Rem­brandt Elos per­di­dos no Mu­seu de Ar­te An­ti­ga

JN História - - A Abrir -

A ra­zão de ser da ex­po­si­ção, pa­ten­te no Mu­seu Na­ci­o­nal de Ar­te An­ti­ga (MNAA), em Lis­boa, até ao dia 7 de janeiro, foi a vi­si­ta a Por­tu­gal dos reis da Ho­lan­da. A mos­tra “Rem­brandt. Elos Per­di­dos” foi con­ce­bi­da co­mo um díp­ti­co, em que de um la­do es­tá a te­la aci­ma re­pro­du­zi­da e ce­di­da pe­lo Rijks­mu­seum, em que o mes­tre ho­lan­dês seis­cen­tis­ta re­pre­sen­tou uma pai­sa­gem (te­ma ra­ro na sua obra), en­quan­to do ou­tro es­tão tra­ba­lhos per­ten­cen­tes às co­le­ções re­ais ho­lan­de­sas, que tra­du­zem a li­ga­ção a Por­tu­gal. É o ca­so de um re­tra­to de Le­o­nor de Áus­tria, que ca­sou com o nos­so D. Ma­nu­el I, ou de ou­tro do im­pe­ra­dor Car­los V, ir­mão da­que­la (am­bos por Jo­os van Cle­ve), ou das prin­ce­sas Sa­bi­na Dél­fi­ca e Le­o­nor Mau­rí­cia de Por­tu­gal (de Ge­rard van Honthorst). Do con­tri­bu­to do MNAA des­ta­ca-se um in­vul­gar de­se­nho da au­to­ria de Rem­brandt.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.