MERCEDES CLAS­SE G

O 4x4 por ex­ce­lên­cia da Mercedes-benz apre­sen­ta li­gei­ras al­te­ra­ções es­té­ti­cas pa­ra não se des­vi­ar mui­to das su­as ori­gens e não de­si­lu­dir os fãs in­con­di­ci­o­nais des­te mo­de­lo. As gran­des al­te­ra­ções cen­tram-se na tec­no­lo­gia, fo­ca­da na se­gu­ran­ça, no con­for­to e

Altagama Motor (Portugal) - - Sumário - Gre­go­rio Ar­royo / Ber­nar­do Gon­za­lez

Qu­an­do pen­sou em re­no­var o seu icó­ni­co Clas­se G, a Mercedes pen­sou pri­ma­ri­a­men­te na re­a­ção dos cli­en­tes e se­gui­do­res fer­re­nhos des­te mo­de­lo. E ain­da bem...

Nas­ceu co­mo veí­cu­lo mi­li­tar e aca­bou por tor­nar-se um sím­bo­lo de opu­lên­cia, re­quin­te e ex­clu­si­vi­da­de. A sua po­pu­la­ri­da­de en­tre as eli­tes é tal que, de ano pa­ra ano, a mar­ca ger­mâ­ni­ca tem a pro­du­ção do Clas­se G ven­di­da por an­te­ci­pa­ção. Re­cor­dan­do os fi­nais da dé­ca­da de 1970, o Clas­se G che­gou de for­ma dis­cre­ta, mas com o tem­po, e da­das as su­as ca­pa­ci­da­des 4x4, a ro­bus­tez e o ca­ris­ma que foi gran­je­an­do, aca­bou por tor­nar-se um íco­ne. Por is­so, pa­ra os cri­a­ti­vos da Mercedes-benz, se­ria um jo­go ar­ris­ca­do abrir mão de as­pe­tos tão fun­da­men­tais co­mo o seu de­sign ro­bus­to, re­ti­lí­neo e sem con­ces­sões à ae­ro­di­nâ­mi­ca, mas in­con­fun­dí­vel quan­to à sua per­so­na­li­da­de off ro­ad.

Fa­ce às se­me­lhan­ças com os seus an­te­ces­so­res, qua­se pa­re­ce in­cor­re­to fa­lar de uma no­va ge­ra­ção do Clas­se G. Con­tu­do, pe­ran­te as inú­me­ras al­te­ra­ções me­câ­ni­cas e tec­no­ló­gi­cas, que vi­sam me­lho­ri­as na se­gu­ran­ça, con­for­to, efi­cá­cia di­nâ­mi­ca e efi­ci­ên­cia de con­su­mo, ou­tra coi­sa não po­de­ría­mos con­si­de­rar que não is­so mes­mo. Não obs­tan­te, no ex­te­ri­or con­ti­nua pra­ti­ca­men­te igual. Apre­sen­ta um au­men­to em 53 mm no com­pri­men­to to­tal (fi­can­do com 4,82 me­tros), e tem mai­or pre­sen­ça, mé­ri­to da lar­gu­ra ma­jo­ra­da em 121 mm, que se ci­fra ago­ra nos 1,99 me­tros. Pa­ra não de­frau­dar ex­pec­ta­ti­vas e de­si­lu­dir os pu­ris­tas, per­du­ram por­me­no­res em que o Clas­se G sem­pre se de­mar­cou: os clás­si­cos ma­ní­pu­los e do­bra­di­ças das por­tas, os ‘pis­cas’ e o ca­pot so­bres­sa­li­en­tes, a ro­da so­bres­sa­len­te mon­ta­da no por­tão tra­sei­ro e ain­da fa­róis re­don­dos e óti­cas tra­sei­ras ho­ri­zon­tais, ago­ra tu­do equi­pa­do com tec­no­lo­gia LED.

Re­for­ma subs­tan­ci­al

No in­te­ri­or é no­tó­rio o mai­or em­pe­nho em ma­té­ria de qua­li­da­de e ri­gor nos por­me­no­res, apre­sen­tan­do equi­pa­men­tos e aca­ba­men­tos tí­pi­cos das atu­ais ga­mas de tu­ris­mo da mar­ca da es­tre­la. Con­tu­do, man­tém al­guns tra­ços tra­di­ci­o­nais, co­mo o cor­te ver­ti­cal do ta­bli­er, a pe­ga à fren­te do pas­sa­gei­ro di­an­tei­ro e os in­ter­rup­to­res pa­ra os três blo­quei­os de di­fe­ren­ci­al. Tem tam­bém um pai­nel de ins­tru­men­tos com du­as es­fe­ras ana­ló­gi­cas, pa­ra agra­dar aos pu­ris­tas. Mas aque­les que pre­fe­ri­rem uma apre­sen­ta­ção mais hi-te­ch po­de­rão op­tar pe­lo ecrã di­gi­tal de 12,3 po­le­ga­das – tal co­mo os Clas­ses E e S – que, em con­jun­to com ou­tro do mes­mo ta­ma­nho, pro­por­ci­o­na um es­pe­ta­cu­lar pos­to de co­man-

do wi­des­cre­en. Tam­bém o vo­lan­te apre­sen­ta co­man­dos sen­so­ri­ais e a con­so­la in­cor­po­ra um pai­nel tá­til pa­ra o sis­te­ma de in­fo­tain­ment.

