LE­XUS LC 500H

O LC 500h pa­re­ce vin­do do fu­tu­ro. Res­pei­ta o meio am­bi­en­te, gra­ças à sua pro­pul­são hí­bri­da, re­ves­te-se de li­nhas an­gu­lo­sas, ae­ro­di­nâ­mi­cas e atre­vi­das, exi­be qua­li­da­de má­xi­ma e pos­sui tec­no­lo­gia van­guar­dis­ta. Até o preço o trans­for­ma em fic­ção ci­en­tí­fi­ca p

Altagama Motor (Portugal) - - Sumário - Ber­nar­do Gon­za­lez Pau­lo Ca­lis­to

Es­ta ver­são hí­bri­da do LC 500 não con­ven­ceu co­mo des­por­ti­vo qu­an­do o con­du­zi­mos da pri­mei­ra vez. Ago­ra vol­tá­mos à car­ga e fi­cá­mos vi­ci­a­dos

Que a Le­xus, co­mo di­vi­são de lu­xo da Toyo­ta, sa­be fa­zer au­to­mó­veis com tec­no­lo­gia avan­ça­da e má­xi­mo re­quin­te, dis­so nin­guém du­vi­da. Con­tu­do, sur­pre­en­de de vez em qu­an­do com um mo­de­lo ra­di­cal, co­mo o su­per­des­por­ti­vo LFA, com mo­tor V10 de 560 CV e preço igual­men­te exor­bi­tan­te. A mar­ca ni­pó­ni­ca vol­ta ago­ra à car­ga com um exó­ti­co cou­pé grand tou­rer, que re­to­ma o le­ga­do do Le­xus SC, na­qui­lo que é uma in- ter­pre­ta­ção re­al­men­te fu­tu­ris­ta. As li­nhas são au­da­zes, em­bo­ra par­ti­lhan­do lai­vos es­ti­lís­ti­cos com ou­tros mo­de­los da mar­ca, e nes­te ca­so são le­va­das a um ex­tre­mo, o que faz com que a con­cor­rên­cia mais di­re­ta pa­re­ça al­go ob­so­le­ta. Ou qua­se…

O LC 500 tem por ba­se a pla­ta­for­ma GA-L (de Glo­bal Ar­chi­tec­tu­re for Lu­xury vehi­cles), con­ce­bi­da pa­ra mo­de­los de mo­tor di­an­tei­ro e tra­ção tra­sei­ra, e que tem a par­ti­cu­la­ri­da­de de pos­suir um cen­tro de gra­vi­da­de bem bai­xo, em be­ne­fí­cio da di­nâ­mi­ca, uma so­lu­ção que ser­vi­rá fu­tu­ros Le­xus com es­ta con­fi­gu­ra­ção.

Só­li­do co­mo ro­cha

Pa­ra con­ter o pe­so – a uni­da­de en­sai­a­da su­pe­ra as du­as to­ne­la­das –, es­te cou­pé re­cor­re a aços de ele­va­da re­sis­tên­cia, a alu­mí­nio em di­ver­sas par­tes do chas­sis e car­ro­ça­ria, a car­bo­no (co­mo no te­ja­di­lho) e até a plás­ti­co re­for­ça­do com fi­bra de car­bo­no CFRP. Em ter­mos de ri­gi­dez glo­bal, su­pe­ra mes­mo o LFA.

Em ma­té­ria de ha­bi­ta­bi­li­da­de, é de sa­li­en­tar que, en­quan­to os lu­ga­res da fren­te são am­plos e con­for­tá­veis, os tra­sei­ros são com­ple­ta­men­te o opos­to: des­ti­nam-se a cri­an­ças (ou con­tor­ci­o­nis­tas), e não só pe­la au­sên­cia de es­pa­ço pa­ra per­nas, já que fa­cil­men­te as ca­be­ças to­cam no ócu­lo pos­te­ri­or. Tam­bém a ba­ga­gei­ra re­ve­la sé­ri­as li­mi­ta­ções, pois ape­sar de o LC 500h me­dir 4,77 me­tros de com­pri­men­to, o vo­lu­me pa­ra as ba­ga­gens é in­fe­ri­or ao de um ci­ta­di­no, com uns me­ros 172

li­tros. Já a ver­são LC 500 (V8 a ga­so­li­na) che­ga aos 200 li­tros, pois não mon­ta uma ba­te­ria pa­ra o sis­te­ma hí­bri­do.

