As res­pos­tas dos par­cei­ros so­ci­ais

Jornal de Negócios - - ECONOMIA -

Os par­cei­ros so­ci­ais já co­me­ça­ram a divulgar as su­as res­pos­tas às idei­as de­fen­di­das pe­lo Go­ver­no. A CGTP in­sis­te na re­vo­ga­ção da ca­du­ci­da­de das con­ven­ções co­lec­ti­vas. A CCP de­sa­fia Vi­ei­ra da Sil­va a re­cu­pe­rar o alar­ga­men­to do pe­río­do de ex­pe­ri­ên­cia, que em 2008 o Cons­ti­tu­ci­o­nal chum­bou.

ACT PO­DE CON­TRO­LAR OS CON­TRA­TOS

Res­tri­ções à con­tra­ta­ção a pra­zo são bem-vin­das, mas o com­ba­te à pre­ca­ri­e­da­de não se re­sol­ve com al­te­ra­ções “ci­rúr­gi­cas” ao re­gi­me da con­tra­ta­ção a ter­mo. A ideia é de­fen­di­da no do­cu­men­to da apre­ci­a­ção às pro­pos­tas do Go­ver­no fei­ta pe­la CGTP, que sus­ten­ta que é pre­ci­so ir mais longe. Em con­cre­to, a CGTP pro­põe li­mi­tes às jus­ti­fi­ca­ções pa­ra a con­tra­ta­ção a ter­mo e de­fen­de que a ACT pos­sa “apre­ci­ar pre­vi­a­men­te” a le­ga­li­da­de do mo­ti­vo apre­sen­ta­do, con­ver­ten­do o con­tra­to a ter­mo em con­tra­to sem ter­mo quando a ra­zão não for su­fi­ci­en­te. A in­ten­ção de cri­ar uma no­va ta­xa pa­ra as em­pre­sas que mais fo­men­tem a ro­ta­ti­vi­da­de é vis­ta co­mo uma “pa­na­ceia” que le­gi­ti­ma a pre­ca­ri­e­da­de. No âm­bi­to da ne­go­ci­a­ção co­lec­ti­va, a CGTP vol­ta a in­sis­tir na re­vo­ga­ção da nor­ma que de­ter­mi­na a ca­du­ci­da­de e a de­fen­der a re­po­si­ção do prin­cí­pio do tra­ta­men­to mais fa­vo­rá­vel.

MAI­OR PE­RÍO­DO DE EX­PE­RI­ÊN­CIA

Mos­tran­do-se ape­nas dis­po­ní­vel pa­ra “acor­dos glo­bais” a CCP pe­de que se­ja dis­cu­ti­da a re­vi­são das tri­bu­ta­ções au­tó­no­mas so­bre veí­cu­los de ser­vi­ço e a “re­du­ção ou eli­mi­na­ção” dos se­gun­dos e ter­cei­ros pa­ga­men­tos por con­ta, além dos fun­dos co­mu­ni­tá­ri­os. En­tre os te­mas la­bo­rais que lan­ça pa­ra dis­cus­são es­tá o alar­ga­men­to do pe­río­do de ex­pe­ri­ên­cia, já ten­ta­do pe­lo PS em 2008, e chum­ba­do pe­lo Cons­ti­tu­ci­o­nal, num acór­dão que se­gun­do en­ten­de “dei­xa mar­gem pa­ra au­men­tos”. Nos con­tra­tos a ter­mo, a con­fe­de­ra­ção li­de­ra­da por Vi­ei­ra Lo­pes pro­põe al­ter­na­ti­vas me­nos li­mi­ta­do­ras. Pe­de ain­da que pa­ra a no­va ta­xa so­bre a ro­ta­ti­vi­da­de, que con­si­de­ra que de­ve­rá ter um pe­río­do de ca­rên­cia de 12 me­ses, não se­jam con­si­de­ra­dos os con­tra­tos de subs­ti­tui­ção e tem­po­rá­ri­os. Pro­põe que se fle­xi­bi­li­zem o ban­co de ho­ras por con­tra­ta­ção co­lec­ti­va e o ban­co de ho­ras gru­pal.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.