Clu­be cor­re ris­co ime­di­a­to de per­der re­cei­tas e fra­gi­li­zar-se

A ac­tu­al cri­se po­de­rá afec­tar a ima­gem da mar­ca Spor­ting e exis­te um ris­co ime­di­a­to de per­da de re­cei­tas, diz es­pe­ci­a­lis­ta em mar­ke­ting. Es­ta si­tu­a­ção dei­xa­rá os “leões” muito atrás de Ben­fi­ca e Por­to pa­ra a no­va épo­ca.

Jornal de Negócios - - EMPRESAS - PE­DRO CURVELO

A cri­se que se vi­ve em Al­va­la­de po­de­rá ter um im­pac­to muito ne­ga­ti­vo na ima­gem da mar­ca Spor­ting e exis­te um ris­co ime­di­a­to de per­da de re­cei­tas, diz Da­ni­el Sá, di­rec­tor exe­cu­ti­vo do Ins­ti­tu­to Por­tu­guês de Ad­mi­nis­tra­ção de Mar­ke­ting (IPAM). “Es­ta cri­se, que é muito gra­ve, não tem três ou qu­a­tro di­as, mas sim qua­se qu­a­tro me­ses”, su­bli­nha. No cur­tís­si­mo pra­zo, Da­ni­el Sá aler­ta que há o ris­co pa­ra o clu­be de per­da de re­cei­tas, que no exer­cí­cio 2016/17 as­cen­de­ram a qua­se 173 mi­lhões de eu­ros. Des­te “bo­lo”, 93 mi­lhões re­sul­ta­ram da trans­fe­rên­cia de jo­ga­do­res. No con­tex­to ac­tu­al, acres­cen­ta, os “leões” te­rão uma ca­pa­ci­da­de ne- go­ci­al mais fra­gi­li­za­da, “pa­ra não fa­lar na hi­po­té­ti­ca res­ci­são de con­tra­to por al­guns jo­ga­do­res”. Os res­tan­tes 80 mi­lhões de eu­ros de­cor­re­ram das re­cei­tas ope­ra­ci­o­nais. Tam­bém aqui exis­tem ris­cos de per­da de re­cei­ta, des­ta­ca o di­rec­tor do IPAM. “Al­gu­ma de­si­lu­são dos adep­tos po­de­rá le­var a que os só­ci­os dei­xem de pa­gar quo­tas ou que a afluên­cia ao es­tá­dio di­mi­nua. Tam­bém o mer­chan­di­sing po­de so­frer uma que­bra”, re­fe­re. “E os pa­tro­ci­na­do­res po­dem afas­tar-se”, acres­cen­ta. Con­tac­ta­dos pe­lo Ne­gó­ci­os, qu­er a Su­per Bock qu­er a Ma­cron, dois dos pa­tro­ci­na­do­res do clu­be, es­cu­sa­ram-se a co­men­tar a si­tu­a­ção no Spor­ting. A Nos, outro dos pa­tro­ci­na­do­res, negou quar­ta-fei­ra estar a pon­de­rar res­cin­dir o con­tra­to com o Spor­ting. A mé­dio e lon­go pra­zo, Da­ni­el Sá iden­ti­fi­ca um “ris­co muito gran­de pa­ra a mar­ca Spor­ting”. “Es­ta­mos a fa­lar de um clu­be cen­te­ná­rio, res­pei­ta­do e re­co­nhe­ci­do”, su­bli­nha. “Mas os da­nos na ima­gem de uma mar­ca le­vam muito tem­po a re­cu­pe­rar”, ad­ver­te. “Are­cu­pe­ra­ção da ima­gem do Spor­ting tem de co­me­çar de ime­di­a­to. Es­tes qu­a­tro me­ses fo­ram muito pe­na­li­za­do­res. Se­rá pre­ci­so mu­dar de es­tra­té­gia pa­ra a mar­ca”, de­fen­de. É que, sen­ten­cia, o Spor­ting “cor­re o ris­co de co­me­çar a no­va épo­ca muito atrás de Ben­fi­ca e FC Por­to”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.