PORS­CHE CAYENNE

O Cayenne fez os in­de­fe­tí­veis da Pors­che ‘tor­ce­rem o na­riz’, mas aca­bou por tor­nar-se num best-sel­ler da mar­ca. Es­ta 3ª ge­ra­ção sur­ge mais di­nâ­mi­ca e ‘co­nec­ta­da’, no sen­ti­do de me­lho­rar os seus ar­gu­men­tos.

Altagama Motor (Portugal) - - Sumário - Pe­dro Do­min­gues

A Pors­che me­lho­rou o Cayenne sem bor­rar a pin­tu­ra: mais le­ve, mais re­quin­ta­do, mais des­por­ti­vo. Exa­ta­men­te co­mo o que­re­mos...

As du­as pri­mei­ras ge­ra­ções do Pors­che Cayenne to­ta­li­za­ram qua­se 800.000 uni­da­des ven­di­das des­de 2002, nu­ma cla­ra de­mons­tra­ção que a apos­ta da mar­ca ger­mâ­ni­ca nes­te ti­po de veí­cu­lo foi acer­ta­da. Ain­da que as ca­pa­ci­da­des de cir­cu­lar fo­ra do as­fal­to não ti­ves­sem si­do des­cu­ra­das, o com­por­ta­men­to no as­fal­to sem­pre foi um dos ar­gu­men­tos de pe­so do Cayenne, ou não os­ten­tas­se o no­me Pors­che. Es­ta 3ª ge­ra­ção sur­ge ain­da mais fo­ca­da na uti­li­za­ção nes­te ti­po de pi­so, apre­sen­tan­do um com­por­ta­men­to di­nâ­mi­co de al­to ní­vel tan­to em pis­ta co­mo na uti­li­za­ção quo­ti- di­a­na. Pa­ra tal, faz uso de uma pla­ta­for­ma no­va na Pors­che e de al­gu­mas ino­va­ções her­da­das do 911 e Pa­na­me­ra, co­mo se­ja o ei­xo pos­te­ri­or di­re­ci­o­nal elé­tri­co. Em te­o­ria, es­te per­mi­te um com­por­ta­men­to ain­da mais efi­caz em as­fal­to, al­go em que é aju­da­do pe­la re­du­ção do pe­so fa­ce à an­te­ri­or ge­ra­ção, com o Cayenne a bai­xar dos 2.040 kg pa­ra 1.985 kg.

Dois V6 no lan­ça­men­to

Nes­ta fa­se de lan­ça­men­to vão es­tar dis­po­ní­veis du­as ver­sões equi­pa­das com mo­to­res V6 a ga­so­li­na, um de­les to­tal­men­te no­vo, que equi­pam os Cayenne e Cayenne S.

O pri­mei­ro faz uso do V6 3.0 tur­bo que viu a sua po­tên­cia su­bir dos 300 pa­ra os 340 CV, fa­ce ao seu an­te­ces­sor, o que per­mi­te aba­ter os pri­mei­ros 100 km/h em 6,2 se­gun­dos – 5,9 com o pa­co­te Sports Ch­ro­no – e atin­gir 245 km/h de ve­lo­ci­da­de má­xi­ma. Já o Cayenne S es­treia um no­vo V6 2.9 bi­tur­bo, ca­paz de de­sen­vol­ver 440 CV, ob­ten­do re­gis­tos de 5,2 se­gun­dos dos 0 a 100 km/h – 4,9 com Sports Ch­ro­no – e atin­gir 265 km/h de ve­lo­ci­da­de má­xi­ma. Ti­ve­mos opor­tu­ni­da­de de nos sen­tar­mos ao vo­lan­te de am­bos, num per­cur­so que in­cluiu tro­ços em au­to­es­tra­da e em es­tra­das si­nu­o­sas. A ver­são de en­tra­da de ga­ma, o Cayen- ne de 340 CV des­ta­ca-se de ime­di­a­to pe­la so­no­ri­da­de do es­ca­pe, tra­ba­lha­da de tal for­ma que não soa co­mo um V6, pos­suin­do um ron­co aba­fa­do, qua­se tí­pi­co de uma uni­da­de V8. Em au­to­es­tra­da, des­ta­ca-se a ex­tre­ma su­a­vi­da­de de ro­la­men­to, ali­a­da ao si­lên­cio a bor­do, de tal for­ma que é pe­ri­go­sa­men­te fá­cil cir­cu­lar­mos a ve­lo­ci­da­des mais ele­va­das que o de­se­ja­do sem o no­tar­mos. A es­ta­bi­li­da­de é mui­to ele­va­da, mes­mo qu­an­do su­jei­to a ven­tos la­te­rais, o que tam­bém con­tri­bui pa­ra a men­ci­o­na­da se­re­ni­da­de a bor­do. Che­ga­das as cur­vas, gra­ças à no­va pla­ta­for­ma e aos me­lho­ra­men­tos ao ní­vel do chas­sis – e aju­da­dos pe­los Pi­rel­li P-

A 3ª ge­ra­ção do SUV full­si­ze da Pors­che re­cor­re a uma no­va pla­ta­for­ma e in­cor­po­ra ino­va­ções her­da­das do 911 e Pa­na­me­ra pa­ra me­lhor de­sem­pe­nho e mai­or qua­li­da­de a bor­do

Ze­ro de ge­ne­ro­sas di­men­sões – o Cayenne vol­ta a sur­pre­en­der pe­la ex­tre­ma agi­li­da­de e ele­va­dos ní­veis de ade­rên­cia. O ro­la­men­to da car­ro­ça­ria é mí­ni­mo, o que aju­da a au­men­tar o ní­vel de con­fi­an­ça do con­du­tor, e as re­tas são de­vo­ra­das com uma ra­pi­dez no­tá­vel.

