TE­A­TRO DE RUA EM SAN­TA MA­RIA DA FEI­RA

SAN­TA MA­RIA DA FEI­RA O Ima­gi­na­rius es­tá de vol­ta ao cen­tro his­tó­ri­co, que re­ce­be mais de 300 ar­tis­tas de 17 paí­ses, e mui­to pú­bli­co, de 24 a 26 de maio. São três di­as pa­ra ver te­a­tro de rua e co­nhe­cer a ci­da­de. O car­ro po­de (e de­ve) fi­car es­ta­ci­o­na­do.

Jornal de Notícias - JN + Evasões - - SUMÁRIO - TEX­TO DE SA­RA DI­AS OLI­VEI­RA FOTOGRAFIAS DE MA­RIA JOÃO GA­LA/GI

Um ro­tei­ro de res­tau­ran­te e ba­res pa­ra quem quer usu­fruir da boé­mia do cen­tro his­tó­ri­co.

OI­ma­gi­na­rius – Fes­ti­val In­ter­na­ci­o­nal de Te­a­tro de Rua de San­ta Ma­ria da Fei­ra es­tá à por­ta e as ru­as do cen­tro his­tó­ri­co ga­nham uma ou­tra vi­da co­mo se o co­ra­ção pal­pi­tas­se de­bai­xo dos pés. Den­tro de di­as, as ja­ne­las da Rua Dr. Ro­ber­to Al­ves (Rua Di­rei­ta) es­ta­rão de­co­ra­das com col­chas tra­ba­lha­das com pon­to de cruz pe­las mãos de cri­an­ças do 1º ci­clo. As ru­as trans­fi­gu­ram-se de 24 a 26 de maio.

Ma­nu­el Plá­ci­do, de 87 anos, do­no da Ca­sa Plá­ci­do, uma lo­ja que ven­de qua­se tu­do – is­quei­ros, cre­mes, de­ter­gen­tes, ba­lan­ças, re­ló­gi­os –, no cen­tro his­tó­ri­co, ha­bi­tu­ou-se ao fes­ti­val, ao in­ten­so mo­vi­men­to, às ru­as pe­ja­das de ar­tis­tas. «Não há dú­vi­da de que o Ima­gi­na­rius tor­nou a terra co­nhe­ci­da. Sou do tem­po em que is­to era a terra de nin­guém e ho­je as pes­so­as já sa­bem on­de fi­ca San­ta Ma­ria da Fei­ra», co­men­ta o co­mer­ci­an­te que é tam­bém pin­tor e fo­tó­gra­fo au­to­di­da­ta.

Nes­te ano, o Ima­gi­na­rius atin­ge a mai­o­ri­da­de. A 18ª edi­ção traz à ci­da­de 37 com­pa­nhi­as, 40 espetáculos, 195 in­ter­ven­ções ar­tís­ti­cas e 17 paí­ses. Plá­ci­do fi­ca con­ten­te com a agi­ta­ção e nem os cons­tran­gi­men­tos nas car­gas e des­car­gas à por­ta do seu es­ta­be­le­ci­men­to co­mer­ci­al o in­co­mo­dam. «Só te­nho de re­go­zi­jar-me com tu­do o que con­tri­bua pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to in­te­lec­tu­al das pes­so­as e pa­ra a pro­je­ção da mi­nha terra.»

As ru­as es­tão pre­pa­ra­das pa­ra en­trar em ebu­li­ção. O cen­tro his­tó­ri­co fei­ren­se, que se tor­nou um es­pa­ço de di­ver­são no­tur­na com de­ze­nas de ba­res e res­tau­ran­tes, se­rá um pal­co gi­gan­te, a céu aber­to e gra­tui­to. E no ano em que se ce­le­bra o Ano Eu­ro­peu do Pa­tri­mó­nio Cul­tu­ral, o Ima­gi­na­rius te­rá pal­cos in­ti­mis­tas, em har­mo­nia com o pa­tri­mó­nio edi­fi­ca­do. «Pe­la mi­nha par­te, en­can­ta­do com o Ima­gi­na­rius», diz o se­nhor Plá­ci­do. As­sim se­ja.

O CEN­TRO HIS­TÓ­RI­CO DE SAN­TA MA­RIA DA FEI­RA ES­TÁ VI­RA­DO PA­RA A VI­DA BOÉ­MIA, COM MUI­TOS RES­TAU­RAN­TES E BA­RES.

