Co­mo es­co­var um cão?

Cães de pe­lo com­pri­do são mui­to po­pu­la­res por­que têm a apa­rên­cia de “ur­si­nhos de pe­lu­che”. Não lar­gam tan­to pe­lo, e ape­sar de os do­nos sa­be­rem à par­ti­da que ca­re­cem de al­guns cui­da­dos de pe­la­gem, des­cui­dam um pou­co na es­co­va­gem. De iní­cio é tu­do mui­to bon

Caes & Companhia - - CONTENTS - Isa­bel No­bre Gro­o­mer Pro­fis­si­o­nal Fo­tos: Car­la Cruz

Pa­ra um cão de pe­lo com­pri­do se­do­so, ti­po Yorkshi­re Ter­ri­er, é tu­do uma ques­tão de hi­dra­ta­ção e re­gu­la­ri­da­de. E qu­an­to mais com­pri­do for o pe­lo, mais re­gu­lar te­rá de ser a es­co­va­gem. É ver­da­de que uma car­da­dei­ra (es­co­va com den­tes de ara­me) par­te o pe­lo e que o ide­al se­ria uma es­co­va oval, que não par­te tan­to o pe­lo. No en­tan­to, na re­a­li­da­de, a gran­de mai­o­ria dos do­nos não es­co­va os seus ani­mais com a re­gu­la­ri­da­de que de­via e quan­do efe­ti­va­men­te pe­gam no seu ani­mal pa­ra o es­co­var já exis­tem al­guns nós que uma es­co­va oval não re­mo­ve e exis­te ne­ces­si­da­de de uti­li­zar a car­da­dei­ra.

Com­pri­men­tos dos den­tes

Ou­tro pon­to a ter em con­si­de­ra­ção é o com­pri­men­to dos den­tes dos pen­tes e es­co­vas. Qu­an­to mais den­so é o pe­lo, mais com­pri­dos de­ve­rão de ser os den­tes. Se os den­tes fo­rem de­ma­si­a­do cur­tos têm bas­tan­te di­fi­cul­da­de em pe­ne­trar no pe­lo e a es­co­va­gem tor­nar-se-á de­fi­ci­en­te. Daí que, se o seu cão tem um pe­lo far­to e den­so, es­co­lha ma­te­ri­al com den­tes mais com­pri­dos.

Es­co­lha do ma­te­ri­al

Ca­da ca­so é um ca­so e a es­co­lha do ma­te­ri­al de­pen­de de inú­me­ros fa­to­res. Com que re­gu­la­ri­da­de es­co­va? Qual o seu or­ça­men­to? Qual o com­pri­men­to de pe­lo que man­tém no seu ani­mal? Com que re­gu­la­ri­da­de vi­si­ta um sa­lão de Gro­o­ming pa­ra a ma­nu­ten­ção do cor­te? Is­to por­que exis­te ma­te­ri­al pa­ra to­dos os bol­sos e pa­ra ne­ces­si­da­des es­pe­cí­fi­cas, e de­pen­den­do de ca­da uma de­las, as­sim de­pen­de a es­co­lha do ma­te­ri­al. É evi­den­te que po­den­do com­prar uma boa es­co­va e um bom pen­te, e uma vez cui­dan­do bem do ma­te­ri­al, é pro­vá­vel que o mes­mo du­re to­da a vi­da do seu ani­mal de es­ti­ma­ção. Mas se­rá que po­de dar 90€ por uma car­da­dei­ra? E 50€ por um pen­te? Es­te ma­te­ri­al ca­ro va­le a pe­na, por­que é efi­caz e re­duz o tem­po de es­co­va­gem subs­tan­ci­al­men­te. Além de que é bas­tan­te re­sis­ten­te. Mas se não po­de gas­tar es­se di­nhei­ro, es­co­lhe-se ou­tro ti­po de ma­te­ri­al.

Es­co­va oval de pi­nos de me­tal

Es­te ti­po de es­co­va é in­di­ca­do pa­ra ani­mais de pe­lo fi­no, se­do­so e pou­co den­so. É su­a­ve e não par­te tan­to o pe­lo.

Car­da­dei­ra

É in­di­ca­da pa­ra re­mo­ver al­guns nós e aju­da tam­bém a re­mo­ver pe­lo mor­to. É um ins­tru­men­to bas­tan­te ver­sá­til, que dá pa­ra to­dos os ti­pos de pe­lo.

No­ta: Uti­li­zar com bas­tan­te cui­da­do, pois os den­tes são de ara­me e po­dem ar­ra­nhar o ani­mal.