Um ex­ce­len­te ali­a­do nes­tas con­di­ções é a no­va cai­xa de ve­lo­ci­da­des Tip­tro­nic S de oi­to re­la­ções, que po­de ser ope­ra­da ma­nu­al­men­te atra­vés de pa­ti­lhas atrás do vo­lan­te. Es­tas, por sua vez, apre­sen­tam um for­ma­to bas­tan­te con­ve­ni­en­te, pro­lon­gan­do-se pa­ra bai­xo, fa­ci­li­tan­do a sua uti­li­za­ção qu­an­do vi­ra­mos o vo­lan­te em cur­vas mais fe­cha­das.

Os tra­vões mos­tra­ram-se fá­ceis de do­se­ar e com uma po­tên­cia ao ní­vel do de­se­ja­do, da­das as per­for­man­ces, e du­ran­te os qui­ló­me­tros que re­a­li­zá­mos ao vo­lan­te, em tor­tu­o­sas es­tra- das de mon­ta­nha, nun­ca re­ve­la­ram si­nais de fa­di­ga. Aqui, a Pors­che apre­sen­ta mais uma no­vi­da­de, os Pors­che Sur­fa­ce Co­a­ted Bra­ke, ou PSCB (op­ção em to­da a ga­ma Cayenne mas ape­nas com jan­tes de 20” ou 21”), que con­sis­tem num re­ves­ti­men­to dos dis­cos de aço em car­bo­ne­to de tungs­té­nio, cu­ja fi­na­li­da­de é me­lho­rar os va­lo­res de fric­ção, mi­no­rar o des­gas­te e ao mes­mo tem­po re­du­zir a li­ber­ta­ção do tí­pi­co pó – das pas­ti­lhas – aquan­do das tra­va­gens.

No­vo V6 bi­tur­bo

O Cayenne S con­ta, igual­men­te, com uma uni­da­de de 6 ci­lin­dros em V, mas es­ta é no­va e con­ta com du­pla so­bre­a­li­men­ta­ção. Is­to faz com que a po­tên­cia dis­po­ní­vel se­ja de uns sau­dá­veis 440 CV, au­xi­li­a­dos por 550 N.m de bi­ná­rio. Tal co­mo a va­ri­an­te ba­se, tam­bém aqui a so­no­ri­da­de foi bas­tan­te tra­ba­lha­da e, quem não sai­ba qual o mo­tor que se es­con­de sob o ca­pot, jul­ga­rá tra­tar-se de um V8. As ca­pa­ci­da­des di­nâ­mi­cas con­ti­nu­am lá, na­tu­ral­men­te, mas a ra­pi­dez com que de­vo­ra as re­tas é ain­da mais des­con­cer­tan­te. As ul­tra­pas­sa­gens, en­tão, são uma me­ra brin­ca­dei­ra, tal a ca­pa­ci­da­de de res­pos­ta do Cayenne S.

Pa­ra além do de­sem­pe­nho no as­fal­to, a Pors­che me­lho­rou, igual­men­te, a ex­pe­ri­ên­cia de con­du­ção fo­ra de es­tra­da. Pa­ra con­du­ção em off ro­ad, o con­du­tor dis­põe de qua­tro mo­dos de con­du­ção: la­ma, gra­vi­lha, areia ou ro­chas. Es­tes mo­dos al­te­ram a al­tu­ra ao so­lo – qu­an­do equi­pa­do com sus­pen­são pneu­má­ti­ca – e blo­quei­os dos di­fe­ren­ci­ais. Jun­ta­men­te com o sis­te­ma de tra­ção in­te­gral ati­vo, is­to per­mi­te en­fren­tar ter­re­nos mais agres­tes. No pe­que­no tra­je­to to­do-o-ter­re­no que ti­ve­mos opor­tu­ni­da­de de efe­tu­ar, em­bo­ra não hou­ves­se obs­tá­cu­los de ele­va­da di­fi­cul­da­de, deu pa­ra per­ce­ber que to­dos es­tes sis­te­mas fun­ci­o­nam bem em unís­so­no, se bem que a ati­va­ção do con­tro­lo de ve­lo­ci­da­de em des­ci­da pu­des­se ser mais ins­tin­ti­va.

Tan­to o Pors­che Cayenne co­mo o Cayenne S en­con­tram-se já em co­mer­ci­a­li­za­ção ten­do, in­clu­si­ve, si­do en­tre­gues mais de uma de­ze­na de uni­da­des, com des­ta­que pa­ra o Cayenne S. O Cayenne en­con­tra-se dis­po­ní­vel a par­tir de 101.460€, com o Cayenne S a obri­gar a um dis­pên­dio de, pe­lo me­nos, 119.454€. Mais tar­de, jun­tar-se-ão as ver­sões Hy­brid, Di­e­sel e Tur­bo.

A Pors­che Con­nect App per­mi­te con­tro­lar à dis­tân­cia uma pa­nó­plia de fun­ções

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.