Em con­tra­pon­to, a qua­li­da­de es­tá em al­ta. A pa­nó­plia de ma­te­ri­ais in­clui pe­le ge­nuí­na, ca­mur­ça e alu­mí­nio, con­tri­buin­do pa­ra um am­bi­en­te hi-te­ch e lu­xu­o­so, mé­ri­to de aca­ba­men­tos e mon­ta­gem ir­re­pre­en­sí­veis e de um de­sign fo­ra do co­mum. Is­to es­tá pa­ten­te na co­lo­ca­ção e con­fi­gu­ra­ção pou­co or­to­do­xa de de­ter­mi­na­dos co­man­dos, co­mo o se­le­tor dos mo­dos de con­du­ção, si- tu­a­do do la­do di­rei­to do pai­nel de ins­tru­men­tos; do la­do opos­to en­con­tra­mos o re­gu­la­dor do con­tro­lo de tra­ção. Ou­tro exem­plo dis­so é o track­pad, que con­tro­la o sis­te­ma mul­ti­mé­dia, a cli­ma­ti­za­ção e a na­ve­ga­ção (com fun­ção tá­til ti­po-ra­to de com­pu­ta­dor), pou­co in­tui­ti­vo, pre­ci­so e re­so­lu­to pa­ra quem gos­ta de so­lu­ções sim­ples e di­re­tas. Ape­sar dis­to, o pos­to de con­du­ção des­te LC 500h é dos me­lho­res em que já nos sen­tá­mos: bem bai­xo e com o vo­lan­te na ver­ti­cal, co­mo um pu­ro des­por­ti­vo. Nem nos po­de­mos quei­xar da vi­si­bi­li­da­de, que é al­go li­mi­ta­da pa­ra trás. E pa­ra col­ma­tar qual­quer di­fi­cul­da­de nes­ta ma­té­ria – no­me­a­da­men­te nas ma­no­bras de mar­cha atrás – o sis­te­ma de au­xí­lio ao es­ta­ci­o­na­men­to é com­ple­to, com câ­ma­ras e sen­so­res de úl­ti­ma ge­ra­ção. O res­tan­te equipamento ali­nha pe­lo mes­mo es­pí­ri­to, e dis­po­si­ti­vos co­mo o crui­se con­trol ati­vo (com re­co­nhe­ci­men­to de si­nais de trân­si­to), o ela­bo­ra­do He­ad-up Dis­play e o sis­te­ma de áu­dio con­ce­bi­do pe­la Mark Le­vin­son dão for­te tó­ni­ca tec­no­ló­gi­ca a um mo­de­lo que ema­na tu­do me­nos uma apa­rên­cia mo­des­ta. Do la­do de fo­ra is­so tam­bém é por de­mais evi­den­te, gra­ças às óti­cas BI-LED, ao ai­le­ron tra­sei­ro re­trá­til – ele­va-se a par­tir dos 80 km/h pa­ra ge­rar car­ga ae­ro­di­nâ­mi­ca – e às vis­to­sas jan­tes for­ja­das de 21 po­le­ga­das em alu­mí­nio po­li­do.

Per­for­man­ce in­te­li­gen­te

A ver­são V8 a ga­so­li­na, de 477 CV, pa­re­ce, no pa­pel, um ‘con­teú­do’ mais in­te­res­san­te do pon­to de vis­ta da con­du­ção. No en­tan­to, nos tem­pos que cor­rem, e com

o que vis­lum­bra­mos num fu­tu­ro pró­xi­mo, a ver­são que mais se­duz é a al­ter­na­ti­va hí­bri­da LC 500h – nem que se­ja pe­lo preço mais em con­ta. Com­bi­na um V6 a ga­so­li­na, de 299 CV, apoi­a­do por uma uni­da­de elé­tri­ca (179 CV), ide­al pa­ra mo­vi­men­tar a sua in­ten­sa mas­sa des­de o ar­ran­que e com is­so ob­ter con­su­mos mais con­tro­la­dos nos en­gar­ra­fa­men­tos e obs­tá­cu­los do quo­ti­di­a­no. A ener­gia da ba­te­ria de lí­tio é su­fi­ci­en­te pa­ra ga­ran­tir uma mão cheia de qui­ló­me­tros de au­to­no­mia com ze­ro emis­sões, re­car­re­gan­do nas de­sa­ce­le­ra­ções e tra­va­gens pa­ra ir man­ten­do os ní­veis. No en­tan­to, pa­ra apro­vei­tar a to­ta­li­da­de do seu po­ten­ci­al, há que sa­ber ex­plo­rar bem a cai­xa e os mo­dos de con­du­ção.

