KIA Sto­nic vs. SEAT Aro­na

Já nin­guém du­vi­da que os cros­so­ver são uma mo­da que veio pa­ra fi­car. As du­as mais re­cen­tes pro­pos­tas des­ta clas­se con­fron­tam for­mas di­fe­ren­tes de ser jo­vem e ir­re­ve­ren­te.

Altagama Motor (Portugal) - - Sumário - Pe­dro Do­min­gues Pau­lo Ca­lis­to

Ae­le­va­da po­pu­la­ri­da­de dos cros­so­ver/ SUV as­su­miu ta­ma­nha re­le­vân­cia que a vas­ta mai­o­ria dos cons­tru­to­res con­ta atu­al­men­te com pe­lo me­nos uma pro­pos­ta des­te gé­ne­ro na sua ga­ma, in­clu­si­ve mar­cas que nun­ca ima­gi­ná­mos a pro­du­zi-los, co­mo a Ben­tley, por exem­plo. Mas quem não dis­põe do po­der eco­nó­mi­co pa­ra al­can­çar es­sas pro­pos­tas mais eli­tis­tas con­ta, igual­men­te, com um am­plo le­que de mo­de­los à es­co­lha. Pa­ra os mais jo­vens – de ida­de e de es­pí­ri­to – exis­tem pro­pos­tas mais le­ves fi­nan­cei­ra­men­te mas, nem por is­so, me­nos ex­clu­si­vas ou in­di­vi­dua- lis­tas. KIA Sto­nic e SEAT Aro­na re­pre­sen­tam du­as das mais re­cen­tes op­ções nes­te cam­po e apre­sen­tam du­as fi­lo­so­fi­as dis­tin­tas, ape­sar de se­rem con­cor­ren­tes di­re­tos.

Oci­den­te vs. ori­en­te

Quan­do ob­ser­va­mos o Aro­na es­te iden­ti­fi­ca-se ime­di­a­ta­men­te co­mo um SEAT sem, con­tu­do, ser uma ver­são à es­ca­la de um Ibi­za ou um Le­on. Pos­sui um es­ti­lo mui­to pró­prio e des­ta­ca­se pe­la sua al­tu­ra e dis­tân­cia ao so­lo, trans­mi­tin­do a ima­gem de um pe­que­no TT. A pin­tu­ra bi­co­lor é de sé­rie nes­ta ver­são FR, sen­do que o te­ja­di­lho po­de ser cin­zen­to – co­mo

na uni­da­de en­sai­a­da – pre­to ou la­ran­ja, e con­fe­re uma dis­tin­ção adi­ci­o­nal a es­te mo­de­lo, ca­san­do bem com o seu vi­su­al mo­der­no mas não exu­be­ran­te.

Já o KIA Sto­nic apre­sen­ta uma pos­tu­ra mais di­nâ­mi­ca, um per­fil mais com­pa­rá­vel a um ‘nor­mal’ cin­co por­tas. Em vez de um pe­que­no TT, o KIA as­se­me­lha-se mais a um ‘car­ro al­to’. Quer a sua al­tu­ra, quer a dis­tân­cia ao so­lo são in­fe­ri­o­res às do seu ri­val es­pa­nhol e os seus guar­da-la­mas abau­la­dos fa­zem o Sto­nic pa­re­cer mais lar­go do que efe­ti­va­men­te é, sen­do 2 cm mais es­trei­to que o Aro­na. O mo­de­lo co­re­a­no tam­bém se­gue a atu­al lin­gua­gem es­ti­lís­ti­ca da mar­ca que re­pre­sen­ta mas, nes­te ca­so, is­so sig­ni­fi­ca um vi­su­al al­go mais ou­sa­do que o Aro­na. A pin­tu­ra bi­co­lor tam­bém se en­con­tra dis­po­ní­vel sen­do, no en­tan­to, um opcional de 500€. As di­fe­ren­ças en­tre am­bos não se fi­cam pe­la es­té­ti­ca. Es­ten­dem-se às res­pe­ti­vas per­so­na­li­da­des e ao que ofe­re­cem aos seus uti­li­za­do­res. Is­so tor­na-se ain­da mais evi­den­te as­sim que en­tra­mos nos res­pe­ti­vos ha­bi­tá­cu­los.

