Ama­zon até po­de ser ace­le­ra­dor pa­ra So­nae

Jornal de Negócios - - EMPRESAS -

A Ama­zon po­de­rá abrir uma lo­ja vir­tu­al por­tu­gue­sa. Tem si­do fa­la­da a pos­si­bi­li­da­de de a gi­gan­te do co­mér­cio elec­tró­ni­co avan­çar pa­ra Por­tu­gal. Mas a So­nae não se mos­tra pre­o­cu­pa­da. Ao Ne­gó­ci­os, Luís Reis, “chi­ef cor­po­ra­te cen­ter of­fi­cer” da So­nae, as­su­me res­pei­tar a Ama­zon e “olha­mos com aten­ção”, mas “até po­de ser um ace­le­ra­dor do nos­so on­li­ne”. É que a So­nae as­su­me-se co­mo “o mai­or re­ta­lhis­ta de ‘e-com­mer­ce’ em Por­tu­gal”. No fi­nal do ano, a So­nae con­ta­bi­li­zou em 100 mi­lhões de eu­ros o ne­gó­cio que já re­a­li­za­va nas ven­das vir­tu­ais em to­dos os seus ne­gó­ci­os. Aliás, Luís Reis acre­di­ta que um dos mo­ti­vos de cres­ci­men­to da em­pre­sa no pri­mei­ro tri­mes­tre tam­bém se de­ve ao on­li­ne. E dá exem­plos: as ven­das na in­ter­net da Sal­sa (ves­tuá­rio) cres­cem mais de 30%, as da Wor­ten so­bem mais de 40%. O pró­prio Con­ti­nen­te tem cres­ci­men­tos nas ven­das on­li­ne aci­ma de dois dí­gi­tos, mas ain­da as­sim não con­se­gue cres­cer à mesma di­men­são de ou­tras in­síg­ni­as. Nos pri­mei­ros três me­ses, a em­pre­sa ga­ran­te que as su­as ven­das on­li­ne per­mi­tem di­zer que é o mai­or re­ta­lhis­ta por­tu­guês no “e-com­mer­ce”, e “saiu mais re­for­ça­do” do pri­mei­ro tri­mes­tre. São es­tes nú­me­ros que fa­zem a So­nae não mos­trar pre­o­cu­pa­ção com a pos­sí­vel vin­da da Ama­zon pa­ra Por­tu­gal. O co­mér­cio elec­tró­ni­co é uma das jus­ti­fi­ca­ções da­das por Luís Reis pa­ra o cres­ci­men­to do ne­gó­cio no pri­mei­ro tri­mes­tre, fa­lan­do, ain­da, da Pás­coa (que foi no fi­nal de Mar­ço, con­tri­buin­do pa­ra os três me­ses ini­ci­ais), e do cres­ci­men­to das ven­das do Con­ti­nen­te e da Wor­ten. O vo­lu­me de ne­gó­ci­os da So­nae atin­giu os 1.342 mi­lhões de eu­ros, sen­do 940 mi­lhões no ali­men­tar.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.