Du­vi­dem

Correio da Manhã - Weekend - - Portugal - Ricardo Va­la­das

APo­lí­cia Ju­di­ciá­ria, a úni­ca Agên­cia Na­ci­o­nal de raiz, cri­a­da e vo­ca­ci­o­na­da para a In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal em Por­tu­gal, es­tá mui­to pró­xi­ma de se ele­var ao pró­xi­mo ní­vel: uma Ins­ti­tui­ção do Es­ta­do, pen­sa­da e de­fi­ni­da es­tra­te­gi­ca­men­te e ope­ra­ci­o­nal­men­te para uma ra­zão tem­po­ral e es­pa­ci­al de dé­ca­das.

Mui­to se tem falado em de­ter­mi­na­dos se­to­res, so­bre a PJ e o seu papel, sen­do rei­te­ra­da­men­te, co­lo­ca­da em cau­sa por outros in­ter­ve­ni­en­tes do sis­te­ma de segurança, a sua exis­tên­cia ou su­pres­são de com­pe­tên­ci­as, por sua vez, re­di­re­ci­o­na­das para ou­tras po­lí­ci­as de ca­riz ge­ne­ra­lis­ta. Quem fa­la­rá por úl­ti­mo, se­rá sem­pre o País e

COR­REIO DA JUSTIÇA MUI­TO SE TEM FALADO EM DE­TER­MI­NA­DOS SE­TO­RES SO­BRE A PJ E

O SEU PAPEL

os seus ci­da­dãos, se­rá sem­pre o in­te­res­se pú­bli­co, e se­rá sem­pre a ne­ces­si­da­de de Por­tu­gal e o seu po­vo, de­se­jar ter uma PJ de ex­ce­lên­cia, equi­dis­tan­te, isen­ta e vo­ca­ci­o­na­da para o es­tri­to cum­pri­men­to e ra­zão da prevenção, de­te­ção e in­ves­ti­ga­ção da cri­mi­na­li­da­de grave, vi­o­len­ta e al­ta­men­te or­ga­ni­za­da que de forma re­al ou po­ten­ci­al, tan­to nos afe­ta.

A PJ foi cri­a­da para ser uma po­lí­cia de e para a Justiça, as­sen­te nos su­pe­ri­o­res in­te­res­ses da Justiça, Liberdade, País e Ci­da­dãos. No dia que al­guém co­lo­que em cau­sa a ra­zão de exis­tir da PJ, na sua ple­ni­tu­de, des­con­fi­em des­ses “ami­gos da justiça” pois es­ta­rão com cer­te­za a es­cu­tar a voz de to­do o ti­po de in­te­res­ses, me­nos de quem de­se­ja efe­ti­va­men­te uma Justiça Pe­nal isen­ta e ob­je­ti­va.n

PRESIDENTE DA ASFIC/PJ

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.