CONTACTO PORSCHE CAYENNE E-HYBRID

Já se sa­bia que o po­de­ro­so SUV ale­mão po­dia ser tão rá­pi­do e di­ver­ti­do de con­du­zir co­mo um icó­ni­co 911, mas, se­rá pos­sí­vel que te­nha os mes­mos con­su­mos de um uti­li­tá­rio? Pa­ra co­nhe­cer a res­pos­ta, con­ti­nue a ler...

Altagama Motor (Portugal) - - Sumário -

Após des­car­tar os Di­e­sel da sua ofer­ta, a Porsche re­for­ça a apos­ta nos mo­de­los hí­bri­dos. Se­rá es­te Cayenne um subs­ti­tu­to à al­tu­ra?

Há bar­rei­ras que exis­tem pa­ra se­rem que­bra­das, co­mo fez a Porsche com o pri­mei­ro Cayenne, de­mons­tran­do ao mun­do que o lo­gó­ti­po de Es­tu­gar­da não po­de ser apli­ca­do ape­nas a mo­de­los de re­cor­te des­por­ti­vo. Por­que com o Cayenne che­gou tam­bém o Di­e­sel e, mais im­por­tan­te ain­da, o fa­tor hí­bri­do.

Em 2010, a mar­ca ger­mâ­ni­ca sou­be an­te­ci­par-se ao se­tor com o pri­mei­ro Cayenne Hybrid. De­ri­va­do do Hybrid Pro- toty­pe de 2007, per­mi­tia per­cor­rer cer­ca de cin­co qui­ló­me­tros em mo­do elé­tri­co. Qu­a­tro anos mais tar­de, apro­vei­tan­do o resty­ling da se­gun­da ge­ra­ção, sur­giu uma evo­lu­ção, já com a tec­no­lo­gia PHEV (hí­bri­do plu­gin), que lhe con­ce­dia uma

au­to­no­mia elé­tri­ca mais alar­ga­da, nes­te ca­so de 36 km.

Po­de­ro­so

Ago­ra, com a ter­cei­ra ge­ra­ção re­cém-apre­sen­ta­da, a Porsche quis dar mais um pas­so na sua es­tra­té­gia hí­bri­da. Fo­mos co­nhe­cer a no­va en­car­na­ção des­te efi­ci­en­te SUV, cu­jos da­dos não en­ga- nam: 3,2 l/100 km e 72 g/km de CO2 si­tu­am-no à al­tu­ra dos me­lho­res mo­de­los ci­ta­di­nos, mas en­ver­gan­do um tra­je de cin­co me­tros e 2.295 kg, ca­rac­te­rís­ti­cas às que acres­cen­ta ain­da um con­jun­to me­câ­ni­co com 462 CV. Es­sa po­tên­cia re­sul­ta da com­bi­na­ção do mo­tor 3.0 V6 e 340 CV (do Cayenne ba­se) com uma uni­da- de elé­tri­ca de 136 CV. Es­se ren­di­men­to é acom­pa­nha­do de um bi­ná­rio de 700 N.m, dis­po­ní­veis lo­go a par­tir das 1.000 rpm

Fa­lan­do de me­lho­ri­as, a ba­te­ria de iões de lí­tio au­men­tou de ca­pa­ci­da­de, pas­san­do de 10,8 pa­ra 14,1 kwh. As­sim, a au­to­no­mia elé­tri­ca as­cen­de aos 44 km sem emis­sões de CO2 pa­ra a at­mos­fe­ra. Os tem­pos de car­re­ga­men­to da ba­te­ria tam­bém fo­ram re­vis­tos. Se con­tar­mos com uma Wall­box de 230 volts e 32 am­pe­res, o Cayenne E-hybrid es­ta­rá pron­to em so­men­te 2,3 ho­ras. No en­tan­to, se a li­ga­ção for fei­ta nu­ma to­ma­da do­més­ti­ca de 10 am­pe­res, a es­pe­ra au­men­ta pa­ra 7,8 ho­ras.