O SEAT Aro­na apre­sen­ta um in­te­ri­or mais am­plo, com co­tas su­pe­ri­o­res em to­das as di­men­sões. Cu­ri­o­sa­men­te, o Sto­nic apa­ren­ta ser mais lar­go, por­ven­tu­ra de­vi­do à uti­li­za­ção de co­res mais cla­ras no seu in­te­ri­or, mas a van­ta­gem em ter­mos de es­pa­ço pa­ra a ca­be­ça é cla­ra­men­te do mo­de­lo es­pa­nhol. No SEAT, va­mos sem­pre sen­ta­dos num pa­ta­mar mais ele­va­do, mes­mo com o as­sen­to na po­si­ção mais bai­xa. Pa­ra quem gos­ta de ter um pon­to de vis­ta mais ele­va­do é ide­al, en­quan­to o KIA agra­da a quem pre­fe­re uma pos­tu­ra mais des­por­ti­va, di­ga­mos. Es­tas ca­rac­te­rís­ti­cas es­ten­dem-se aos pas­sa­gei­ros dos lu­ga­res pos­te­ri­o­res, com os ocu­pan­tes do Aro­na a sen­ta­rem-se num pla­no mais ele­va­do. Iro­ni­ca­men­te, o Sto­nic apre­sen­ta um pla­no de car­ga da ba­ga­gei­ra mais ele­va­do e nem o fac­to de a mes­ma ser

fun­da evi­ta que fi­que atrás do SEAT em ter­mos de ca­pa­ci­da­de, ao apre­sen­tar 332 li­tros con­tra 400 do Aro­na. On­de am­bos se equi­pa­ram é na qua­li­da­de dos ma­te­ri­ais uti­li­za­dos, re­cor­ren­do tan­to um co­mo ou­tro a plás­ti­cos al­go du­ros, mas com uma mon­ta­gem que ins­pi­ra ro­bus­tez – em­bo­ra o SEAT pa­re­ça uns pon­tos aci­ma nes­te par­ti­cu­lar. Além dis­so, o mo­de­lo his­pâ­ni­co apre­sen­ta a par­te cen­tral do ta­bli­er com uma fai­xa em pe­le, mais agra­dá­vel que o plás­ti­co cin­zen­to do KIA, mas am­bos apre­sen­tam-se li­vres de ruí­dos pa­ra­si- tas, mes­mo em es­tra­das mais de­gra­da­das. Há, con­tu­do, al­gu­mas pe­que­nas fa­lhas, de es­tra­nhar nos di­as que cor­rem, nes­tes dois mo­de­los: no SEAT no­ta-se a au­sên­cia de pe­gas por ci­ma das por­tas e de uma luz de lei­tu­ra/cor­te­sia pa­ra os lu­ga­res pos­te­ri­o­res. Já no KIA, ape­sar de con­tar com qua­tro vi­dros elé­tri­cos, ape­nas o do con­du­tor con­ta com fun­ção au­to­má­ti­ca, en­quan­to os co­man­dos dos re­tro­vi­so­res elé­tri­cos não têm ilu­mi­na­ção – ape­sar de es­ta­rem jun­to aos dos vi­dros, que são ilu­mi­na­dos – obri­gan­do-nos a ta­te­ar com os de­dos quan­do que­re­mos re­co­lher os re­tro­vi­so­res à noi­te.

