Pre­pa­re o seu cão e o seu ga­to pa­ra as fé­ri­as

Co­mo pre­ve­nir a an­si­e­da­de nes­te pe­río­do

Caes & Companhia - - NUTRIÇÃO -

Nes­te pe­río­do que se apro­xi­ma é mui­to fre­quen­te os do­nos le­va­rem os seus ani­mais com eles de mo­do a pas­sa­rem es­ta épo­ca do ano to­dos jun­tos. A prin­ci­pal van­ta­gem em vi­a­jar com o seu cão ou o seu ga­to é a com­pa­nhia e a di­ver­são que o seu ani­mal de es­ti­ma­ção lhe pro­por­ci­o­na. Mas an­tes de fa­zer uma vi­a­gem é re­al­men­te ne­ces­sá­rio to­mar pre­cau­ções que, ape­sar de sim­ples, não dei­xam de ser im­por­tan­tes pa­ra ga­ran­tir o bem-es­tar do seu ani­mal.

Ao le­var o seu ga­to ou cão con­si­go em vi­a­gem te­nha em aten­ção di­ver­sos as­pe­tos, tais co­mo: a ba­ga­gem do ani­mal, com­pos­ta por co­lei­ra (com no­me, mo­ra­da e te­le­fo­ne) e tre­la, ali­men­to em quan­ti­da­de ade­qua­da, água fres­ca, do­cu­men­tos, to­a­lha, ca­ma e far­má­cia bá­si­ca re­co­men­da­da pe­lo seu mé­di­co ve­te­ri­ná­rio. É fun­da­men­tal que as va­ci­nas e as des­pa­ra­si­ta­ções es­te­jam em dia.

Vi­a­gens de car­ro

Se seu ani­mal não es­tá con­for­tá­vel nem cos­tu­ma an­dar mui­to de car­ro, dê umas vol­tas per­to de ca­sa an­tes de co­me­çar a vi­a­gem. Se for um cão, vá a um par­que que ele já co­nhe­ça pa­ra que as­so­cie o an­dar de car­ro com uma ex­pe­ri­ên­cia agra­dá­vel. Sem­pre que op­tar pe­las vi­a­gens de au­to­mó­vel, é acon­se­lhá­vel que o seu cão ocu­pe o ban­co tra­sei­ro e evi­te que po­nha a ca­be­ça de fo­ra da ja­ne­la (as ja­ne­las de­vem ir li­gei­ra­men­te aber­tas, ape­nas pa­ra dei­xar cir­cu­lar o ar). Exis­tem cin­tos de se­gu­ran­ça es­pe­cí­fi­cos pa­ra cães que re­du­zem

o ris­co de fe­ri­men­tos ca­so ha­ja um aci­den­te de vi­a­ção, as­sim co­mo evi­tam que o ani­mal dis­traia o con­du­tor. Exis­tem ain­da, cai­xas de trans­por­te que são seguras, con­for­tá­veis e que ga­ran­tem a se­gu­ran­ça do seu ani­mal. Em re­la­ção aos ga­tos é sem­pre re­co­men­dá­vel trans­por­tá-lo na sua cai­xa trans­por­ta­do­ra pe­los mo­ti­vos men­ci­o­na­dos e, por ou­tro la­do, o seu ga­to sen­tir-se-á mais se­gu­ro e mui­to me­nos an­si­o­so.

En­jo­os nas vi­a­gens

Al­guns ani­mais, prin­ci­pal­men­te jo­vens, ain­da sem o há­bi­to de an­dar de au­to­mó­vel, po­dem en­jo­ar du­ran­te a vi­a­gem. Pa­ra o evi­tar, é acon­se­lhá­vel que se­ja acos­tu­ma­do aos mo­vi­men­tos do au­to­mó­vel em pas­sei­os ou vi­a­gens cur­tas. Evi­te dar ali­men­to nas três ho­ras que an­te­ce­dem a vi­a­gem e se ne­ces­sá­rio, po­de­rá ad­mi­nis­trar-lhe um me­di­ca­men­to an­ti-en­joo ou, até mes­mo um se­da­ti­vo. Mas aten­ção! Es­tes me­di­ca­men­tos de­vem ser obri­ga­to­ri­a­men­te pres­cri­tos pe­lo mé­di­co ve­te­ri­ná­rio.

Além des­tas di­cas, po­de op­tar por um ali­men­to es­pe­cí­fi­co que aju­de a con­tro­lar a an­si­e­da­de, e os pro­ble­mas di­ges­ti­vos e de pe­le as­so­ci­a­dos

Quan­do o ani­mal não vai de fé­ri­as

Se de­ci­dir não le­var o seu ani­mal de es­ti­ma­ção fé­ri­as, lem­bre-se que a pró­pria es­ta­dia num ho­tel ou al­guém que fi­que com o seu ani­mal, po­de­rão ser mo­ti­vo de an­si­e­da­de pa­ra o seu ani­mal. No ca­so dos ga­tos, eles pre­fe­rem fi­car em ca­sa e que al­guém pos­sa lá ir dar de co­mer, mu­dar água e dar-lhes aten­ção. O ga­to sen­te-se mais con­fi­an­te quan­do fi­ca em ca­sa, pois co­nhe­ce bem to­dos os can­tos e sen­te o seu pró­prio chei­ro na ca­sa. No ca­so dos cães, es­tes adap­tam-se me­lhor que os ga­tos a no­vos lo­cais, no en­tan­to, não se es­que­ça de le­var ob­je­tos que lhes se­jam fa­mi­li­a­res, tais co­mo, brin­que­dos, ca­ma ou al­mo­fa­da e uma pe­ça de rou­pa sua que te­nha o chei­ro do do­no, is­so aju­da­rá o ani­mal a adap­tar-se.

