BMW M4 Cou­pé DKG M de ma­gia

Com a no­va épo­ca do DTM à por­ta, de­ci­di­mos que era uma al­tu­ra tão boa co­mo ou­tra qual­quer pa­ra pas­sar uns di­as com a ver­são ‘civil’ da ar­ma da BMW Mo­tors­port nes­te cam­pe­o­na­to, o cou­pé M4, pa­ra des­co­brir o que o tor­na uma referência en­tre os des­por­ti­vos de

Altagama Motor (Portugal) - - Ficha Técnica -

Quando falamos em DTM, um dos mo­de­los que es­tá in­de­le­vel­men­te as­so­ci­a­do a es­te cam­pe­o­na­to é o BMW M3 E30, por­ven­tu­ra o mo­de­lo mais mí­ti­co da BMW Mo­tors­port e um clás­si­co ve­ne­ra­do hoje em dia, com co­ta­ções sem­pre em alta. Nas su­as inú­me­ras va­ri­an­tes de es­tra­da, o M3 sem­pre om­bre­ou com os me­lho­res des­por­ti­vos do mer­ca­do, com a van­ta­gem de, além do pra­zer de con­du­ção e ca­ris­ma, ofe­re­cer igual­men­te uma su­pe­ri­or po­li­va­lên­cia e am­pla mar­gem pa­ra os pre­pa­ra­do­res es­pe­ci­a­li­za­dos em veí­cu­los de al­tas per­for­man­ces. No en­tan­to, os ‘gé­ni­os’ do mar­ke­ting da BMW re­sol­ve­ram re­ser­var a de­sig­na­ção M3 pa­ra a ber­li­na de qua­tro por­tas e, as­sim, o M3 per­deu a car­ro­ça­ria que lhe deu ori­gem, a de du­as por­tas, que se pas­sou a cha­mar M4. Fe­liz­men­te, a di­vi­são M con­se­gue fa­zer a sua ma­gia, in­di­fe­ren­te­men­te do no­me que os­ten­ta, pe­lo que o en­tu­si­as­mo ao di­ri­gir­mo-nos pa­ra as ins­ta­la­ções da BMW Portugal era con­si­de­rá­vel.

O su­ces­sor de um ído­lo

Te­mos que con­fes­sar, o M3 E30 sem­pre es­te­ve nos lu­ga­res ci­mei­ros dos au­to­mó­veis da nos­sa ‘ga­ra­gem do Euromilhões’, pe­lo que es­te M4 assume-se co­mo o mais di­re­to des­cen­den­te vi­vo do nosso he­rói de in­fân­cia. Ao che­gar­mos perto de­le, no seu lu­gar de es­ta­ci­o­na­men­to, o seu por­te im­po­nen­te sal­ta ime­dia- ta­men­te à vis­ta. Os alar­ga­men­tos dos guar­da-lamas, as jan­tes de 20” (op­ci­o­nais, par­te do Pack M Com­pe­ti­ti­on, que or­ça em 6.368€), a bos­sa no ca­pot e os ‘olhos’ que pa­re­cem um pre­da­dor pres­tes a ata­car a vítima in­de­fe­sa ori­gi­nam um sorriso ime­di­a­to e obri­gam-nos a con­tem­plar es­ta ima­gem du­ran­te al­guns mo­men­tos. É cu­ri­o­so co­mo al­guns ele­men­tos tor­nam um ‘ba­nal’ Sé­rie 4 em al­go tão im­po­nen­te. É qua­se o equi­va­len­te a pas­sar­mos o in­ver­no no

gi­ná­sio e, che­ga­do o ve­rão, te­mos um corpo es­cul­tu­ral pa­ra mos­trar na praia.

