Gro­o­ming an­tes, du­ran­te e de­pois das fé­ri­as

Di­cas pa­ra an­tes, du­ran­te e de­pois!

Caes & Companhia - - NEWS - Isabel No­bre Gro­o­mer Pro­fis­si­o­nal Fotos: Shut­ters­tock

Che­ga­ram as fé­ri­as, os ba­nhos de mar ou de rio, os lon­gos pas­sei­os e pi­que­ni­ques. Se tem um ani­mal de es­ti­ma­ção é na­tu­ral que quei­ra le­vá-lo con­si­go pa­ra to­do o la­do. E, a não ser que ar­ren­de uma ca­sa on­de não se­jam per­mi­ti­dos ani­mais, se o le­var con­si­go, a úl­ti­ma coi­sa que quer é ter de pas­sar mui­to tem­po a tra­tar-lhe do pe­lo.

Mas ain­da as­sim, te­rá de ter al­guns cui­da­dos com o seu ami­go de qua­tro pa­tas. Quan­to mais não se­ja, pa­ra ter umas fé­ri­as des­can­sa­das. Ter um ani­mal de es­ti­ma­ção re­quer sem­pre al­guns cui­da­dos, mes­mo nas fé­ri­as.

Vi­si­te um sa­lão de Gro­o­ming an­tes de ir de fé­ri­as

Ca­so vá de fé­ri­as, e es­pe­ci­al­men­te se tem um cão de pe­lo com­pri­do, é con­ve­ni­en­te vi­si­tar an­tes um sa­lão de Gro­o­ming. Se tem um cão com du­pla pe­la­gem, não é de to­do con­ve­ni­en­te cor­tar-lhe

o pe­lo. Mas é im­por­tan­te que es­te to­me um bom ba­nho e que le­ve uma va­len­te es­co­va­gem pa­ra re­mo­ver to­do o pe­lo mor­to, pa­ra que se man­te­nha fres­co no ve­rão. Uma pe­la­gem bem tra­ta­da per­mi­te a cir­cu­la­ção de ar por entre os pe­los e aju­da a re­fres­car o seu cão. Se tem um cão de pe­lo com­pri­do po­de per­fei­ta­men­te cor­tar-lhe o pe­lo um

pou­co mais cur­to, evi­tan­do que pa­lhas ou ou­tro ti­po de de­tri­tos se agar­rem a es­te. No en­tan­to, não é acon­se­lhá­vel que a pe­le fi­que ex­pos­ta, pois uma vez que o pe­lo con­fe­re pro­te­ção à mes­ma, o seu cão po­de apa­nhar quei­ma­du­ras so­la­res. Se o seu cão for ra­pa­do vis­ta-lhe uma t-shirt nas ho­ras de ca­lor. Uma das op­ções que re­co­men­do a Coc­kers e cães de fran­jas, es­pe­ci­al­men­te se são pets (ani­mais de com­pa­nhia), é que as pa­tas fi­quem mais cur­tas, as­sim co­mo as fran­jas e o interior das ore­lhas. Fa­ci­li­ta mui­to a ma­nu­ten­ção de pe­la­gem, per­mi­te al­gum are­ja­men­to e aju­da a pre­ve­nir oti­tes. Quem tem um Coc­ker sa­be bem que tu­do se agar­ra às ore­lhas!

Es­co­var sem­pre

A se­guir aos pas­sei­os pe­lo cam­po ou pe­la praia, é con­ve­ni­en­te que o es­co­ve sem­pre. Não só pa­ra ve­ri­fi­car se há al­gu­ma pra­ga­na ou pa­ra­si­ta, mas tam­bém pa­ra lhe se­pa­rar o pe­lo. Evi­ta nós nos cães de pe­lo com­pri­do e per­mi­te aos cães de pe­lo cur­to, e de pe­la­gem du­pla, que o pe­lo con­ti­nue sol­to e are­ja­do.

Lim­pe­za au­ri­cu­lar

A lim­pe­za au­ri­cu­lar é im­por­tan­te to­do o ano, mas es­pe­ci­al­men­te se o seu cão vai na­dar. Co­mo já re­fe­ri em ar­ti­gos an­te­ri­o­res, não é a água lim­pa das nos­sas tor­nei­ras que cau­sa oti­tes, mas sim as águas não tra­ta­das dos ri­os, la­gos e praia. As­sim que che­gue a ca­sa de al­gum des­tes lu­ga­res, se o seu cão foi à água, lim­pe sem­pre os ou­vi­dos re­cor­ren­do a lí­qui­dos de lim­pe­za au­ri­cu­la­res ade­qua­dos.

A se­guir aos pas­sei­os pe­lo cam­po ou pe­la praia, é con­ve­ni­en­te que es­co­ve sem­pre o pe­lo e ve­ri­fi­que se há pra­ga­nas ou pa­ra­si­tas

Ma­nu­ten­ção das unhas

Já sa­be­mos que a ma­nu­ten­ção das unhas é im­por­tan­te du­ran­te to­do o ano, mas no ve­rão, por­que es­tá ca­lor, as unhas se­cam e par­tem com mais fa­ci­li­da­de. Se man­ti­ver sem­pre as unhas cur­tas, não só aju­da a que a pa­ta se man­te­nha com a po­si­ção cor­re­ta, tor­nan­do a ca­mi­nha­da mais con­for­tá­vel pa­ra o seu cão, mas tam­bém evi­ta que as unhas fi­quem res­se­qui­das e par­tam com fa­ci­li­da­de.

