Em­pre­sas alhei­as a di­re­ti­va eu­ro­peia

A lei que vi­sa com­ba­ter os pa­ga­men­tos em atra­so não é co­nhe­ci­da por me­ta­de das em­pre­sas na­ci­o­nais. E das que a co­nhe­cem, são pou­cas as que a apli­cam.

Destak - - Atualidade - CAR­LA MARINA MEN­DES cmen­des@des­tak.pt

ADi­re­ti­va Eu­ro­peia dos Atrasos de Pa­ga­men­to, uma ini­ci­a­ti­va da Co­mis­são­eu­ro­pei­a­que­vi­sa­com­ba­ter os pro­ble­mas cau­sa­dos pe­los atrasos de pa­ga­men­to, foi trans­pos­ta pa­ra­a­le­gis­la­ção na­ci­o­nal em 2013. Ain­da­as­sim,amai­o­ria (56%) das em­pre­sas por­tu­gue­sas ad­mi­tem­não­es­tar­fa­mi­li­a­ri­za­das com ela. Mais,

75% não no­ta­ram qual­quer im­pac­to re­sul­tan­te da im­ple­men­ta­ção da apli­ca­ção des­ta le­gis­la­ção.

Os da­dos fa­zem par­te do Eu­ro­pe­an­pay­men­tre­port

2016, um es­tu­do re­a­li­za­do pe­lain­trum­jus­ti­ti­a­e­que reú­ne da­dos de mi­lha­res de em­pre­sas na Eu­ro­pa, en­tre as quais mui­tas por­tu­gue­sas e que, ao des­co­nhe­ci­men­to, jun­ta a fal­ta de apli­ca­ção.

É que, en­tre as em­pre­sas na­ci­o­nais que de fac­to sa­bem que es­ta di­re­ti­va exis­te, 42% con­fir­mam nun­ca a te­rem apli­ca­do, op­tan­do por não exer­cer o di­rei­to de co­bra­rem, no mí­ni­mo, €40 por fa­tu­ra, mais ju­ros, em ca­so de atra­so de pa­ga­men­to de tran­sa­ções en­tre em­pre­sas e se­tor pú­bli­co. «É ain­da mui­to re­du­zi­do – ape­nas 5% –, o nú­me­ro de em­pre­sas que, ten­do co­nhe­ci­men­to dos di­rei­tos que a di­re­ti­va con­fe­re, in­di­cam que a apli­cam sem­pre», re­fe­re em co­mu­ni­ca­do Luís Sal­va­ter­ra, di­re­tor-ge­ral da In­trum Jus­ti­tia. «Acre­di­ta­mos que uma das ra­zões que ex­pli­ca es­te fe­nó­me­no po­de ser o re­ceio das em­pre­sas em fe­rir re­la­ções co­mer­ci­ais ao exer­ce­rem os seus di­rei­tos», acres­cen­ta.

Sem van­ta­gens

Quan­do ques­ti­o­na­das so­bre se se­ria be­né­fi­co pa­ra os seus ne­gó­ci­os que a re­gu­la­ção da União Eu­ro­peia con­tra os atrasos de pa­ga­men­to se apli­cas­se tam­bém aos con­su­mi­do­res fi­nais, ape­nas 11% das em­pre­sas na­ci­o­nais res­pon­de­ra­ma­fir­ma­ti­va­men­te,com42% a in­di­ca­rem não vis­lum­brar van­ta­gens na sua im­ple­men­ta­ção, re­ve­la ain­da o mes­mo es­tu­do, que vai es­tar em des­ta­que, na pró­xi­ma se­gun­da­fei­ra, na con­fe­rên­cia Em­pre­sas Sau­dá­veis – Co­mo ins­pi­rar Pes­so­as e Or­ga­ni­za­ções, que de­cor­re no Por­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.