Os 359 CV de po­tên­cia con­jun­ta são trans­mi­ti­dos às ro­das tra­sei­ras via uma cai­xa de va­ri­a­ção con­tí­nua. Mas, nes­te ca­so, não é uma CVT qual­quer. O LC 500h es­treia o Mul­ti Sta­ge Hy­brid Sys­tem, uma com­ple­xa tec­no­lo­gia de trans­mis­são que, em­bo­ra pro­mo­ven­do um es­ca­lo­na­men­to em qua­tro pa­ta­ma­res, si­mu­la a des­mul­ti­pli­ca­ção de dez re­la­ções. Com a trans­mis­são em po­si­ção Dri­ve e se­le­ci­o­na­do o mo­do de con­du­ção Ef­fi­ci­ency, es­tá ap­to a cir­cu­lar por zo­nas his­tó­ri­cas das ci­da­des e ar­re­do­res, pra­ti­ca­men­te sem con­su­mir go­ta de com­bus­tí­vel – ape­nas nas su­bi­das mais ín­gre­mes se sen­te o cre­mo­so V6 a fun­ci­o­nar. Nes­te ce­ná­rio, não se­rá o ron­co des­te LC a ca­ti­var as aten­ções, ape­nas o seu lo­ok exu­be­ran­te e fu­tu­ris­ta

Mas co­mo grand tou­rer di­nâ­mi­co que é, o LC 500h pe­de pa­ra es­ti­car as per­nas ‘na­que­las’ es­tra­das mais re­tor­ci­das de cur­vas en­ca­de­a­das, al­ter­na­das por lon­gas re­tas. E, nes­se ca­so, a op­ção ide­al é se­le­ci­o­nar o pro­gra­ma Sport (ou Sport+) e usu­fruir da cai­xa em mo­do ma­nu­al/se­quen­ci­al. Se du­ran­te a apre­sen­ta­ção in­ter­na­ci­o­nal des­te mo­de­lo – nu­ma ro­ad trip en­tre Mu­ni­que e Mi­lão

Os 359 CV do sis­te­ma hí­bri­do são mais que su­fi­ci­en­tes pa­ra um de­sem­pe­nho re­al­men­te des­por­ti­vo

– não fi­cá­mos par­ti­cu­lar­men­te im­pres­si­o­na­dos pe­la cai­xa, des­ta fei­ta re­ti­rá­mos mais go­zo da sua uti­li­za­ção. Usan­do o se­le­tor da cai­xa ou as pa­ti­lhas no vo­lan­te, é pos­sí­vel sen­tir a des­mul­ti­pli­ca­ção e as re­du­ções mais con­vic­tas, em­bo­ra ha­ja sem­pre um to­que al­go ar­ti­fi­ci­al em for­tes ace­le­ra­ções, pois fi­ca sem­pre a im­pres­são de um li­gei­ro ‘es­cor­re­ga­men­to‘. Mas na­da que man­che o pra­zer ao vo­lan­te, nem tão pou­co as ex­ce­len- tes pres­ta­ções. Em­bo­ra não se­ja um pu­ro des­por­ti­vo, é ve­loz em to­das as si­tu­a­ções e, ain­da me­lhor, com con­su­mos re­al­men­te gra­ti­fi­can­tes. Atin­gi­mos uma mé­dia fi­nal de 9,7 l/100 km no nos­so ensaio, sen­do que em ci­da­de ron­dá­mos os 6 li­tros, apro­vei­tan­do a ba­te­ria ao má­xi­mo (mo­do EV).