COMER CER­VE­JA­RIA CEN­TRAL

É a pri­mei­ra aven­tu­ra na res­tau­ra­ção de Mi­guel Tei­xei­ra, de­sig­ner grá­fi­co, e Nél­son Cos­ta, en­ge­nhei­ro ci­vil, e abriu na se­gun­da-fei­ra pas­sa­da, no Ros­sio. No lon­go bal­cão de ma­dei­ra, ser­vem-se fran­ce­si­nhas à mo­da do Porto, pi­ca-pau de por­co pre­to, ce­bo­la fri­ta aber­ta em flor com mo­lho de ai­o­li, pre­gos no pão, bi­fes no pra­to, além de tá­bu­as de en­chi­dos e quei­jos com no­zes e uvas. «É uma cer­ve­ja­ria com um am­bi­en­te mui­to des­con­traí­do», re­su­me Mi­guel Tei­xei­ra. A ca­sa é em­bai­xa­do­ra da cer­ve­ja Bohe­mia, ser­vi­da à pres­são, e tem tam­bém vi­nhos, cock­tails e jar­ros de 1,5 li­tros de mo­ji­to e cai­pi­ri­nha. A de­co­ra­ção é re­tro e a lo­ca­li­za­ção foi es­co­lhi­da a de­do. No co­ra­ção da ci­da­de.

Lar­go de Camões Tel.: 256040920 Web: Facebook.com/cer­ve­ja­ri­a­cen­tral18 Das 12h00 às 15h00 e das 19h00 às 23h30. Sex­ta e sá­ba­do das 12h00 às 02h00. En­cer­ra ao do­min­go. Pre­ço mé­dio: 11 eu­ros

PRA­CE­TA

To­dos os anos, Mi­guel Ber­nar­des le­va os dez fun­ci­o­ná­ri­os a vi­a­jar. Flo­ren­ça, Ro­ma, Ber­lim e Ma­drid fo­ram os des­ti­nos do ano pas­sa­do. Lon­dres, Bru­xe­las, Re­pú­bli­ca Che­ca e Áus­tria es­tão na lis­ta pa­ra 2018. E a co­zi­nha do Pra­ce­ta, res­tau­ran­te no cen­tro his­tó­ri­co que faz lem­brar um pá­tio de in­fân­cia, re­fle­te es­sas vi­a­gens em equi­pa. De lá sa­em pi­zas e pas­tas de Itá­lia, cos­te­le­tão com flor de sal, fei­jão-ver­de, azei­te e ale­crim, ins­pi­ra­do num pra­to de Ber­lim, ca­ma­rão ti­gre no for­no, dei­ta­do em pão da avó, in­fluên­cia de Flo­ren­ça. «É a co­zi­nha das bo­as me­mó­ri­as que tra­ze­mos das vi­a­gens.» E não só. Há tam­bém me­mó­ri­as de cri­an­ça: a alhei­ra de ca­ça à mo­da da avó e o tin­to que chei­ra a vi­nho do­ce. A co­zi­nha é to­tal­men­te aber­ta e tem for­no a le­nha. Nas so­bre­me­sas, so­bres­sai um sa­pa­to de Cin­de­re­la de cho­co­la­te com ma­ra­cu­já e fru­tos sil­ves­tres. Ex­pe­ri­ên­ci­as e re­cor­da­ções em vá­ri­os pra­tos co­zi­nha­dos e ser­vi­dos por gen­te que an­da pe­lo mun­do.

Rua das Fo­ga­cei­ras, 15 Tel.: 256305245 Web: pra­ce­ta.pt Das 12h00 às 15h00 e das 19h00 às 23h00. En­cer­ra à se­gun­da. Pre­ço mé­dio: 25 eu­ros

AQUA­RE­LA

Nes­te pro­je­to de San­ti­a­go e Bi­an­ca, com­bi­nam-se sa­bo­res de di­fe­ren­tes ge­o­gra­fi­as. Há pra­tos com car­ne gre­lha­da na bra­sa, pi­ca­nha, pre­sun­to ibérico e quei­jos ar­te­sa­nais. Os pei­xes que che­gam do mar tam­bém sal­tam pa­ra a gre­lha. Co­gu­me­los à Bu­lhão Pa­to, tor­ti­lha à es­pa­nho­la, pol­vo à ga­le­ga e pra­tos ve­ge­ta­ri­a­nos são ou­tras das su­ges­tões. Ao fim de se­ma­na, des­ta­cam-se os me­nus fa­mi­li­a­res de al­mo­ço, com pei­xes ao sá­ba­do e car­nes gre­lha­das ao do­min­go. O sal ro­sa do Pe­ru e o sal negro do Ha­vai são ingredientes usa­dos na co­zi­nha e a mous­se de io­gur­te de so­ja com mo­ran­gos, man­ga e cro­can­te faz par­te dos doces.

