de du­as vol­tas de vo­lan­te en­tre to­pos (12,1 me­tros são o di­â­me­tro de vi­ra­gem). É tão rá­pi­da que obri­ga a um pe­río­do de adap­ta­ção, e bas­ta apon­tar pa­ra que a fren­te se ins­cre­va com con­vic­ção e com is­so de­li­ne­ar tra­je­tó­ri­as per­fei­tas.

A res­pos­ta do pe­dal de tra­vão tam­bém é ime­di­a­ta e re­si­li­en­te, gra­ças aos dis­cos car­bo­ce­râ­mi­cos. Do mes­mo mo­do, a sus­pen­são é mui­to fir­me e é no­tó­rio o con­tro­lo que pro­por­ci­o­na nas trans­fe­rên­ci­as de mas­sa,

O ex­te­ri­or re­al­ça o seu ca­rá­ter des­por­ti­vo, mas não se tor­na es­tri­den­te

pois pe­ran­te re­pe­ti­das tro­cas de apoio, so­bre­tu­do as mais brus­cas, es­te Stelvio mos­tra-se mui­to con­sis­ten­te, re­ve­lan­do o com­por­ta­men­to tí­pi­co de um tu­ris­mo de ca­rá­ter des­por­ti­vo e não de um SUV.

Vol­tan­do ao mo­tor, tem som de Fer­ra­ri (e não é por aca­so…), pois des­de os bai­xos re­gi­mes que tem mui­ta pu­jan­ça – mé­ri­to do bi­ná­rio má­xi­mo às 2.500 rpm e cons­tan­te até às 5.000 rpm. Con­ta com o con­tri­bu­to da cai­xa au- to­má­ti­ca ZF de oi­to ve­lo­ci­da­des pa­ra fa­zer ‘fluir’ a po­tên­cia, as­sim co­mo do se­le­tor DNA Pro. O ca­rá­ter al­te­ra-se em fun­ção do mo­do de con­du­ção se­le­ci­o­na­do, sen­do o pro­gra­ma Dy­na­mic aque­le em que es­te Quadrifoglio mais re­ve­la a sua com­pe­tên­cia. Apre­sen­ta ain­da o mo­do Ra­ce, que de­sa­ti­va as aju­das ele­tró­ni­cas e po­ten­cia a agi­li­da­de do chas­sis, gra­ças, tam­bém, à atu­a­ção do sis­te­ma de tra­ção to­tal Q4, que trans­mi­te mai­or per­cen­ta­gem de po­tên­cia ao ei­xo tra­sei­ro. Em­bo­ra tam­bém im­pres­si­o­nem, tal­vez o me­nos re­le­van­te des­te con­jun­to se­jam as pres­ta­ções, que são de elei­ção: 283 km/h de ve­lo­ci­da­de má­xi­ma e uma ace­le­ra­ção de 0 aos 100 km/h em so­men­te 3,8 se­gun­dos.

Quan­to a con­su­mos, a Alfa anun­cia 9 l/100 km, mas com ré­dea lar­ga as mé­di­as che­gam aos 20 li­tros, o que fa­rá com que o de­pó­si­to de ape­nas 64 li­tros se pa­re­ça… com uma co­lher.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.