À car­ga

Vi­a­já­mos até Mont­pel­li­er (Fran­ça) pa­ra co­nhe­cer es­ta no­va ge­ra­ção Cayenne plug-in, e ao ini­ci­ar a mar­cha, ação que é re­a­li­za­da pe­lo mo­tor elé­tri­co, sur­ge a pri­mei­ra sur­pre­sa: num ins­tan­te ‘vo­am’ 9 km de au­to­no­mia elé­tri­ca. O mes­mo é re­fle­ti­do no ecrã cen­tral de 12,3 po­le­ga­das, on­de o di­a­gra­ma da ba­te­ria anun­cia 35 km de au­to­no­mia. Pre­ci­sa­men­te o per­cur­so que cum­pri­mos na nos­sa ro­ta. E tu­do com um gas­to mé­dio de 27,4 kwh/100 km – tem um va­lor ho­mo­lo­ga­do de 20,6.

Em­bo­ra a ve­lo­ci­da­de mé­dia te­nha ron­da­do os 60 km/h, pu­de­mos com­pro­var co­mo os seus 136 CV ‘elé­tri­cos’ per­mi­tem cir­cu­lar a 135 km/h sem di­fi­cul­da­des. O seu vi­gor é con­tun­den­te (0 a 60 km/h em 6,3 se­gun­dos), mas, co­mo é ha­bi­tu­al, quan­to mai­or a ve­lo­ci­da­de, me­nor a au­to­no­mia.

Ao es­go­tar a car­ga da ba­te­ria, o mo­do E-POWER des­li­ga-se e o mo­tor de com­bus­tão en­tra em ce­na. Ati­va-se de ime­di­a­to o pro­gra­ma Hybrid Au­to, que tam­bém faz a ges­tão de ener­gi­as de for­ma au­to­má­ti­ca. Aqui, o com­por­ta­men­to é qua­se idên­ti­co ao do Cayenne a ga­so­li­na, mas com um las­tro mai­or. De­ci­di­mos ati­var o mo­do Sport+ pa­ra con­se­guir um pou­co mais de vi­gor, uma vez que as­sim am­bos os mo­to­res fun­ci­o­nam em unís­so­no, li­ber­tan­do to­do o po­ten­ci­al dis­po­ní­vel. Nes­se per­fil, a ba­te­ria man­tém um ní­vel mí­ni­mo de car­ga pa­ra dis­por de su­fi­ci­en­tes pos- si­bi­li­da­des de aju­da ao mo­tor de com­bus­tão. Por­tan­to, o blo­co a ga­so­li­na du­pli­ca o seu tra­ba­lho e vai car­re­gan­do a pou­co e pou­co a ba­te­ria. Se qui­sés­se­mos ace­le­rar o car­re­ga­men­to das cé­lu­las de lí­tio, po­de­ría­mos sem­pre se­le­ci­o­nar o sub­pro­gra­ma E-char­ge. Du­ran­te os 130 km de re­gres­so, re­cu­pe­rá­mos 24 qui­ló­me­tros elé­tri­cos ob­ser­van­do, por ou­tro la­do, co­mo o com­bus­tí­vel se res­sen­tia, acres- cen­tan­do mais 2,5 li­tros à mé­dia re­al de 9,2 l/100 km.

Mas, in­do além des­se au­men­to, no fi­nal de con­tas, fi­ca cla­ro que o Cayenne E-hybrid com­ple­tou exa­ta­men­te du­as ho­ras de con­du­ção em ‘Emis­sões Ze­ro’. Pa­ra al­guns, po­de pa­re­cer pou­co, mas um tra­je­to de qua­se cin­co ho­ras, em que qua­se me­ta­de do tem­po não se gas­tou nem se po­luiu, po­de jus­ti­fi­car os 97.771€ des­ta va­ri­an­te.

Tem uma au­to­no­mia elé­tri­ca de 44 km pa­ra uma re­car­ga de 2,3 h

Ka­ram el She­nawy

À ex­ce­ção de al­guns de­ta­lhes, o de­se­nho in­te­ri­or é igual ao dos ou­tros mo­de­los da ga­ma Cayenne A par­tir de um sim­ples bo­tão é pos­sí­vel ati­var o mo­do de con­du­ção hí­bri­do. O ecrã de in­fo­en­tre­te­ni­men­to es­cru­ti­na ao de­ta­lhe a car­ga da ba­te­ria O lo­gó­ti­po na tra­sei­ra de­nun­cia a ver­são mais efi­ci­en­te do Cayenne. As pin­ças de tra­vão em ver­de áci­do di­fe­ren­ci­am os Porsche hí­bri­dos plug-in

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.