Ao abrir a por­ta do con­du­tor, des­ta­cam-se as be­lís­si­mas ba­quets em pe­le bran­ca com o lo­go M4, e as cos­tu­ras do vo­lan­te com as fa­mi­li­a­res co­res da BMW M, um ele­men­to igual­men­te pre­sen­te nos cin­tos de segurança di­an­tei­ros. A po­si­ção de con­du­ção ide­al é fá­cil de en­con­trar gra­ças às múl­ti­plas re­gu­la­ções do vo­lan­te e bancos di­an­tei­ros, vo­lan­te es­se com uma pe­ga qua­se perfeita. E che­ga o mo­men­to de car­re­gar no bo­tão que dá vi­da ao seis ci­lin­dros tur­bo, com as ja­ne­las aber­tas, cla­ro. Es­te acor­da com um ru­gi­do rou­co que ecoa pe­lo es­ta­ci­o­na­men­to e es­ta­bi­li­za o ra­len­ti co­mo se ros­nas­se em pré-avi­so a quem o ro­deia. De­vi­do às ca­da vez mais ri­go­ro­sas leis am­bi­en­tais, em ter­mos de emis­sões po­lu­en­tes, es­te M4 – ge­ra­ção F82 – ado­ta a so­bre­a­li­men­ta­ção por tur­bo­com­pres­sor, ao in­vés da uni­da­de at­mos­fé­ri­ca V8 do an­te­ri­or E92. Ga­nhou dois tur­bos e per­deu dois ci­lin­dros, pas­san­do de V8 a 6 em li­nha, com 3 li­tros de ca­pa­ci­da­de, ca­paz de de­bi­tar 431 CV e 550 N.m, sen­do que es­te úl­ti­mo va­lor es­tá dis­po­ní­vel a par­tir das 1.850 rpm.

Is­to é par­ti­cu­lar­men­te útil em di­as de chu­va, co­mo os que mar­ca­ram es­te en­saio, prin­ci­pal­men­te se ti­ver­mos em con­ta que os Mi­che­lin Pi­lot Su­pers­port que equi­pa­vam o ‘nosso’ M4 são ex­ce­len­tes… em pi­so se­co. Qual­quer ace­le­ra­ção um pou­co mais que su­a­ve – pa­ra en­trar numa via com trân­si­to, por exem­plo – re­sul­ta­va fre­quen­te­men­te no pa­ti­nar das ro­das. Ain­da que pos­sa so­ar al­go ir­ri­tan­te, era, pe­lo con­trá­rio, di­ver­ti­do e obri­ga­va- nos a uti­li­zar uma mu­dan­ça su­pe­ri­or e apro­vei­tar o bi­ná­rio dis­po­ní­vel desde ce­do. O que não te­ve pi­a­da ne­nhu­ma foi a já re­fe­ri­da chu­va, até por­que a so­no­ri­da­de do M4 é ab­so­lu­ta­men­te vi­ci­an­te, prin­ci­pal­men­te se co­lo­car­mos o set­ting do mo­tor/es­ca­pe em mo­do Sport. Qual­quer pe­da­ço de re­ta de­so­cu­pa­do é um pre­tex­to pa­ra ace­le­rar e ou­vir o ron­co do ‘seis em li­nha’ fi­car ca­da vez mais es­tri­den­te, acom­pa­nha­do de so­no­ras ‘ex­plo­sões’ en­tre ca­da pas­sa­gem de cai­xa, a que se jun­tam os ‘pops’ e ‘bangs’ em de­sa­ce­le­ra­ção. Acre­di­tem, a ban­da so­no­ra que o M4 pro­duz é o me­lhor an­ti-de­pres­si­vo pa­ra di­as de chu­va e trân­si­to, e as­sim que o co­lo­ca­mos a tra­ba­lhar é sorriso ga­ran­ti­do. Ape­nas os vi­zi­nhos po­dem não achar tan­ta gra­ça se ti­ver­mos que sair a ho­ras al­go tar­di­as, mas não se po­de agra­dar a to­dos…

Di­nâ­mi­ca de eleição

A elas­ti­ci­da­de do pro­pul­sor é au­xi­li­a­da pe­la ex­ce­len­te cai­xa DKG, que apre­sen­ta di­ver­sas con­fi­gu­ra­ções con­so­an­te o perfil de con­du­ção es­co­lhi-