Si­nais de an­si­e­da­de

Exis­tem al­guns si­nais a que de­ve es­tar aten­to, pois po­dem re­ve­lar que o seu ani­mal es­tá com mais an­si­e­da­de, por exem­plo: • Al­te­ra­ções de ape­ti­te; • Al­te­ra­ções de com­por­ta­men­to (o ani­mal es- con­de-se mais do que o ha­bi­tu­al, evi­ta con­tac­to com os do­nos ou ou­tras pes­so­as, la­dra ou ui­va mais do que o ha­bi­tu­al, lam­be ex­ces­si­va­men­te al­gu­mas áre­as do cor­po, es­pe­ci­al­men­te os ga­tos que in­ge­rem mui­to mais pe­lo e que po­de con­du­zir à for­ma­ção de bo­las de pe­lo, e ain­da te­rem com­por­ta­men­to des­tru­ti­vo); • Sin­to­mas di­ges­ti­vos (vó­mi­to, di­ar­reia); • Mic­ção em lo­cais ina­pro­pri­a­dos. No ca­so dos ga­tos, é bas­tan­te fre­quen­te ocor­re­rem pro­ble­mas uri­ná­ri­os de­vi­do ao au­men­to de an­si­e­da­de.

Co­mo aju­dar a man­ter o equi­lí­brio emo­ci­o­nal e a di­mi­nuir a an­si­e­da­de do seu ani­mal nes­te pe­río­do de fé­ri­as?

Pa­ra além das di­cas da­das, po­de op­tar por um ali­men­to es­pe­cí­fi­co que aju­de a con­tro­lar a an­si­e­da­de, bem co­mo os pro­ble­mas di­ges­ti­vos e de pe­le ge­ral­men­te as­so­ci­a­dos. O ali­men­to ade­qua­do pa­ra es­tas si­tu­a­ções de­ve­rá con­ter: • Uma com­bi­na­ção úni­ca de nu­tri­en­tes que con­tri­bu­em pa­ra aju­dar a re­cu­pe­rar o equi­lí­brio emo­ci­o­nal no ga­to e do cão, tais co­mo, a al­fa-ca­so­ze­pi­na (pro­teí­na do lei­te com efei­to cal­man­te) e o L-trip­to­fa­no (um per­cus­sor da se­ro­to­ni­ma – hor­mo­na do bem-es­tar); • Um con­jun­to de vi­ta­mi­nas do com­ple­xo B que aju­dam a re­for­çar a bar­rei­ra cu­tâ­nea e man­ter a pe­le hi­dra­ta­da e sau­dá­vel; • Pre­bió­ti­cos que aju­dem a pro­mo­ver se­gu­ran­ça

di­ges­ti­va e a re­gu­lar a flo­ra in­tes­ti­nal; • Uma com­po­si­ção mi­ne­ral que aju­de a pre­ve­nir o de­sen­vol­vi­men­to de cris­tais uri­ná­ri­os co­mo a es­tru­vi­te e o oxa­la­to de cál­cio; • E, no ca­so dos ga­tos, uma com­bi­na­ção de fi­bras que aju­dem a re­du­zir a for­ma­ção de bo­las de pe­lo.

Fa­le com o mé­di­co ve­te­ri­ná­rio

A pres­cri­ção de uma di­e­ta des­te ti­po é fei­ta pe­lo seu mé­di­co ve­te­ri­ná­rio e, ide­al­men­te, de­ve ser re­co­men­da­da 4 se­ma­nas an­tes da mu­dan­ça pre­vis­ta à ro­ti­na, de mo­do a aju­dar o seu ani­mal a man­ter o equi­lí­brio emo­ci­o­nal e o bem-es­tar du­ran­te es­se pe­río­do de adap­ta­ção. É uma so­lu­ção sim­ples pa­ra aju­dar a re­sol­ver si­tu­a­ções, por ve­zes, com­pli­ca­das, tan­to pa­ra os ani­mais co­mo pa­ra os seus do­nos, es­pe­ci­al­men­te nos pe­río­dos de fé­ri­as em que o seu ani­mal tem de vi­a­jar con­si­go ou tem de o dei­xar num ho­tel.

No ca­so dos ga­tos, eles pre­fe­rem fi­car em ca­sa e que al­guém pos­sa lá ir dar de co­mer, mu­dar água e dar-lhes aten­ção.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.