Dois ‘meio-v6’

Em so­lo na­ci­o­nal as mo­to­ri­za­ções Di­e­sel são, des­de há mui­to, a gran­de pre­fe­rên­cia dos com­pra­do­res. Con­tu­do, a ten­dên­cia da in­dús­tria – e por for­ça das le­gis­la­ções que vão en­tran­do em vi­gor – é de uma gra­du­al per­da de in­te­res­se nes­te de ti­po de pro­pul­so­res. Le­van­do is­so em con­ta, es­co­lhe­mos uni­da­des a ga­so­li­na, com três ci­lin­dros, um li­tro de ca­pa­ci­da­de e tur­bo­com­pres­sor. Ten­do em con­ta que, mai­o­ri­ta- ri­a­men­te, es­tes cros­so­ver se­rão uti­li­za­dos em am­bi­en­te ur­ba­no e/ou pe­que­nas des­lo­ca­ções, es­te ti­po de mo­to­ri­za­ção pro­por­ci­o­na um bom de­sem­pe­nho ali­a­do a con­su­mos mo­de­ra­da­men­te atra­en­tes.

Em ter­mos de ren­di­men­to am­bos es­tão mui­to pró­xi­mos, com 115 CV pa­ra o Aro­na e 120 CV pa­ra o Sto­nic, em­bo­ra em ter­mos de uti­li­za­ção apre­sen­tem fei­ti­os di­fe­ren­tes. O SEAT va­le-se dos seus per­fis de con­du­ção – Eco, Nor­mal, Sport e um per­fil con­fi­gu­rá­vel – pa­ra apre­sen­tar uma múl­ti­pla per­so­na­li­da­de

O ‘nos­so’ Sto­nic era to­tal­men­te bran­co, mas em op­ção (500€) po­de re­ce­ber pin­tu­ra bi­co­lor

O ta­bli­er do Sto­nic apre­sen­ta um de­se­nho me­nos flui­do, com o ecrã mul­ti­mé­dia bem po­si­ci­o­na­do

de acor­do com os de­se­jos do con­du­tor. Es­tes per­fis al­te­ram a res­pos­ta do mo­tor às so­li­ci­ta­ções do ace­le­ra­dor e o pe­so da di­re­ção, sen­do que co­me­ça por ser mais ‘pre­gui­ço­so’ mas pou­co gu­lo­so no mo­do Eco, pa­ra ga­nhar uma res­pos­ta mais pu­jan­te no mo­do Sport. Aqui, os con­su­mos na­tu­ral­men­te res­sen­tem-se um pou­co – a mé­dia to­tal do ensaio foi de 6,1 l/100 km – mas a res­pos­ta do tri­ci­lín­dri­co es­pa­nhol ga­nha no­vo ful­gor, prin­ci­pal­men­te as­sim que ul­tra­pas­sa­mos as 2.000 rpm, em­bo­ra já pos­suin­do uma res­pos­ta ra­zoá­vel per­to das 1.500 rpm. A cai­xa ma­nu­al de seis ve­lo­ci­da­des apre­sen­ta um ex­ce­len­te ta­to, sen­do pre­ci­so e su­a­ve de ope­rar. Faz-nos sen­tir re­al­men­te a in­te­ra­gir com a me­câ­ni­ca e não ape­nas uma for­ma ar­ti­fi­ci­al de pas­sar de re­la­ção. É uma ex­ce­len­te ali­a­da pa­ra man­ter rit­mos vi­vos ‘na­que­la’ es­tra­da, em­bo­ra a sus­pen­são do Aro­na es­te­ja mais vi­ra­da pa­ra o con­for­to, per­mi­tin­do al­gum ador­nar da car­ro­ça­ria em cur­va, al­go que tam­bém se de­ve à tal su­pe­ri­or al­tu­ra da car­ro­ça­ria e dis­tân­cia ao so­lo.

E é aqui que as di­men­sões mais con­ti­das do KIA Sto­nic ga­nham van­ta­gem, con­di­zen­do com a sua ima­gem mais di­nâ­mi­ca. Sen­do mais bai­xo, o Sto­nic pos­sui um cen­tro de gra­vi­da­de igual­men­te mais per­to do so­lo o que, ali­a­do a uma sus­pen­são li­gei­ra­men­te mais fir­me e um pe­so in­fe­ri­or, pro­pi­ci­am um com­por­ta­men­to mais des­por­ti­vo, sen­do mais di­ver­ti­do de con­du­zir de­pres­sa e apre­sen­tan­do um ro­la­men­to da car­ro­ça­ria em cur­va mais re­du­zi­do. O mo­de­lo co­re­a­no não apre­sen­ta os qua­tro per­fis de con­du­ção do SEAT mas, em com­pen­sa­ção, es­tá sem­pre pron­to pa­ra a ação. Tal co­mo o seu ri­val, o KIA pos­sui uma cai­xa ma­nu­al de seis ve­lo­ci­da­des bas­tan­te su­a­ve na sua uti­li­za­ção e que ex­plo­ra bem as po­ten­ci­a­li­da­des do seu mo­tor. Cla­ro que es­ta ener­gia pa­ga-se nos pos­tos de abas­te­ci­men­to e ob­ti­ve­mos uma mé­dia to­tal