Cui­da­dos com as pa­tas

As pa­tas são sem­pre es­que­ci­das nas fé­ri­as, e são tão ou mais im­por­tan­tes que o res­to, pois as ca­mi­nha­das em di­as quentes são sem­pre mui­to agres­si­vas pa­ra as pa­ti­nhas do seu cão. Se faz mui­tas ca­mi­nha­das em ter­re­nos

agres­tes, é acon­se­lhá­vel que com­pre um bál­sa­mo pa­ra as al­mo­fa­das plan­ta­res

do seu cão. Fun­ci­o­na co­mo pro­te­ção, evi­ta que as mes­mas fi­quem fe­ri­das, mas não é à pro­va de tu­do. Quan­do che­gar do pas­seio, lim­pe as pa­tas ao seu cão e co­lo­que no­va­men­te o bál­sa­mo pa­ra que as pa­tas re­cu­pe­rem e es­te­jam pre­pa­ra­das pa­ra o pas­seio se­guin­te.

Mui­to im­por­tan­te: Não an­de no al­ca­trão nas ho­ras de ca­lor. Se es­tá quen­te pa­ra si, es­tá quen­te pa­ra ele. Em ca­so de dú­vi­da, des­cal­ce-se e ex­pe­ri­men­te!

Pro­te­ja-o dos pa­ra­si­tas

O con­tro­lo pa­ra­si­tá­rio de­ve fa­zer-se to­do o ano. Sa­be­mos que o me­lhor é pre­ve­nir e que exis­tem pa­ra­si­tas ex­ter­nos sem­pre. Mas tam­bém sa­be­mos que au­men­tam bas­tan­te no ve­rão. Es­co­lha o ti­po de an­ti­pa­ra­si­tá­rio de acor­do com o seu es­ti­lo de vi­da. Se o seu cão tem e man­tém uma pe­la­gem com­pri­da, as co­lei­ras an­ti­pa­ra­si­tá­ri­as não são de to­do acon­se­lhá­veis, pois em­ba­ra­çam mui­to o pe­lo. Se o seu cão pas­sa mui­to tem­po na água, es­que­ça as pi­pe­tas, os sprays ou qual­quer ou­tro pro­du­to de uti­li­za­ção ex­ter­na. Mes­mo as co­lei­ras con­vém re­mo­ver. Nes­te ca­so é con­ve­ni­en­te dar um des­pa­ra­si­tan­te in­ter­no pa­ra pul­gas e car­ra­ças. Se o seu cão não tem a va­ci­na da Leish­ma­ni­o­se, e no ve­rão sa­be­mos que exis­tem mui­tos mos­qui­tos, con­vém que ar­ran­je al­go que tam­bém se­ja re­pe­len­te de mos­qui­tos. Po­de ter mes­mo de uti­li­zar uma com­bi­na­ção de an­ti­pa­ra­si­tá­ri­os. Fa­le com o mé­di­co ve­te­ri­ná­rio, ex­po­nha o seu ca­so in­di­vi­du­al e de­ci­dam em con­jun­to o que é me­lhor. Não va­le a pe­na fa­zer o mes­mo que o seu vi­zi­nho, pois ca­da ca­so é um ca­so. Não se es­que­ça que os pa­ra­si­tas são por­ta­do­res de do­en­ças. Do­en­ças es­sas que não são só pe­ri­go­sas pa­ra o seu cão,

As ca­mi­nha­das em di­as quentes são sem­pre mui­to agres­si­vas pa­ra as pa­ti­nhas do seu cão, pro­te­ja-as com um bál­sa­mo

mas tam­bém pa­ra si e pa­ra a sua fa­mí­lia hu­ma­na. Co­mo tal, não con­vém fa­ci­li­tar.

Kit de Gro­o­ming de fé­ri­as

Quan­do vou de fé­ri­as com os meus cães exis­tem coi­sas que le­vo sem­pre: champô, to­a­lhi­tas de be­bé, lí­qui­do de lim­pe­za au­ri­cu­lar e ocu­lar, es­co­va, pen­te, spray hi­dra­tan­te pa­ra es­co­var o pe­lo, cor­ta-unhas, es­co­va dos den­tes e pas­ta dos den­tes. Não cus­ta na­da le­var mais uma ma­li­nha.

Di­cas pa­ra o ca­lor

•Ter uma som­bra dis­po­ní­vel; •Ter mui­ta água fres­ca; •Evi­tar ca­mi­nha­das ou exer­cí­cio nas ho­ras de ca­lor, es­pe­ci­al­men­te no ca­so de cães obe­sos ou bra­qui­cé­fa­los; •Nun­ca dei­xe o seu cão fe­cha­do den­tro do car­ro.

No fim das fé­ri­as

O mais im­por­tan­te: as­sim que aca­ba­rem as fé­ri­as mar­que o Gro­o­ming do seu pa­tu­do pa­ra que re­ce­ba um ba­nhi­nho hi­dra­tan­te pa­ra neu­tra­li­zar ou mi­ni­mi­zar os es­tra­gos das fé­ri­as. Exis­tem sem­pre coi­sas que um do­no dei­xa es­ca­par, por mui­to bem que tra­te do seu cão. Bo­as Fé­ri­as!

Uma das op­ções que re­co­men­do a Coc­kers e cães de fran­jas é que as pa­tas fi­quem mais cur­tas, as­sim co­mo as fran­jas e o interior das ore­lhas.

De­pois de to­mar ba­nho em pis­ci­na ou na na­tu­re­za, ao che­gar a ca­sa, de­ve ser la­va­do com água do­ce.

As­sim que aca­ba­rem as fé­ri­as mar­que o Gro­o­ming do seu pa­tu­do pa­ra que re­ce­ba um ba­nhi­nho hi­dra­tan­te pa­ra neu­tra­li­zar ou mi­ni­mi­zar os es­tra­gos das fé­ri­as.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.