CONCEPT DS X E-TENSE

Na sua con­tí­nua bus­ca de re­fi­na­men­to e no­vas fron­tei­ras, a mar­ca de lu­xo do gru­po PSA con­ce­beu um mo­de­lo con­cep­tu­al mui­to van­guar­dis­ta, que pro­je­ta co­mo po­de­rá ser o car­ro do ano 2035. Bat­man fi­ca­ria or­gu­lho­so de o con­du­zir pe­las ru­as de Gotham City…

Altagama Motor (Portugal) - - Sumário - Ber­nar­do Gon­za­lez

Um bi­lu­gar de de­sign as­si­mé­tri­co, 100% elé­tri­co, ca­paz de de­sen­vol­ver 1.360 CV. Se­rá que um dia to­dos os des­por­ti­vos se­rão as­sim? A DS diz que sim…

Ago­ra que já se en­con­tra to­tal­men­te in­de­pen­den­te da mar­ca ma­triz, a Ci­troën, e já com o seu pri­mei­ro mo­de­lo a 100% a ro­lar pe­las es­tra­das da Eu­ro­pa – o DS 7 Cros­s­back, que en­sai­a­mos nes­ta edi­ção –, a di­vi­são de lu­xo do gru­po PSA deu car­ta bran­ca aos seus cri­a­ti­vos pa­ra que es­tes mos­tras­sem a sua vi­são do que se­ria o car­ro do fu­tu­ro a mé­dio pra­zo. “Fe­che os olhos e dei­xe que a sua ima­gi­na­ção lhe mos­tre co­mo po­de­rá ser o seu au- to­mó­vel de so­nho em 2035. Use os seus sen­ti­dos pa­ra des­co­brir co­mo no­vas for­mas, no­vos ma­te­ri­ais e no­vas tec­no­lo­gi­as po­dem ser com­bi­na­dos pa­ra apre­sen­tar um veí­cu­lo que, no fu­tu­ro, sim­bo­li­za­rá o lu­xo em qu­a­tro ro­das” é a men­sa­gem da mar­ca fran­ce­sa, e que ser­viu de mo­te pa­ra es­ta aven­tu­ra. Tão fu­tu­ris­ta é es­ta vi­são que a DS não apon­ta pa­ra a pró­xi­ma dé­ca­da (dos anos 20), mas sim pa­ra a se­guin­te. E des­sa for­ma, es­te concept pro­cu­ra ser ino­va­dor em to­das as áre­as, ten­do co­mo o seu pon­to de par­ti­da o pro­tó­ti­po E-tense.

Con­cei­to as­si­mé­tri­co

Os de­sig­ners fran­ce­ses pu­xa­ram por to­da a sua cri­a­ti­vi­da­de e ima­gi­na­ção pa­ra gi­zar um su­per­des­por­ti­vo que des­cen­de, se­gun­do a mar­ca, “do mes­mo mol­de do DS ori­gi­nal”, ain­da que de uma for­ma al­go abs­tra­ta. Is­to, por­que o X E-tense não só uti­li­za no­vas tec­no­lo­gi­as que, em ca­so de ca­so de cho­que ou aci­den­te, de­vol­vem a for­ma ori­gi­nal à car­ro­ça­ria, co­mo apre- sen­ta uma lo­ta­ção pa­ra dois, em­bo­ra num for­ma­to de du­plo mo­no­lu­gar. Me­lhor ex­pli­ca­do, pos­sui uma zo­na es­quer­da a des­co­ber­to, ao me­lhor es­ti­lo roadster, des­ti­na­da ex­clu­si­va­men­te ao con­du­tor. Es­te ace­de ao pos­to de co­man­do via uma pe­que­na por­ta em for­ma de asa de gai­vo­ta, fei­ta de fi­bra de car­bo­no e cou­ro. Uma vez sen­ta­do nu­ma bac­quet de for­ma pi­ra­mi­dal, que se ajus­ta ao seu con­tor­no, o con­du­tor tem di­an­te de si um vo­lan­te mi­ni­ma­lis­ta – com sen­so­res in­cor­po­ra­dos que

mo­ni­to­ri­zam os seus si­nais vi­tais – e dois pe­dais aos quais os téc­ni­cos da DS as­se­gu­ram ter da­da “ob­ses­si­va aten­ção”.