nes­te ensaio de 6,4 l/100 km, ain­da as­sim não mui­to lon­ge do Aro­na.

Em­pa­te téc­ni­co

Atu­al­men­te, a tec­no­lo­gia ten­de a in­flu­en­ci­ar to­dos os cam­pos das nos­sas vi­das, e os au­to­mó­veis não es­ca­pam a es­ta ten­dên­cia, es­tan­do ca­da vez mais re­che­a­dos de gad­gets, quer de se­gu­ran­ça ati­va, quer de en­tre­te­ni­men­to. Nes­te cam­po am­bos os mo­de­los ba­tem-se com ar­mas pra­ti­ca­men­te idên­ti­cas, so­bre­tu­do da­do que mui­tos equi­pa­men­tos es­tão a ge­ne­ra­li­zar-se nos au­to­mó­veis no­vos.

A ní­vel de se­gu­ran­ça ati­va, am­bos con­tam com crui­se con­trol adap­ta­ti­vo com ra­dar di­an­tei­ro, e sis­te­ma de aler­ta de fa­di­ga do con­du­tor, mas en­quan­to es­te equi­pa­men­to equi­pa de ori­gem o SEAT Aro­na FR e no KIA Sto­nic TX é um opcional com um custo de 500€. Já no que to­ca à co­ne­ti­vi­da­de e mul­ti­mé­dia, am­bos apre­sen­tam o An­droid Au­to e Ap­ple Car­play, en­quan­to o KIA que le­va van­ta­gem ao dis­po­ni­bi­li­zar na­ve­ga­ção de ori­gem, com Li­ve Ser­vi­ces da Tom­tom – re­que­rem co­ne­ti­vi­da­de a um smartpho­ne com pa­co­te de da­dos – al­go que no SEAT es­tá dis­po­ní­vel co­mo op­ção no Pa­co­te Con­nec­ti­vity Plus, que im­pli­ca um custo de 500€. Além des­tes itens, am­bos dis­po­ni­bi­li­zam as já nor­mais en­tra­das USB e AUX, as­sim co­mo to­ma­da de 12V.

On­de o KIA cla­ra­men­te su­pe­ra o seu ri­val de oca­sião é no pre­ço e nas ga­ran­ti­as ofe­re­ci­das. O KIA Sto­nic 1.0 TX aqui en­sai­a­do apre­sen­ta um pre­ço de 22.722€ aos quais há a de­du­zir 3.200€ de ofer­ta de lan­ça­men­to, fi­can­do o custo fi­nal em 19.522€. A ga­ran­tia ge­ral é de 7 anos ou 150.000 km, sen­do com­ple­men­ta­da com 5 anos pa­ra a pin­tu­ra e 12 de an­ti-cor­ro­são. Já o SEAT Aro­na 1.0 FR or­ça em 23.120€ e, em ter­mos de ga­ran­tia ge­ral, ofe­re­ce 2+2 anos ou 80.000 km, 3 anos pa­ra a pin­tu­ra e 12 de an­ti-cor­ro­são.

A pin­tu­ra bi­co­lor é de ori­gem na ver­são FR. O fri­so cro­ma­do es­tá sem­pre pre­sen­te

O ta­bli­er apre­sen­ta um design mais flui­do e com um to­que de clas­se, de­vi­do à fai­xa em pe­le na zo­na cen­tral do mes­mo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.