Rui Vi­tó­ria as­su­me que­bra de con­fi­an­ça

Trei­na­dor do Benfica es­pe­ra ul­tra­pas­sar a es­pi­ral ne­ga­ti­va de re­sul­ta­dos já em Ton­de­la. Pe­pa pre­vê jogo com mui­tos go­los

Edição Público Lisboa - - DESPORTO - Fu­te­bol

O trei­na­dor do Benfica ad­mi­te que os maus re­sul­ta­dos dos úl­ti­mos en­con­tros re­ti­ra­ram con­fi­an­ça à equi­pa, mas es­pe­ra po­der ul­tra­pas­sar este mo­men­to ne­ga­ti­vo di­an­te do Ton­de­la, na par­ti­da da 10.ª jor­na­da da I Li­ga. “São fa­ses que as equi­pas, às ve­zes, atra­ves­sam. Há 15 di­as es­ti­ve­mos na pri­mei­ra po­si­ção e é uma es­pi­ral que se ins­ta­la, que re­ti­ra a con­fi­an­ça. Acon­te­ce, mas is­to é pa­ra ser ul­tra­pas­sa­do”, co­me­çou por di­zer Rui Vi­tó­ria, em con­fe­rên­cia de im­pren­sa, acres­cen­tan­do: “Os re­sul­ta­dos não apa­re­cem, mas te­nho obri­ga­ção de olhar de outra for­ma.”

O téc­ni­co das “águi­as” re­al­ça a “de­ter­mi­na­ção e a con­vic­ção” que a equi­pa tem ti­do den­tro de cam­po e la­men­ta a “do­se de infelicidade que tem fei­to a di­fe­ren­ça nos re­sul­ta­dos”. Na an­te­vi­são ao en­con­tro des­ta tar­de (17h30), Rui Vi­tó­ria dei­xa evi­den­te a in­ten­ção de vencer: “Te­mos a cons­ci­ên­cia da im­por­tân­cia do jogo e que­re­mos mui­to ga­nhar”, as­si­na­la.

Os qua­tro en­con­tros con­se­cu­ti­vos sem vencer (dois na Li­ga e dois na Cham­pi­ons) não co­lo­cam qual­quer ti­po de pres­são adi­ci­o­nal ao téc­ni­co, que de­fen­de ser “sempre a mesma”. “A pres­são é a de que­rer ga­nhar pe­lo clu­be que re­pre­sen­to e a de tra­ba­lhar pa­ra ser me­lhor. Vivo en­tu­si­as­ma­do com o meu tra­ba­lho. Não me per­tur­bo com mui­ta fa­ci­li­da­de”, su­bli­nhou, an­tes da di­vul­ga­ção de uma con­vo­ca­tó­ria que só pre­vê qua­tro de­fe­sas (Con­ti irá subs­ti­tuir o cas­ti­ga­do Jardel).

Por seu lado, Pe­pa, trei­na­dor do Ton­de­la, ga­ran­te que se os jo­ga­do­res “de­rem a vi­da den­tro de cam­po”, nin­guém “co­bra­rá na­da”, acre­di­tan­do, ain­da, que o em­ba­te com o Benfica “se­rá um bom jogo, com mui­tos go­los”. “A es­tra­té­gia es­tá bem de­li­ne­a­da”, as­se­gu­ra, ci­en­te de que a equi­pa de­ve­rá “ter me­nos bo­la”, pe­lo que os jo­ga­do­res do Ton­de­la “te­rão de ser in­te­li­gen­tes e ti­rar pro­vei­to do es­pa­ço”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.