RENAULT SYMBIOZ

A Renault pro­je­ta um ce­ná­rio fu­tu­ris­ta, no qual o veí­cu­lo não só se tor­na uma ex­ten­são da ca­sa co­mo pas­sa a fa­zer par­te de­la. Quer sa­ber co­mo? A res­pos­ta es­tá nes­te Symbioz.

Altagama Motor (Portugal) - - Sumário - Ka­ram el She­nawy

A mar­ca fran­ce­sa pre­vê que os car­ros, mais do que fa­zer par­te da nos­sa vi­da, irão fa­zer par­te da nos­sa ca­sa. O Symbioz é uma vi­são de um fu­tu­ro não lon­gín­quo

Ima­gi­ne po­der le­var o seu quar­to pa­ra qual­quer par­te do mun­do sem ser pre­ci­so con­du­zir uma enor­me ca­ra­va­na… E pa­ra com­pli­car ain­da mais os seus pen­sa­men­tos, ima­gi­ne que nem se­quer se­ria ne­ces­sá­rio con­du­zi-la. Tal­vez se­ja mui­to… fu­tu­ris­ta, mas é al­go des­te gé­ne­ro que a Renault pla­neia tor­nar re­a­li­da­de até ao ano de 2030.

O pri­mei­ro pas­so é es­te pro­tó­ti­po. Ba­ti­za­do de Symbioz, me­de 4,70 m de com­pri­men­to, 1,98 m de lar­gu­ra e 1,35 m de al­tu­ra, ten­do si­do fei­to com o in­tui­to de ser uma ha­bi­ta­ção mó­vel. A ideia é que pos­sa trans­por­tar, no car­ro, uma par­te da sua ca­sa. E, pa­ra con­se­gui-lo, é in­dis­pen­sá­vel que te­nha uma mo­ra­dia com jar­dim e não um apar­ta­men­to...

Os cri­a­ti­vos da Renault su­ge­rem uma ca­sa de 120 m2, do ti­po open spa­ce, pa­ra que o car­ro en­cai­xe na per­fei­ção. O ob­je­ti­vo é in­te­grar o veí­cu­lo na ca­sa, se­ja co­mo es­pa­ço aber­to, se­ja pa­ra pro­por­ci­o­nar um lu­gar de pri­va­ci­da­de. Atra­vés de um ele­va­dor in­ter­no se­rá pos­sí­vel es­ta­ci­o­ná-lo no ter­ra­ço de ca­sa, pa­ra des­fru­tá-lo em di­as de bom tem­po. Pa­ra que a sim­bi­o­se se­ja ab­so­lu­ta, es­te mo­de­lo es­tá co­nec­ta­do à do­mó­ti­ca do­més­ti­ca, sin­cro­ni­zan­do as câ­ma­ras de entrada, pro­gra­man­do os ele­tro­do­més­ti­cos e par­ti­lhan­do o sis­te­ma mul­ti­mé­dia.

Dei­xan­do de la­do os gos­tos es­té­ti­cos, a si­lhu­e­ta do Symbioz é com­pos­ta por uma car­ro­ça­ria fei­ta em fi­bra de car­bo­no, com uma am­pla su­per­fí­cie vi­dra­da e por­tas de aber­tu­ra ti­po asas de gai­vo­ta, o que com­ple­men­ta a su­pres­são do pi­lar B pa­ra ofe­re­cer um aces­so fa­ci­li­ta­do ao ha­bi­tá­cu­lo.

