Con­tac­to BMW X4

Se o pri­mei­ro X4 nas­ceu co­mo uma in­ter­pre­ta­ção à es­ca­la re­du­zi­da do X6, a se­gun­da ge­ra­ção che­ga com uma per­so­na­li­da­de mais de­fi­ni­da, num con­jun­to mai­or, mais di­nâ­mi­co e me­lhor equi­pa­do.

Altagama Motor (Portugal) - - Sumário -

Dei­xou de ser uma ver­são à es­ca­la do X6. A 2ª ge­ra­ção pro­me­te uma per­so­na­li­da­de mais de­fi­ni­da e um equi­pa­men­to mais ri­co

Afa­mí­lia X da mar­ca bá­va­ra en­con­tra­se em ple­no pro­ces­so de re­no­va­ção. Um dos úl­ti­mos a re­ce­ber no­vo fô­le­go é o SUV mé­dio de es­ti­lo cou­pé, o X4. Não se tra­ta de uma sim­ples atu­a­li­za­ção, mas de uma no­va ge­ra­ção por in­tei­ro, em vir­tu­de da no­va pla­ta­for­ma em­pre­gue – par­ti­lha­da com o no­vo X3 –, re­ce­ben­do, por is- so, mui­tas das mais re­cen­tes tec­no­lo­gi­as do seg­men­to.

De­pois de qua­tro anos em ce­na e de mais de 200 mil uni­da­des ven­di­das em to­do o Mun­do, o X4 se­rá, tal co­mo o seu ir­mão, fa­bri­ca­do na fá­bri­ca de Spar­tan­burg, na Ca­ro­li­na do Sul. E foi nes­se es­ta­do ame­ri­ca­no que ti­ve­mos opor­tu­ni­da­de de um pri­mei­ro con­tac­to com es­te mo­de­lo, o que não se­rá coin­ci­dên­cia, pois os EUA são um dos mer­ca­dos mais im­por­tan­tes pa­ra o X4.

Em gran­de

As úl­ti­mas cri­a­ções da BMW pa­re­cem cen­trar aten­ções na di­an­tei­ra, ain­da mais num mo­de­lo co­mo o X4, que trans­mi­te a es­sa zo­na mui­ta da sua for­ça vi­su­al. Não per­de a for­ma mus­cu­la­da do seu an­te­ces­sor, mas fá-lo com li­nhas mais es­ti­li­za­das que cul­mi­nam num pro­e­mi­nen­te por­tão tra­sei­ro. Tu­do en­vol­to em di­men­sões que au­men­tam de for­ma mar­can­te e com um in­te­ri­or pre­mium que se ves­te com o es­ti­lo mais con­tem­po­râ­neo da mar­ca bá­va­ra.

Ao vi­vo, no­ta-se cla­ra­men­te que é mai­or que a pri­mei­ra ge­ra­ção. O au­men­to do com­pri­men­to é sig­ni­fi­ca­ti-

vo – com mais 81 mm, al­can­ça os 4,75 me­tros –, bem co­mo a dis­tân­cia en­tre ei­xos, ago­ra de 2,96 me­tros, após um au­men­to de 54 mm.

As­su­me, igual­men­te, um ca­rác­ter atlé­ti­co pe­la su­pe­ri­or lar­gu­ra (37 mm) e pe­la al­tu­ra re­du­zi­da em 3 mm. A par dis­so, so­freu uma cu­ra de ema­gre­ci­men­to fa­ce ao seu an­te­ces­sor, que che­ga aos 50 kg, de­pen­den­do dos equi­pa­men­tos.

Por den­tro, me­lho­ra li­gei­ra­men­te na área pa­ra as per­nas dos pas­sa­gei­ros tra­sei­ros, on­de man­tém um es­pa­ço ra­zoá­vel pa­ra aco­mo­dar du­as pes­so­as – o pas­sa­gei­ro do lu­gar cen­tral vai mui­to pró­xi­mo do te­to. A li­nha des­cen­den­te do te­ja­di­lho, sem ser mui­to pro­nun­ci­a­da, di­fi­cul­ta a en­tra­da e saí­da do veí­cu­lo nos lu­ga­res tra­sei­ros.

De igual for­ma, re­duz a vi­si­bi­li­da­de a par­tir do re­tro­vi­sor in­te­ri­or, um pre­ço a pa­gar em to­dos os SUV de es­ti­lo cou­pé.

Fru­to das su­as di­men­sões mai­o­res, tam­bém a ba­ga­gei­ra ga­nha vo­lu­me­tria, com 525 li­tros, mais 25 do que an­tes. As su­as for­mas re­gu­la­res fa­ci­li­tam a co­lo­ca­ção de ba­ga­gens, em­bo­ra o ní­vel de car­ga se­ja ele­va­do.

Di­nâ­mi­ca re­for­ça­da

Fa­ce ao X3, com o qual par­ti­lha a es­tru­tu­ra e mui­tos com­po­nen­tes me­câ­ni­cos, o X4 acu­sa um com­por­ta­men­to mais des­por­ti­vo, man­ten­do ain­da as­sim um bom con­for­to. As sus­pen­sões ado­tam um acer­to con­di­zen­te, com um com­pro­mis­so mais pensado pa­ra um uso em as­fal­to e amor­te­ci­men­to mais fir­me. Em es­tra­da, es­te cou­pé mos­tra­se só­li­do e es­tá­vel, com re­du­zi­do ro­la­men­to da car­ro­ça­ria, so­bre­tu­do em tro­ços si­nu­o­sos. Aju­da o fac­to de con­tar com um bom ta­to de di­re­ção (com con­fi­gu­ra­ção des­por­ti­va va­riá­vel de sé­rie) e do ei­xo di­an­tei­ro (com pou­ca sub­vi­ra­gem), ali­a­do à tra­ção in­te­gral xdri­ve, in­cluí­da em to­da a ga­ma.

Não che­gá­mos a ‘to­car’ na ter­ra nes­te pri­mei­ro con­tac­to,

A ofer­ta de mo­to­res é com­ple­ta, com po­tên­ci­as en­tre 184 e 360 CV

su­per­fí­cie na qual o no­vo X4 não é pro­pri­a­men­te es­pe­ci­a­lis­ta, em­bo­ra con­te com do­tes to­do-o-ter­re­no acei­tá­veis: ân­gu­los de en­tra­da e de saí­da de 25,7º e 22,6º, res­pe­ti­va­men­te, dis­tân­cia ao so­lo de 204 mm e 500 mm de ca­pa­ci­da­de a vau. Sem um mo­do de con­du­ção off-ro­ad es­pe­cí­fi­co, ape­nas con­ta com um Hill Des­cent Con­trol pa­ra ata­car des­ci­das mui­to ín­gre­mes.

Ape­nas au­to­má­ti­co

Na fa­se de lan­ça­men­to, a ofer­ta me­câ­ni­ca é com­pos­ta por du­as ver­sões a ga­so­li­na de qua­tro ci­lin­dros – xdri­ve20i de 184 CV e xdri­ve30i de 252 CV –, jun­ta­men­te com três Di­e­sel. Nes-

Ju­an Pa­blo Es­te­ban

To­dos os fa­róis con­tam com lu­zes LED. Os da di­an­tei­ra são bas­tan­te di­fe­ren­tes dos do an­te­ri­or X4

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.