Po­si­ção da APMVEAC re­la­ti­va a ra­ças bra­qui­cé­fa­las

Caes & Companhia - - NOTÍCIAS - Li­sa Mes­tri­nho Pre­si­den­te da APMVEAC

Po­si­ção da As­so­ci­a­ção Por­tu­gue­sa de Mé­di­cos Ve­te­ri­ná­ri­os Es­pe­ci­a­lis­tas em Ani­mais de Com­pa­nhia (APMVEAC) so­bre a saú­de e bem-es­tar dos cães bra­qui­cé­fa­los na sequên­cia do Con­gres­so FECAVA/WSAVA/DSAVA que de­cor­reu a 26 de se­tem­bro, em Co­pe­nha­ga, no qu­al o pai­nel de pe­ri­tos pre­sen­te emi­tiu vá­ri­as re­co­men­da­ções. Em por­tu­gal, à se­me­lhan­ça do que acon­te­ce a ní­vel mun­di­al, tem au­men­ta­do a po­pu­la­ri­da­de das­ra ças­bra qui­cé­fa­las, vul­go­ra­ças­de fo­ci­nho cur­to, ta is­co mo­o­pug,ob ou le­do­gue fran­cês, obull­dog In­glês, oshiht­zu, en­tre ou­tras. es­te au­men­to de po­pu­la­ri­da­de tem con­du­zi­do a um au­men­to da in­ci­dên­cia de al­gu­mas do­en­ças, so­bre­tu­do res­pi­ra­tó­ri­as, de­cor­ren­tes da con­for­ma­ção ana­tó­mi­ca des­tas ra­ças. nes­te con­tex­to, os mé­di­cos ve­te­ri­ná­ri­os clí­ni­cos de ani­mais de com­pa­nhia têm vin­do a de­mons­tra ru­ma pre­o­cu­pa­ção cres­cen­te como im­pac­to que de­ter­mi­na­das ca­rac­te­rís­ti­cas fí­si­cas ex­tre­mas des­tes ani­mais têm na sua saú­de e bem-es­tar. Pa­ra além dos pro­ble­mas res­pi­ra­tó­ri­os aci­ma des­ta­ca­dos, de­cor­ren­tes da con­for­ma­ção fa­ci­al e ri no­fa­rín­gea( sín­dro­me obs­tru­ti­va das vi­as aé­re­as su­pe­ri­o­res do bra­qui­cé­fa­lo ), cons­tam ain­da ou­tros pro­ble­mas re­por­ta­dos, no­me­a­da­men­te re­pro­du­ti­vos (com­pli­ca­ções no par­to pe­la des­pro por­ção­ce­fa lo pél­vi­ca, is­toé, ca­be­ça do fe­to des­pro­por­ci­o­nal pa­ra o ca­nal de par­to ). afe­ções como es­tas ne­ces­si­tam obri­ga­to­ri­a­men­te de in­ter­ven­ção ci­rúr­gi­ca pa­ra me­lho­ra­ra qua­li­da­de de­vi­da e em ca­sos mais ex­tre­mos as­se­gu­ra­ra sua so­bre­vi­vên­cia. Te­mos tes­te­mu­nha­do que o re­cur­so a pro­ce­di­men­tos ci­rúr­gi­cos cor­re ti vos nes­tes ani­mais tem au­men­ta­do ex­po­nen­ci­al­men­te, pro­ce­di­men­tos es­ses que de­ve­ri­am ser, pe­lo con­trá­rio, re­cur­sos ex­ce­ci­o­nais. As pre­o­cu­pa­ções dos mé­di­cos ve­te­ri­ná­ri­os têm si­do trans­ver­sais a to­dos os paí­ses do mun­do e em par­ti­cu­lar na eu­ro­pa, em se­tem­br ode 2017, em­co­pe­nha­ga,pe ri­tos de to­do o mun­do de­ba­te­ram es­tes pro­ble­mas e emi­ti­ram um con­jun­to de re­co­men­da­ções que vi­sam aju­dar os ve­te­ri­ná­ri­os a me­lho­ra­ra saú­de e bem-es­tar dos cães bra­qui­cé­fa­los. Aapm­ve­ac rei­te­ra as re­co­men­da­ções do pai­nel de pe­ri­tos e re­co­men­da uma cri­a­ção res­pon­sá­vel des­tas ra­ças, que se tra­duz po ru­mas ele­ção de exem­pla­res isen­tos dos pro­ble­mas aci­ma des­cri­tos e in­cen­ti­va a es­te­ri­li­za­ção de ani­mais com con­for­ma­ções ana­tó­mi­cas bra­qui­cé fa­las ex­tre­mas. En­quan­to prin­ci­pais de­fen­so­res da saú­de e bem-es­tar dos ani­mais, os mé­di­cos ve­te­ri­ná­ri­os têm um pa­pel fun­da­men­tal no pro­ces­so de sen­si­bi­li­za­ção dos cri­a­do­res, dos tu­to­res de cães de­ra­ças bra­qui­céf ala se­da po­pu­la­ção em ge­ral, es­cla­re­cen­do a re­a­li­da­de es­con­di­da por trás des­tas ca­rac­te­rís­ti­cas fí­si­cas par­ti­cu­la­res e“ado­rá­veis ”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.