O gran­de pe­ca­do da Chi­na em An­go­la

Es­tra­das in­tran­si­tá­veis. Cons­tru­ções chei­as de de­fei­tos. Ca­mi­nhos-de-fer­ro se­mi-ino­pe­ra­ci­o­nais. Cau­sa prin­ci­pal: a cor­rup­ção.

Jornal de Negócios - - WEEKEND NEGOCIOS -

São de­ze­nas e de­ze­nas de qui­ló­me­tros de des­vi­os, por ve­zes des­vi­os dos des­vi­os. O es­ta­do las­ti­mo­so em que se en­con­tra a es­tra­da, que pas­sa mes­mo ao la­do, é a ra­zão de ser dos des­vi­os, mui­tos dos quais com de­ze­nas de qui­ló­me­tros e qua­se to­dos ver­da­dei­ras pi­ca­das no pi­or sen­ti­do do ter­mo. É es­ta a re­a­li­da­de ao lon­go de pe­lo me­nos um ter­ço da ex­ten­são to­tal da es­tra­da Lu­an­da-Hu­am­bo. Do­ze pe­no­sas ho­ras, o do­bro do que se­ria pre­ci­so se fos­sem nor­mais as con­di­ções da es­tra­da, é o tem­po que le­va a fa­zer os seus 550 qui­ló­me­tros de ex­ten­são to­tal. Em es­ta­do ain­da pi­or es­tá par­te con­si­de­rá­vel da cha­ma­da es­tra­da mar­gi­nal que li­ga o Lo­bi­to a Lu­an­da, pas­san­do pe­lo Sum­be e Por­to Am­boim. Aqui, o es­ta­do dos des­vi­os, em es­pe­ci­al os que se co­me­çam a apa­nhar lo­go à saí­da do Lo­bi­to, a se­guir à Ca­pon­te, e por aí afo­ra até ao pon­to em que a es­tra­da bi­fur­ca com a que vai pa­ra a Qui­ba­la, é ain­da mais pe­no­so. Aos bu­ra­cos, ain­da mais ca­va­dos, jun­tam-se nu­vens cer­ra­das de po­ei­ra pro­vo­ca­da pe­la cir­cu­la­ção de ca­miões que de­man­dam o por­to ou de­le pro­ce­dem.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.