To­dos que­rem a saí­da do pre­si­den­te

Jornal de Negócios - - EMPRESAS - PE­DRO CURVELO

A di­rec­ção da Spor­ting SAD não me­re­ce a con­fi­an­ça do se­gun­do mai­or ac­ci­o­nis­ta e de­ve apre­sen­tar a de­mis­são. ÁL­VA­RO SO­BRI­NHO Pre­si­den­te da Hol­di­mo, ao Jor­nal Eco­nó­mi­co

O Spor­ting vi­veu es­ta quin­ta-fei­ra um dia atri­bu­la­do, mar­ca­do por de­mis­sões, re­nún­ci­as e pe­la re­ti­ra­da de con­fi­an­ça na di­rec­ção li­de­ra­da por Bru­no de Car­va­lho por par­te da Hol­di­mo, se­gun­do mai­or ac­ci­o­nis­ta da SAD. A cri­se no clu­be agra­vou-se após a der­ro­ta, no do­min­go, no ter­re­no do Ma­rí­ti­mo, na der­ra­dei­ra jor­na­da da Li­ga Nos. O de­sai­re cus­tou ao Spor­ting o se­gun­do lu­gar, que da­va aces­so ao playoff de qu­a­li­fi­ca­ção pa­ra a fa­se de gru­pos da Li­ga dos Cam­peões e que po­dia re­pre­sen­tar mais de 20 mi­lhões de eu­ros de re­cei­tas. Na ter­ça-fei­ra, um gru­po de cer­ca de meia cen­te­na de ale­ga­dos adep­tos en­ca­pu­za­dos ata­ca­ram a equi­pa de fu­te­bol na Aca­de­mia Spor­ting, em Al­co­che­te, agre­din­do vá­ri­os jo­ga­do­res e ele­men­tos da equi­pa téc­ni­ca. O ata­que foi con­de­na­do de for­ma ge­ne­ra­li­za­da, no­me­a­da­men­te pe­lo Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Mar­ce­lo Re­be­lo de Sou­sa, pe­lo pre­si­den­te da As­sem­bleia da Re­pú­bli­ca, Edu­ar­do Fer­ro Ro­dri­gues, e pe­lo pri­mei­ro-mi­nis­tro, An­tó­nio Cos­ta. Pe­ran­te as crí­ti­cas, o pre­si­den­te do Spor­ting e da SAD, Bru­no de Car­va­lho, re­jei­tou na quin­ta-fei­ra de ma­nhã qual­quer res­pon­sa­bi­li­da­de pe­lo ata­que em Al­co­che­te e in­di­cou que iria pro­ces­sar Fer­ro Ro­dri­gues, co­men­ta­do­res e jor­na­lis­tas por o te­rem “di­fa­ma­do e ca­lu­ni­a­do”. As ten­sões in­ter­nas au­men­ta­ram es­ta quin­ta-fei­ra e a me­sa da as­sem­bleia-ge­ral do clu­be de­mi­tiu-se em blo­co, se­gun­do anun­ci­ou o seu pre­si­den­te, Jai­me Mar­ta So­a­res. Adi­ci­o­nal­men­te, vá­ri­os mem­bros do con­se­lho fis­cal e dis­ci­pli­nar tam­bém re­nun­ci­a­ram aos car­gos. Al­guns ele­men­tos do con­se­lho di­rec­ti­vo tam­bém aban­do­na­ram os car­gos. Adep­tos spor­tin­guis­tas co­mo Edu­ar­do Bar­ro­so, an­ti­go pre­si­den­te da me­sa da as­sem­bleia-ge­ral do clu­be, veio a pú­bli­co con­si­de­rar que o ac­tu­al pre­si­den­te “não tem con­di­ções” pa­ra con­ti­nu­ar a li­de­rar os des­ti­nos do Spor­ting, mas apelou aos só­ci­os pa­ra que dei­xem Bru­no de Car­va­lho re­flec­tir e che­gar a es­sa con­clu­são por si. A re­ac­ção mais du­ra e com mai­or im­pac­to na SAD che­gou ao fi­nal da tar­de. Em de­cla­ra­ções ao Jor­nal Eco­nó­mi­co, o em­pre­sá­rio an­go­la­no, Ál­va­ro So­bri­nho, lí­der da Hol­di­mo, se­gun­do mai­or ac­ci­o­nis­ta da SAD com 29,85%, te­ceu du­ras crí­ti­cas à cú­pu­la da so­ci­e­da­de des­por­ti­va, em par­ti­cu­lar a Bru­no de Car­va­lho. “A di­rec­ção da Spor­ting SAD não me­re­ce a con­fi­an­ça do se­gun­do mai­or ac­ci­o­nis­ta e de­ve apre­sen­tar a de­mis­são”, dis­se So­bri­nho, acres­cen­tan­do que “as em­pre­sas têm de ser ge­ri­das pro­fis­si­o­nal­men­te e não por emo­ção”. O em­pre­sá­rio apon­ta o de­do a Bru­no de Car­va­lho, con­si­de­ran­do que as su­as ati­tu­des cau­sa­ram “imen­sos pro­ble­mas e da­nos re­pu­ta­ci­o­nais” à SAD. Até ao fe­cho da edição, Bru­no de Car­va­lho não ti­nha re­a­gi­do aos vá­ri­os pe­di­dos de de­mis­são. As ac­ções da Spor­ting SAD fo­ram for­te­men­te cas­ti­ga­das, ten­do so­fri­do uma que­da de 17,11%, pa­ra um va­lor de 63 cên­ti­mos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.