Fa­bu­lo­so chas­sis

Es­cu­sa­do se­rá di­zer que a co­mo­di­da­de e a ex­ce­len­te fil­tra­gem são uma cons­tan­te nes­te Le­xus, mes­mo qu­an­do a sus­pen­são (de du­re­za adap­ta­ti­va) se en­con­tra no pa­ta­mar mais fir­me. O que es­ta ver­são Sport+ acres­cen­ta fa­ce ao Lu­xury – co­mo o te­ja­di­lho em fi­bra de car­bo­no, por exem- plo, en­tre ou­tros ape­tre­chos – é o ei­xo tra­sei­ro di­re­ci­o­nal e o di­fe­ren­ci­al au­to­blo­can­te. Dois ex­tras que am­pli­am, de for­ma ins­tru­men­tal, a efi­cá­cia des­te LC 500h. A li­gei­re­za e a agi­li­da­de que de­mons­tra são qua­se des­con­cer­tan­tes, ser­pen­te­an­do com uma con­vic­ção im­pró­pria pa­ra um au­to­mó­vel des­te por­te. As ve­lo­ci­da­des de pas­sa­gem em cur­va que pre­co­ni­za são mui­to ele­va­das e, api­men­ta­das por uma di­re­ção di­re­ta e su­a­ve, fa­cil­men­te nos en­tu­si­as­ma­mos, tal a con­fi­an­ça que in­cu­te. A ade­rên­cia é so­ber­ba e qua­se nos es­que­ce­mos de que se tra­ta de um tra­ção tra­sei­ra, o que po­de re­sul­tar em li­gei­ros power sli­des, de­vi­da­men­te am­pa­ra­dos se não des­li­gar­mos as aju­das ele­tró­ni­cas. Já a tra­va­gem dei­xou al­go a de­se­jar. Não pe­la sua po­tên­cia, as­pe­to em que es­te Le­xus es­tá bem ser­vi­do. Re­fe­ri­mo-nos an­tes ao ta­to al­go ar­ti­fi­ci­al do pe­dal. Não é crí­ti­co, mas, em li­nha com ou­tros hí­bri­dos e elé­tri­cos, é uma ten­dên­cia que con­ti­nua por re­sol­ver.

As ve­lo­ci­da­des de pas­sa­gem em cur­va são mui­to ele­va­das e a ade­rên­cia é so­ber­ba

O LC 500h per­ten­ce a uma li­nha­gem de au­to­mó­veis que de­mons­tra co­mo um hí­bri­do po­de ser efi­ci­en­te sem per­der a gra­ça e o go­zo. Es­pe­re­mos que as­sim se man­te­nha du­ran­te mais al­gum tem­po, pois des­fru­tar de um sau­dá­vel V6 (mes­mo que apoi­a­do por mo­to­res elé­tri­cos) vai aos pou­cos cair em de­su­so. Al­go que da­qui a uns tem­pos se­rá olha­do com sau­da­de por uns e co­mo fic­ção ci­en­tí­fi­ca por ou­tros...

As jan­tes for­ja­das de 21” fa­zem par­te do equipamento de sé­rie O sis­te­ma de ilu­mi­na­ção es­tá con­fi­a­do por com­ple­to à tec­no­lo­gia LED. O seu de­se­nho ras­ga­do é es­pe­ta­cu­lar

O ai­le­ron tra­sei­ro ele­va-se a par­tir dos 80 km/h, ex­clu­si­vo des­ta ver­são O te­ja­di­lho em fi­bra de car­bo­no tan­to aju­da a re­du­zir o pe­so co­mo a bai­xar o cen­tro de gra­vi­da­de O ecrã do ta­bli­er é enor­me e ofe­re­ce imen­sa in­for­ma­ção Vis­ta do mo­do de con­du­ção Spor

Ins­tru­men­ta­ção to­da di­gi­tal: so­bre­põe dois ecrãs que al­ter­nam en­tre si pa­ra mos­trar di­fe­ren­tes pa­râ­me­tros Co­man­do ro­ta­ti­vo pa­ra al­te­rar o con­tro­lo de tra­ção: tão vi­sí­vel co­mo aces­sí­vel A cai­xa ‘pe­de’ a es­co­lha pe­la po­si­ção ‘M’ de ma­nu­al

O bo­tão EV ati­va o mo­do elé­tri­co pa­ra con­du­ção com ze­ro emis­sões O track­pad do sis­te­ma mul­ti­mé­dia é al­go com­ple­xo de usar Ima­gem do ma­pa da na­ve­ga­ção, ou­tro dos dis­po­si­ti­vos in­cor­po­ra­dos de sé­rie

A po­si­ção de con­du­ção é das me­lho­res que já en­con­trá­mos. Os ban­cos di­an­tei­ros são for­mi­dá­veis, mas tra­sei­ros são mí­ni­mos, tal co­mo a ba­ga­gei­ra

Os pu­xa­do­res re­co­lhem em an­da­men­to e com o tran­ca­men­to

PREÇO: 132.140t

2.870 mm 4.770 mm 1.345 mm 1.920 mm LC 500H SPORT+ LE­XUS

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.