Tra­ves­sa do Jor­nal Cor­reio da Fei­ra, 127 Tel.: 256026379 Web: aqua­re­la.com.pt Das 12h00 às 14h30 e das 19h30 às 23h00. Não en­cer­ra. Pre­ço mé­dio: 20 eu­ros

SAIR DOM PETISCO

Ao es­ti­lo de pub ir­lan­dês, o Dom Petisco é um pon­to de en­con­tro de vá­ri­as ge­ra­ções pa­ra um co­po ao fim da tar­de ou pe­la noi­te den­tro. Pas­sou de mão em mão, man­ten­do a iden­ti­da­de na sua ca­sa ama­re­la. Há cin­co anos, Pau­la Almeida e Du­ar­te Pais to­ma­ram con­ta do es­pa­ço. «É um bar ca­fé ou um ca­fé bar», diz Pau­la. Ao fim de se­ma­na ser­ve pe­que­nos-al­mo­ços, vá­ri­os pe­tis­cos e bi­fa­nas. À noi­te, é so­bre­tu­do rock que sai da pe­que­na ca­bi­na do DJ.

Ave­ni­da 25 de Abril, 21 Tel.: 256069741 Das 08h30 às 00h00; sex­ta e sá­ba­do das 13h00 às 04h00; do­min­go das 14h00 às 00h00. Pre­ços: cer­ve­ja (fi­no) a 1,10 eu­ros (1,3 ao fim de se­ma­na)

LUSITANO

Um bar no pri­mei­ro pi­so e uma ta­ber­na no rés-do-chão. Mú­si­ca pop rock em ci­ma, pe­tis­cos em bai­xo. Cock­tails, cer­ve­jas ar­te­sa­nais, gins, no bar. Pi­ca-pau, asi­nhas de fran­go, ovos me­xi­dos, cos­te­li­nhas de anho, chou­ri­ço a ar­der e pre­sun­to na ta­ber­na. O Lusitano é um es­pa­ço pa­ra comer, be­ber e dan­çar.

Rua Elí­sio de Cas­tro, 17 e 19 Tel.: 224901002 facebook.com/lusitano-bar Ta­ber­na das 17h00 às 02h00. Bar das 21h00 às 02h00; sex­ta e sá­ba­do até às 04h00. En­cer­ra à se­gun­da-fei­ra. Pre­ços: cer­ve­ja 1,3 eu­ros, cer­ve­jas ar­te­sa­nais des­de 2,5 eu­ros, be­bi­das bran­cas 4,5 eu­ros. Pre­ço mé­dio na ta­ber­na: 10 eu­ros.

TA­BER­NA 66

A mí­ti­ca Rou­te 66, es­tra­da que atra­ves­sa os Es­ta­dos Uni­dos, é o pon­to de par­ti­da. As ima­gens e os ob­je­tos de­co­ra­ti­vos re­me­tem pa­ra a cul­tu­ra ame­ri­ca­na em que rock'n'roll é rei. Nes­ta ta­ber­na, pen­sa­da por San­dro Silva, ou­ve-se so­bre­tu­do rock dos anos 1960 e 1970 e be­be-se cer­ve­ja, vi­nho e cock­tails. É um bar com por­tas aber­tas pa­ra a rua, on­de mo­ra a Betty Bo­op e on­de se quer que os de­ci­béis não es­tra­guem as con­ver­sas.

Rua Dr. Ro­ber­to Al­ves, 30 Facebook.com/ta­ber­na66 Das 19h00 às 02h00; sex­ta e sá­ba­do até às 04h00; do­min­go das 16h00 às 02h00. En­cer­ra à se­gun­da. Pre­ços: cer­ve­ja 1,3 eu­ros, be­bi­das bran­cas des­de 4 eu­ros, co­po de vi­nho 2 eu­ros

PRA­ÇA VI­VA

É um pub tra­di­ci­o­nal nu­ma ver­são mo­der­na com cock­tails de fru­tos fres­cos e er­vas aro­má­ti­cas. Fi­ca na pra­ça cen­tral e con­ta com ge­ne­ro­sa esplanada. O pop rock dos anos 1980 e a mú­si­ca ao vi­vo à sex­ta-fei­ra fa­zem-se ou­vir nes­te edi­fí­cio que da­ta de 1840. Há gins, vod­kas, rums e whis­keys e tam­bém ser­vi­ço de snacks a qual­quer ho­ra do dia ou da noi­te: sal­mão fu­ma­do, tos­tas de pre­sun­to e quei­jo, pre­go no pão, ham­búr­gue­res e ca­chor­ros.