do. Mesmo es­co­lhen­do o mo­do Sport, a cai­xa ‘apren­de’ a for­ma co­mo con­du­zi­mos e, no trân­si­to e/ou an­da­men­tos mo­de­ra­dos, per­mi­te ao M4 des­lo­car-se com su­a­vi­da­de pro­por­ci­o­nan­do pas­sa­gens de cai­xa qua­se im­per­ce­tí­veis. Fe­liz­men­te, a chu­va deu umas cur­tas tré­guas e foi-nos pos­sí­vel ex­plo­rar o la­do mais fe­roz do M4, no fundo, o ar­gu­men­to que le­va à sua aqui­si­ção. Os Mi­che­lin Su­pers­port dei­xam per­ce­ber o que será es­te gu­er­rei­ro bá­va­ro no se­co, ao pro­por­ci­o­na­rem ele­va­dos ní­veis de ade­rên­cia. A di­re­ção apre­sen­ta uma pre­ci­são ci­rúr­gi­ca e per­mi­te mu­dan­ças de di­re­ção rá­pi­das e pre­ci­sas. O seu pe­so é ide­al pa­ra trans­mi­tir o ne­ces­sá­rio fe­e­ling ao con­du­tor, e é qua­se pos­sí­vel con­tar so­bre quan­tas pe­dri­nhas pas­sa­mos em ca­da cur­va. Ago­ra, po­de­mos des­li­gar o con­tro­lo de tra­ção e apro­vei­tar as de­ri­vas de tra­sei­ra pa­ra me­lhor in­se­rir o M4 em cur­va, sen­do que es­te é sem­pre fá­cil de con­tro­lar e avi­sa com an­te­ce­dên­cia o que vai fa­zer. O ro­la­men­to da car­ro­ça­ria em cur­va é pra­ti­ca­men­te ine­xis­ten­te, prin­ci­pal­men­te no mo­do Sport e, a es­te rit­mo, é ape- nas ne­ces­sá­rio pres­tar aten­ção a um pe­que­no por­me­nor: os tra­vões de car­bo­no e ce­râ­mi­ca (op­ci­o­nais por 6.368€) fun­ci­o­nam no seu me­lhor quando quen­tes, se­não po­de acon­te­cer che­gar a uma cur­va a uma ve­lo­ci­da­de já in­te­res­san­te, e fi­car com a ideia de que, se ca­lhar, de­via ter co­me­ça­do a tra­var uns metros mais atrás… As­sim, dei­xa­mos o avi­so, an­tes de se di­ri­gir à tal es­tra­da de montanha, aque­ça um pou­co os tra­vões e, aí, fi­ca­rá com umas in­can­sá­veis ân­co­ras.

A par­te me­nos boa

In­fe­liz­men­te, ao con­trá­rio do que diz o adá­gio po­pu­lar “que­rer não é po­der”, e só al­guns têm ao seu al­can­ce a pos­si­bi­li­da­de de trans­for­mar o desk­top do com­pu­ta­dor em al­go re­al na ga­ra­gem. O BMW M4 es­tá dis­po­ní­vel a par­tir de 106.930€, um pou­co aci­ma dos 105.650€

O in­te­ri­or é bas­tan­te con­for­tá­vel e ape­la­ti­vo, com pormenores que os­ten­tam as co­res da BMW M

Air­bags di­an­tei­ros, laterais (F) e de cor­ti­na; re­cu­pe­ra­ção da ener­gia da tra­va­gem; Start/stop; sen­so­res de luz e chu­va; fa­róis LED; fa­ro­lins LED; es­gui­chos aque­ci­dos; Ser­vo­tro­nic; di­fe­ren­ci­al Ac­ti­ve M; cruise con­trol com fun­ção de tra­va­gem; vo­lan­te M mul­ti­fun­ções em pe­le; a/c au­to­má­ti­co du­al zo­ne; com­pu­ta­dor de bor­do; kit mãos livres com in­ter­fa­ce USB; bancos di­an­tei­ros des­por­ti­vos; ar­ran­que por bo­tão; pa­ti­lhas da cai­xa no vo­lan­te.

Pin­tu­ra me­ta­li­za­da (1.872€); in­te­ri­or em pe­le me­ri­no BMW In­di­vi­du­al (2.083€); trans­mis­são de du­pla em­brai­a­gem M com Dri­ve­lo­gic (3.522€); dis­cos em ce­râ­mi­ca/car­bo­no (6.368€); alar­me (192€); ajus­te elé­tri­co do ban­co do con­du­tor com me­mó­ria (949€); la­va­gem dos fa­róis (250€); lu­zes adap­ta­ti­vas LED (1.230€); as­sis­ten­te de má­xi­mos (132€); avi­so de al­te­ra­ção de fai­xa de ro­da­gem (494€); proteção ati­va (319€); as­sis­ten­te de con­du­ção (462€); sur­round vi­ew (350€); as­sis­ten­te de es­ta­ci­o­na­men­to (319€); he­ad-up dis­play (718€); Pack M Com­pe­ti­ti­on (6.368€); Pack Ser­vi­ços Con­nec­ted Dri­ve (315€); sis­te­ma de na­ve­ga­ção pro­fis­si­o­nal (2.099€); pai­nel de ins­tru­men­tos em pe­le de me­ri­no BMW In­di­vi­du­al (1.534€)

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.