“O meu cão é agres­si­vo, co­mo tal, tem um pro­ble­ma com­por­ta­men­tal”

Caes & Companhia - - TREINO -

Nem sem­pre a exi­bi­ção de com­por­ta­men­tos agres­si­vos se pren­de uni­ca­men­te com fa­to­res com­por­ta­men­tais. Mui­tas pes­so­as não es­tão ci­en­tes de que exis­tem inú­me­ros pro­ble­mas mé­di­cos que po­dem es­tar na ori­gem da exi­bi­ção de com­por­ta­men­tos agres­si­vos. Epi­lep­sia, pro­ble­mas na ti­rói­de, pro­ble­mas neu­ro­ló­gi­cos ou hi­po­ti­roi­dis­mo são al­gu­mas das do­en­ças que têm co­mo sin­to­mas a exi­bi­ção de com­por­ta­men­tos agres­si­vos, in­clu­si­ve al­gu­mas des­tas do­en­ças têm ape­nas co­mo sin­to­mas os com­por­ta­men­tos agres­si­vos e mais ne­nhuns, o que tor­na mui­to di­fí­cil a de­te­ção das mes­mas pe­los mé­di­cos ve­te­ri­ná­ri­os. Fa­zer exa­mes mé­di­cos com­ple­tos e mui­to mi­nu­ci­o­sos quan­do um cão co­me­ça a apre­sen­tar com­por­ta­men­tos agres­si­vos é uma das ações mais im­por­tan­tes a to­mar pa­ra evi­tar ini­ci­ar­mos o tra­ta­men­to de al­go que não foi de­vi­da­men­te iden­ti­fi­ca­do. É tam­bém im­por­tan­te fa­lar dos qua­dros de dor. A dor, ou a me­mó­ria da dor, po­de e é um dos prin­ci­pais mo­ti­vos pe­los quais os com­por­ta­men­tos agres­si­vos po­dem ser exi­bi­dos. Quan­do o cão tem al­go tão sim­ples, mas co­mum, co­mo ar­tri­tes ou ar­tro­ses, que lhe cau­se dor e des­con­for­to, o to­que ou a in­ten­ção de to­que na­que­le lo­cal po­de ser su­fi­ci­en­te pa­ra exi­bir com­por­ta­men­tos agres­si­vos. As­sim co­mo a me­mó­ria da dor. Se um cão foi ma­go­a­do na pa­ta, de­pois de cu­ra­do, se brin­car com ou­tro cão mais bru­to, que caia em ci­ma de­le, com re­ceio de sen­tir a dor na pa­ta (al­go que es­tá ain­da re­cen­te na sua me­mó­ria) po­de en­trar em con­fli­to com o ou­tro cão. É mui­to im­por­tan­te não des­cu­rar­mos a saú­de do cão co­mo par­te in­te­gral e re­le­van­te na exi­bi­ção de com­por­ta­men­tos agres­si­vos. Quan­do o nos­so cão exi­be com­por­ta­men­tos agres­si­vos, es­tes po­dem ser fru­to de al­go mui­to mai­or do que um pro­ble­ma com­por­ta­men­tal, po­dem ser um sin­to­ma de um pro­ble­ma de saú­de.

Es­tes são al­guns dos mi­tos mais co­muns ali­a­dos à exi­bi­ção de com­por­ta­men­tos agres­si­vos, mas lem­bre-se que to­dos os com­por­ta­men­tos po­dem ser mo­di­fi­ca­dos

To­dos os com­por­ta­men­tos po­dem ser mo­di­fi­ca­dos!

Es­tes são al­guns dos mi­tos mais co­muns ali­a­dos à exi­bi­ção de com­por­ta­men­tos agres­si­vos. Ao des­mis­ti­fi­cá-los es­pe­ro que as pes­so­as en­ten­dam me­lhor os seus cães e os seus com­por­ta­men­tos e con­si­gam aju­dá-los de for­ma mais efi­caz. Lem­bre-se que to­dos os com­por­ta­men­tos po­dem ser mo­di­fi­ca­dos. Se o seu cão exi­bir um com­por­ta­men­to que o pre­o­cu­pa, não es­pe­re, con­tac­te ime­di­a­ta­men­te um trei­na­dor qua­li­fi­ca­do e ex­pe­ri­en­te em mé­to­dos li­vres de for­ça pa­ra que pos­sa aju­dá-lo a si e ao seu cão. Quan­to mais ce­do o fi­zer, mais fá­cil se­rá aju­dar-vos e mais efi­caz e efi­ci­en­te se­rá o trei­no.

Pro­ble­mas mé­di­cos ou dor po­dem ser a cau­sa da exi­bi­ção de com­por­ta­men­tos agres­si­vos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.