MAIS UM…

Flash! - - Flash! Shopping - Re­gi­nal­do Ro­dri­gues de Al­mei­da

Ora nem mais, o Na­tal es­ta­va à por­ta e já pas­sou. “O ano pas­sa a cor­rer”, “ain­da no ou­tro dia es­tá­va­mos nas fé­ri­as” são as ex­pres­sões mais ou­vi­das lo­go a se­guir a “Fe­liz Na­tal” e “Bo­as­fes­tas”. To­das ver­da­dei­ras mas só em par­te… Pa­ra os que vi­ve­ram mais um ano es­tru­tu­ral­men­te bem, mes­mo com um pe­que­no pro­ble­ma aqui ou aco­lá po­de ser bem ver­da­de mas ao in­vés, to­dos aque­les que fo­ram ati­ra­dos re­pen­ti­na­men­te pa­ra a ca­ma de um hos­pi­tal, ou pa­ra o fla­ge­lo do de­sem­pre­go, cer­ta­men­te não.

Não se es­que­çam que a ar­te da es­ta­tís­ti­ca, es­sa ver­da­dei­ra “pós­ver­da­de” (ex­pres­são ago­ra mui­to em vo­ga com a for­ça das re­a­li­da­des cons­truí­das no di­gi­tal), ha­bi­tu­al­men­te fa­la da po­bre­za mas não aju­da os po­bres, fa­la do de­sem­pre­go mas es­que­ce-se dos de­sem­pre­ga­dos, pe­lo que nes­ta al­tu­ra do ano por mais lu­gar-co­mum que pa­re­ça a pro­pos­ta, de­ve­mos re­fle­tir afi­nal por­que é que o tem­po pas­sa a cor­rer pa­ra uns mas pa­ra ou­tros nem por is­so.

Tol­da­dos pe­las pro­pos­tas de con­su­mo de­sen­fre­a­do que já co­me­ça­ram nos lon­gín­quos idos de ou­tu­bro, ne­ga­mos tam­bém a evi­dên­cia de o “Na­tal ser qu­an­do um ho­mem qui­ser” e afu­ni­la­mos to­do o fal­so mo­ra­lis­mo nes­ta épo­ca do ano, em que se dis­tri­bui­ram pre­sen­tes, sor­ri­sos e mui­tas men­sa­gens a de­se­jar o me­lhor qu­an­do du­ran­te o ano in­tei­ro tan­tas ve­zes se fez o pi­or (tam­bém por is­so, o tem­po de­mo­ra mais a pas­sar pa­ra al­guns). Bom, quer quei­ra­mos quer não, é mes­mo épo­ca de fes­tas e por is­so que o tem­po pas­se a cor­rer pa­ra to­dos pois quem cor­re por gos­to não can­sa e ai sim, ra­pi­da­men­te che­ga­re­mos ao pró­xi­mo Na­tal, o de 2017.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.