À sua di­rei­ta, o pas­sa­gei­ro vai en­vol­to nu­ma cú­pu­la de vi­dro, to­tal­men­te iso­la­do do ex­te­ri­or. Es­te tem co­mo itens de con­for- to um ban­co com aque­ci­men­to e fun­ções de mas­sa­gem, um sis­te­ma áu­dio de al­ta fi­de­li­da­de e um am­bi­en­te re­ves­ti­do dos ma­te­ri­ais mais no­bres apli­ca­dos na in­dús­tria au­to­mó­vel, co­mo cou­ro, ma­dei­ra e me­tal. Além dis­so, usu­frui de um vi­dro trans­pa­ren- te elec­tro­cro­má­ti­co na zo­na in­fe­ri­or do ha­bi­tá­cu­lo.

Fal­ta re­fe­rir que o de­sign do X E-tense é as­si­mé­tri­co, qua­se iné­di­to, com a gre­lha fron­tal a pen­der pa­ra o la­do do con­du­tor, ao pas­so que to­dos os vin­cos e zo­na de ca­pot di­an­tei­ro di­fe­rem da es­quer­da pa­ra a di­rei­ta.

Ele­tri­zan­te

O con­du­tor po­de re­la­xar e des­fru­tar da vi­a­gem, já que o X ETen­se ofe­re­ce um mo­do de con­du­ção au­tó­no­ma, al­go que po­de­rá ge­rir via um as­sis­ten­te

pes­so­al IRIS, que se apre­sen­ta sob a for­ma de ho­lo­gra­ma.

Ou­tra qua­li­da­de do X E-tense é a sua pro­pul­são. À par­te de ser 100% elé­tri­co, al­go que já co­me­ça a ser um da­do ad­qui­ri­do nos mo­de­los fu­tu­ris­tas, o que re­al­men­te cha­ma a aten­ção é o seu po­ten­ci­al. Em con­di­ções nor­mais, os seus 540 CV po­dem pa­re­cer mais que su­fi­ci­en­tes, mas quan­do se ati­va o per­fil mais des­por­ti­vo são ‘de­sen­ca­de­a­dos’ na­da me­nos que 1.360 CV de po­tên­cia. Pa­ra apu­rar to­dos os de­ta­lhes téc­ni­cos des­te con- cept, a DS te­ve o apoio dos en­ge­nhei­ros da equipa de Fór­mu­la E DS Vir­gin. Nes­ta ma­té­ria, o X E-tense go­za de um chas­sis em fi­bra de car­bo­no e até de sus­pen­sões com ar­qui­te­tu­ra de du­plos tri­ân­gu­los, tí­pi­cos de um mo­no­lu­gar.

De­fi­ni­ti­va­men­te, es­ta vi­são pa­re­ce ter ape­nas lu­gar nos so­nhos de quem o con­ce­beu, mas, bem vis­tas as coi­sas, o X E-tense po­de­rá vir a ins­pi­rar mo­de­los num fu­tu­ro bem mais pró­xi­mo do que ape­nas pa­ra 2035. Pe­lo me­nos Bat­man iria agra­de­cer…

Sen­do pu­ra­men­te elé­tri­co, de­sen­vol­ve 1.360 CV no seu per­fil de con­du­ção mais des­por­ti­vo

O X E-tense tem uma con­ce­ção as­si­mé­tri­ca, com o ha­bi­tá­cu­lo di­vi­di­do em dois. O pas­sa­gei­ro es­tá iso­la­do por uma cú­pu­la em vi­dro

As óti­cas são for­ma­das por fi­la­men­tos lu­mi­no­sos que re­cri­am um pa­drão tri­an­gu­lar

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.