Pen­te de me­tal

Pen­tes pa­ra Gro­o­ming são sem­pre de me­tal. Exis­tem vá­ri­os ti­pos e ta­ma­nhos, es­co­lha um de acor­do com o ta­ma­nho do seu cão. Se tem um cão pe­que­no, com­pre um pe­que­no e se o seu cão é de gran­de por­te, com­pre um gran­de. Os pen­tes ti­po Greyhound têm uma par­te com os den­tes mais es­pa­ça­dos e ou­tra com os den­tes mais jun­tos. Es­tes são os mais in­di­ca­dos, pois pri­mei­ro pas­sa a par­te mais lar­ga pa­ra abrir o pe­lo e de­pois pas­sa a par­te mais fi­na.

An­ci­nhos

Os an­ci­nhos são ex­ce­len­tes pa­ra zo­nas de di­fí­cil aces­so em cães de gran­de e mé­dio por­te, ou pa­ra re­mo­ver pe­lo mor­to. As­sim co­mo os pen­tes e as es­co­vas, es­co­lha um an­ci­nho com os den­tes de acor­do com a den­si­da­de do pe­lo do seu cão, pois se com­prar um com os den­tes mui­to cur­tos e o seu cão ti­ver o pe­lo mui­to den­so, não con­se­gui­rá pas­sar da su­per­fí­cie do pe­lo e a es­co­va­gem é in­su­fi­ci­en­te.

Te­nha em aten­ção!

Qual­quer cão de­ve­ria ser es­co­va­do quan­do o pe­lo es­ti­ves­se la­va­do e hú­mi­do. A su­ji­da­de no pe­lo tor­na-o que­bra­di­ço. Se es­tá a ten­tar fa­zer com que o pe­lo do seu cão cres­ça não o es­co­ve em ca­sa e le­ve-o a um sa­lão de gro­o­ming pa­ra que es­te to­me ba­nho e se­ja es­co­va­do du­ran­te a se­ca­gem, com o pe­lo lim­po e hi­dra­ta­do.

A Shei­la é uma ca­de­la da ra­ça Bar­ba­do da Ter­cei­ra. Uma ra­ça de pe­lo com­pri­do, bas­tan­te den­so e com sub­pe­lo. De­pen­den­do da es­ta­ção do ano é mais ou me­nos pro­fu­so. Ma­te­ri­al uti­li­za­do pa­ra es­co­var a Shei­la: Es­co­va de pi­nos com­pri­dos de me­tal, Car­da­dei­ra pa­ra pe­los den­sos (den­tes com­pri­dos), Pen­te de me­tal e An­ci­nho com den­tes com­pri­dos.

Es­co­va de pi­nos com­pri­dos de me­tal, Car­da­dei­ra pa­ra pe­los den­sos (den­tes com­pri­dos), Pen­te de me­tal e An­ci­nho com den­tes com­pri­dos.

3. Após ter aber­to e se­pa­ra­do o pe­lo do cor­po to­do, pas­se um an­ci­nho ou um pen­te de den­tes lar­gos (op­ci­o­nal) e pen­teie o cor­po to­do do ani­mal.

5. Dei­te o seu cão pa­ra con­se­guir che­gar às zo­nas de di­fí­cil aces­so, que são as vi­ri­nhas, axi­las, om­bros e pei­to. Não se es­que­ça dos ge­ni­tais, pois tam­bém têm pe­lo.

1. O pri­mei­ro pas­so é hi­dra­tar o pe­lo com um acon­di­ci­o­na­dor em spray ade­qua­do ao ti­po de pe­lo. Usei “Crown Roya­le – for­mu­la 2”.

8. Da es­co­va­gem da Shei­la, saiu li­te­ral­men­te ou­tro cão! Es­pe­ro que te­nha gos­ta­do e bom Gro­o­ming!

6. Vol­te a co­lo­car o cão de pé. Pas­se o pen­te pe­lo cor­po to­do pa­ra ve­ri­fi­car que não fi­cou ne­nhum nó es­que­ci­do e fi­na­li­ze com uma es­co­va­gem fi­nal ao seu gos­to.

2. Em se­gui­da e sem­pre com o pe­lo li­gei­ra­men­te hu­me­de­ci­do, se­pa­rar to­do o pe­lo com uma car­da­dei­ra de den­tes com­pri­dos pa­ra que che­gue o mais fun­do pos­sí­vel.

7. A Shei­la es­co­va­da.

4. Es­co­ve to­do o cor­po, até ver a pe­le.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.