Os seus cin­co pas­sa­gei­ros vão po­der des­fru­tar de um ha­bi­tá­cu­lo mais am­plo e con­for­tá­vel, pois, so­bre­tu­do atrás, o es­pa­ço pa­ra per­nas era a gran- de pe­cha do Clas­se G. Por is­so, os ocu­pan­tes tra­sei­ros vão usu­fruir de 15 cm adi­ci­o­nais nes­ta área, ao pas­so que, em lar­gu­ra, ga­nham 5,4 cm ao ní­vel dos co­to­ve­los. Nos lu­ga­res da fren­te des­ta­cam-se os ban­cos mul­ti-con­tor­no, que po­dem ofe­re­cer di­ver­sas ‘re­ga­li­as’ elé­tri­cas, co­mo aque­ci­men­to, ven­ti­la­ção,

mas­sa­gem e apoio lom­bar ati­vo, pa­ra me­lhor am­pa­ro do cor­po do con­du­tor e pas­sa­gei­ro em cur­va.

Com qua­tro pro­gra­mas

No cam­po da me­câ­ni­ca, es­ta no­va ge­ra­ção do Clas­se G tem pro­fun­das al­te­ra­ções, a co­me­çar pe­la sus­pen­são. Uma das su­as ca­rac­te­rís­ti­cas mais mar­can­tes foi sem­pre a sus-

As ar­qui­te­tu­ras de sus­pen­são são no­vas. Re­du­zem o pe­so do con­jun­to em 170 kg

pen­são de du­plo ei­xo rí­gi­do, o que con­tri­buía pa­ra ex­ce­len­tes ca­pa­ci­da­des off ro­ad. Con­tu­do, si­nais do tem­po, no ei­xo da fren­te es­te pu­ro-e-du­ro pas­sa a os­ten­tar uma ge­o­me­tria in­de­pen­den­te, o que per­mi­te ado­tar uma di­re­ção de pi­nhão e cre­ma­lhei­ra com as­sis­tên­cia ele­tro­me­câ­ni­ca – uma li­mi­ta­ção da an- te­ri­or di­re­ção de es­fe­ras re­cir­cu­lan­tes. A par dis­so, pas­sa a es­tar equi­pa­do com as­sis­ten­te Dy­na­mic Se­lect, pa­ra es­co­lher en­tre qua­tro pro­gra­mas de con­du­ção: Com­fort, Sport, Eco e In­di­vi­du­al. Es­te sis­te­ma, em to­dos os mo­dos, mo­di­fi­ca as ca­rac­te­rís­ti­cas de fun­ci­o­na­men­to do mo­tor, da sus­pen­são adap­ta­ti­va, da di­re­ção, do es­ca­pe e da cai­xa de ve­lo­ci­da­des. Pa­ra a cai­xa de ve­lo­ci­da­des, a Mercedes-benz op­tou pe­la so­fis­ti­ca­da uni­da­de au­to­má­ti­ca 9G-TRONIC, de no­ve ve­lo­ci­da­des – com con­ver­sor de bi­ná­rio –, que oti­mi­za o con­su­mo, as­sim co­mo os tem­pos de en­gre­no, mui­to rá­pi­dos, gra­ças às con­fi­gu­ra­ções de­fi­ni­das pe­los téc­ni­cos da Mercedes-amg. O sis­te­ma de trans­mis­são in­te­gral fi­ca com­ple­to com a tra­di­ci­o­nal cai­xa de re­du­to­ras, ago­ra com uma re­la­ção de trans­mis­são de 2,93:1, ten­do uma dis­tri­bui­ção de bi­ná­rio de 40 por cen­to à fren­te e 60 atrás. Man­tém-se o blo­queio dos três di­fe­ren­ci­ais, ao pas­so que es­treia o G-mo­de, um as­sis­ten­te pa­ra con­du­ção off ro­ad, que con­tro­la a sus­pen­são re­gu­lá­vel, a di­re­ção e o ma­pa de ace­le­ra­dor, pa­ra neu­tra­li­zar sal­tos ines­pe­ra­dos da cai­xa au­to­má­ti­ca de ve­lo­ci­da­des du­ran­te a mar­cha.

A Mercedes-benz ain­da não re­ve­lou a ga­ma de mo­to­res pa­ra o no­vo Clas­se G – que es­tá pre­vis­to che­gar ao mer­ca­do a par­tir da pri­ma­ve­ra –, mas sa­be-se que a ver­são G 500 vai mon­tar o já co­nhe­ci­do blo­co 4.0 V8 a ga­so­li­na, com uma po­tên­cia de 422 CV. A ofer­ta irá com­ple­tar-se com mo­to­ri­za­ções tur­bo­di­e­sel, as­sim co­mo as ha­bi­tu­ais e es­pe­ta­cu­la­res al­ter­na­ti­vas da au­to­ria da Mercedes-amg.

O no­vo Clas­se G man­tém o tra­di­ci­o­nal blo­queio dos três di­fe­ren­ci­ais

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.