Edição Público Lisboa

Mi­la­gre or­ça­men­tal

- Europe · Portugal

Pa­ra so­bres­sair bem na fotografia, na apre­sen­ta­ção do OE, aqui­lo que é mais re­le­van­te é a fal­ta de cla­re­za pa­ra com os ci­da­dãos so­bre os mi­la­gres elen­ca­dos no mes­mo, quan­do to­dos sa­be­mos que os fun­dos pro­ve­ni­en­tes da Eu­ro­pa são pa­ra fa­zer fa­ce aos pro­ble­mas de­cor­ren­tes da cri­se sa­ni­tá­ria, e que tais fun­dos não são su­fi­ci­en­tes pa­ra se con­se­guir dar uma res­pos­ta aos pro­ble­mas do país. A ver­da­de é que mais uma vez se pre­ten­de co­lo­car uma más­ca­ra no ros­to dos ci­da­dãos, quan­do se anun­ci­am mon­tan­tes pa­ra de­ter­mi­na­dos sec­to­res, on­de im­por­ta cri­ar re­cei­ta em mul­tas aos ci­da­dãos co­mo uma for­ma en­ge­nho­sa de fa­zer su­ces­so go­ver­na­men­tal com o di­nhei­ro dos ou­tros, dan­do-nos a ima­gem de um mi­la­gre or­ça­men­tal. Pa­re­ce que vi­ve­mos num ou­tro país imu­ne a pro­ble­mas e on­de os re­cur­sos fi­nan­cei­ros são ines­go­tá­veis, o que per­mi­te que se fa­çam pro­mes­sas sem a ga­ran­tia de as poder cum­prir, co­mo sen­do es­ta uma for­ma de se que­rer pas­sar uma ima­gem de que tu­do es­tá bem, quan­do a re­a­li­da­de é bem di­fe­ren­te em Por­tu­gal, pa­ra que pos­te­ri­or­men­te, se as coi­sas cor­re­rem mal, já exis­tem des­cul­pas va­li­da­das pe­la cri­se.

Amé­ri­co Lou­ren­ço, Si­nes

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal