Juí­zes ame­a­çam pro­tes­tar até ao úl­ti­mo dia des­te Go­ver­no

Edição Público Lisboa - - SOCIEDADE - Ana Hen­ri­ques

O im­pas­se nas ne­go­ci­a­ções com os de­pu­ta­dos do PS em ques­tões re­mu­ne­ra­tó­ri­as le­va­ram a As­so­ci­a­ção Sin­di­cal de Juí­zes Por­tu­gue­ses a ame­a­çar en­ve­re­dar por uma for­ma de pro­tes­to iné­di­ta, que se po­de­rá man­ter até ao úl­ti­mo dia em que o Go­ver­no es­te­ja em fun­ções.

De­pois de se ter reu­ni­do uma vez mais, na quin­ta-fei­ra, com os dois par­la­men­ta­res da ban­ca­da so­ci­a­lis­ta que têm vin­do a tra­tar da ques­tão, o pre­si­den­te do sin­di­ca­to dos juí­zes, Ma­nu­el Ra­mos So­a­res, não pou­pou nos ad­jec­ti­vos: qua­li­fi­cou o encontro co­mo surreal e hi­la­ri­an­te, la­men­tan­do a fal­ta de res­pei­to com que os par­la­men­ta­res Fi­li­pe Ne­to Bran­dão e Fer­nan­do Anas­tá­cio es­tão a tra­tar os ma­gis­tra­dos.

A mi­nis­tra da Jus­ti­ça, Fran­cis­ca van Du­nem, sem­pre dis­se que não ti­nha mar­gem de ma­no­bra pa­ra aco­lher quais­quer au­men­tos sa­la­ri­ais pa­ra os juí­zes, que lhe en­tre­ga­ram uma pro­pos­ta re­la­ti­va a sub­sí­di­os, es­ca­lões e tec­tos sa­la­ri­ais. Foi en­tão que a as­so­ci­a­ção sin­di­cal de­ci­diu ape­lar aos de­pu­ta­dos.

De­pois de te­rem si­do re­ce­bi­dos em Se­tem­bro do ano pas­sa­do pe­lo gru­po par­la­men­tar do PS, os juí­zes des­con­vo­ca­ram a gre­ve que ti­nham mar­ca­do pa­ra os di­as 3 e 4 de Ou­tu­bro — que, a re­a­li­zar-se, com­pro­me­te­ria a va­li­da­ção dos re­sul­ta­dos das elei­ções au­tár­qui­cas no pra­zo pre­vis­to, uma vez que com­pe­te a es­tes ma­gis­tra­dos le­var a ca­bo es­sa ta­re­fa no âm­bi­to dos pro­ces­sos elei­to­rais. Só que, des­de aí, pou­co ou na­da acon­te­ceu em ter­mos ne­go­ci­ais.

Os so­ci­a­lis­tas acu­sam a As­so­ci­a­ção Sin­di­cal de Juí­zes Por­tu­gue­ses de não lhes ter apre­sen­ta­do uma pro­pos­ta. Ma­nu­el Ra­mos So­a­res res­pon­de. Diz que a sua pro­pos­ta é aque­la que foi en­tre­gue à mi­nis­tra, e que se­guiu pa­ra o Par­la­men­to aco­pla­da à pro­pos­ta de lei que re­vê o es­ta­tu­to pro­fis­si­o­nal da clas­se. “O Go­ver­no já ti­nha res­pon- di­do que não a es­sa pro­pos­ta dos juí­zes, ra­zão pe­la qual es­sa fa­se es­tá ul­tra­pas­sa­da”, re­a­ge Fi­li­pe Ne­to Bran­dão.

Pe­ran­te is­to, a As­so­ci­a­ção Sin­di­cal dos Juí­zes Por­tu­gue­ses re­sol­veu de­sen­ca­de­ar vá­ri­as reu­niões in­ter­nas que cul­mi­na­rão, a 3 de No­vem­bro, com uma as­sem­bleia ge­ral em que os ma­gis­tra­dos de­ci­di­rão de que for­ma irão re­a­gir a es­te im­pas­se ne­go­ci­al. “Se ti­ver­mos de fa­zer uma gre­ve, fá-la-emos. Mas em mol­des di­fe­ren­tes das que já fo­ram fei­tas no pas­sa­do”, avi­sa o pre­si­den­te do sin­di­ca­to. “Se­rá um pro­tes­to iné­di­to, e du­ra­rá até ao úl­ti­mo dia de fun­ções des­te Go­ver­no.”

Ma­nu­el Ra­mos So­a­res as­se­gu­ra que os juí­zes não exi­gem au­men­tos sa­la­ri­ais já pa­ra 2019 — até por­que o Or­ça­men­to do Es­ta­do que vai ago­ra co­me­çar a ser dis­cu­ti­do não os con­tem­pla. “Es­ta­mos dis­pos­tos a ser mui­to ma­leá­veis no pro­ces­so ne­go­ci­al, mas is­so tem um pre­ço: res­pei­to”, de­cla­ra o di­ri­gen­te sin­di­cal. Ca­so con­trá­rio, a clas­se ame­a­ça fa­zer sen­tir o seu des­con­ten­ta­men­to du­ran­te mui­to tem­po.

Em res­pos­ta, o gru­po par­la­men­tar so­ci­a­lis­ta di­vul­gou um co­mu­ni­ca­do em que afir­ma que, “não obs­tan­te a re­cu­sa da as­so­ci­a­ção sin­di­cal em for­ma­li­zar as su­as pre­ten­sões, per­ma­ne­ce dis­po­ní­vel pa­ra apre­ci­ar e dis­cu­tir quais­quer pro­pos­tas, ca­so es­ta ve­nha a re­pon­de­rar a sua po­si­ção”. O PSD ti­nha en­tre­ga­do na ter­ça-fei­ra um re­que­ri­men­to pa­ra ou­vir a as­so­ci­a­ção sin­di­cal no Par­la­men­to an­tes da dis­cus­são e vo­ta­ção na es­pe­ci­a­li­da­de da pro­pos­ta de lei de al­te­ra­ção do es­ta­tu­to dos ma­gis­tra­dos ju­di­ci­ais, mas a ini­ci­a­ti­va aca­bou por não ter su­ces­so.

Lí­der sin­di­cal qua­li­fi­ca im­pas­se ne­go­ci­al so­bre au­men­tos de sa­lá­rio co­mo surreal e hi­la­ri­an­te

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.