Or­dem pa­ra des­can­sar

A con­fi­gu­ra­ção in­te­ri­or es­tá con­ce­bi­da pa­ra qua­tro pes­so­as,

O Symbioz es­tá in­te­gra­do na do­mó­ti­ca do­més­ti­ca e per­mi­te pro­gra­mar os ele­tro­do­més­ti­cos, en­tre ou­tras fun­ci­o­na­li­da­des

dis­tri­buí­das por lu­ga­res in­di­vi­du­ais que re­ce­bem os pas­sa­gei­ros ao aci­o­nar o me­ca­nis­mo de aber­tu­ra. Uma vez aco­mo­da­dos, é pos­sí­vel es­co­lher en­tre du­as op­ções: con­du­zir ou dei­xar-se le­var. Sim, por­que co­mo bom concept car, o Symbioz in­clui sis­te­ma de trans­por­te au­tó­no­mo de ní­vel 4, sen­do pos­sí­vel cir­cu­lar sem su­per­vi­são hu­ma­na. Se op­tar por ati­vá-lo, os pe­dais e o vo­lan­te re­co­lhem, os ban­cos ado­tam uma con­fi­gu­ra­ção mais con­for­tá­vel e o ecrã cur­vo de tec­no­lo­gia OLED, com 80 cm de lar­gu­ra – que ha­bi­tu­al­men­te ser­ve de pai­nel de ins­tru­men­tos –, con­ver­te-se em te­le­vi­sor. No ca­so de vi­a­jar acom­pa­nha­do e de que­rer des­fru­tar de uma con­ver­sa a qua­tro, os lu­ga­res di­an­tei­ros po­dem ro­dar pa­ra for­mar uma pe­que­na sa­la de es­tar, não fal­tan­do uma me­sa de már­mo­re des­do­brá­vel a meio.

Se, por ou­tro la­do, pre­fe­re des­can­sar, o Symbioz dis­põe de um mo­do de­no­mi­na­do Alo­ne@ Ho­me, on­de to­dos os ele­men­tos se re­co­lhem, até a con­so­la, au­men­tan­do o es­pa­ço dis­po­ní­vel. Exis­tem mais dois pro­gra­mas: Re­lax, que in­cli­na os as cos­tas dos ban­cos, e Sha­ring, que os faz ro­dar 15 graus e os apro­xi­ma pa­ra jun­tar os ocu­pan­tes.

Pa­ra quem pre­fe­re to­mar as ré­de­as da con­du­ção, o Symbioz ofe­re­ce os mo­dos Clas­sic – que au­men­ta o con­for­to – e Dy­na­mic, que afi­na os pa­râ­me­tros da me­câ­ni­ca, co­mo a di­re­ção,

Exis­tem múl­ti­plas con­fi­gu­ra­ções in­ter­nas que se ade­quam ao mo­men­to e ao con­su­mi­dor

chas­sis, mo­tor e ain­da o ajus­te do ban­co, tu­do pa­ra uma pos­tu­ra mais des­por­ti­va.

E é nes­te ce­ná­rio que po­de­mos des­fru­tar em ple­no da pro­pul­são elé­tri­ca pro­pos­ta pe­la Renault. No to­tal ge­ra 671 CV atra­vés de dois motores que per­mi­tem ao Symbioz ace­le­rar de 0 a 100 km/h em me­nos de seis se­gun­dos. Quan­to à au­to­no­mia, a mar­ca fran­ce­sa ga­ran­te que o ren­di­men­to e a ca­pa­ci­da­de das su­as ba­te­ri­as vão au­men­tar de for­ma ex­po­nen­ci­al nos pró­xi­mos 13 anos. Nes­te mo­men­to, os seus 72 kwh pro­me­tem uma vi­a­gem de 500 km sem ne­ces­si­da­de de pro­ce­der a um re­car­re­ga­men­to. E po­de­rá re­car­re­gar 80 por cen­to da ba­te­ria em ape­nas 20 mi­nu­tos, sem ne­ces­si­da­de de ca­bos ao fa­zê-lo por in­du­ção.

O Symbioz foi ide­a­li­za­do pa­ra se in­te­grar to­tal­men­te com a ca­sa O design do Symbioz es­tá con­di­ci­o­na­do pe­lo seu ha­bi­tá­cu­lo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.