Pra­ça da Re­pú­bli­ca, 8 Tel.: 965714046 facebook.com/pra­ca­vi­va­bar Das 08h00 às 02h00. Sex­ta e sá­ba­do até às 04h00. Cock­tails en­tre 5 e 9 eu­ros. Fi­nos a 1,3 eu­ros ao fim de se­ma­na.

SIDE WAYS

O te­to es­tá co­ber­to de bi­lhe­tes e car­ta­zes de con­cer­tos, de Ma­don­na a Bauhaus, de Led Zep­plin a Ra­mo­nes. Uma das pa­re­des tem ca­pas de dis­cos. A mú­si­ca na­ve­ga pe­lo o pop, o rock e a mú­si­ca al­ter­na­ti­va. As be­bi­das são de ga­ma mé­dia e al­ta com uma va­ri­a­da ofer­ta de gins. De dia, é ca­fé com esplanada pa­ra a pra­ça e à noi­te é bar pa­ra dan­çar.

Lar­go Dr. Gas­par Mo­rei­ra, 15 Tel: 916291212 Web: facebook.com/si­deway­si­rish­pub Das 09h00 às 02h00. Sex­ta e sá­ba­do até às 04h00. Do­min­go das 14h00 às 02h00. Não en­cer­ra. Pre­ços: cer­ve­ja 1,5 eu­ros, gins e be­bi­das bran­cas des­de 5 eu­ros

VI­SI­TAR UM CASTELO MEDIEVAL E UM MER­CA­DO DESENHADO POR TÁVORA

É no al­to da ci­da­de que mo­ra o ex-lí­bris des­te ter­ri­tó­rio com his­tó­ria. O Castelo de San­ta Ma­ria da Fei­ra é um dos mais be­los exem­pla­res da ar­qui­te­tu­ra mi­li­tar medieval do país e che­gou a ter o pa­la­ce­te dos con­des da Fei­ra den­tro das mu­ra­lhas. Ho­je, res­tam ape­nas al­gu­mas ruí­nas des­se edi­fí­cio do sé­cu­lo XVII, mas o mo­nu­men­to pre­ser­va a pra­ça de ar­mas, dois sa­lões, qua­tro torres e uma ca­pe­la. No cen­tro his­tó­ri­co es­tá o mer­ca­do mu­ni­ci­pal desenhado pe­lo ar­qui­te­to Fer­nan­do Távora, uma obra que se ini­ci­ou em 1953 e ter­mi­nou seis anos de­pois. E tem de­do de ou­tro ar­qui­te­to: os apon­ta­men­tos de mo­sai­cos no chão são de Si­za Vi­ei­ra. Es­te mo­nu­men­to de in­te­res­se pú­bli­co tem mais vi­da além da ven­da de le­gu­mes e fru­tas. Tam­bém re­ce­be ati­vi­da­des cul­tu­rais e o Ima­gi­na­rius vai apre­sen­tar ali '140 Mil Me­mó­ri­as', ins­ta­la­ção cons­truí­da em tor­no das re­cor­da­ções de vá­ri­as ge­ra­ções de San­ta Ma­ria da Fei­ra (con­ce­lho com 140 mil ha­bi­tan­tes, daí o nú­me­ro). Du­ran­te três me­ses, re­co­lhe­ram-se his­tó­ri­as, ob­je­tos, ima­gens e sons pa­ra es­te tra­ba­lho fei­to de ví­de­os e fotografias.

Castelo de San­ta Ma­ria da Fei­ra Tel.: 256372248. Das 09h30 às 12h30; sá­ba­dos e do­min­gos das 10h00 às 12h30 e das 13h30 às 18h30. En­cer­ra à se­gun­da. Pre­ço: 3 eu­ros (adul­tos); 1 eu­ro (6 aos 15 anos), 1,5 eu­ros (>65 anos).

FI­CAR FEI­RA HOS­TEL & SUITES

Os quar­tos são lu­mi­no­sos e ins­pi­ram-se em mo­nu­men­tos fei­ren­ses. No pi­so su­pe­ri­or en­con­tra-se a ca­ma­ra­ta mis­ta com 14 ca­mas em be­li­ches. Há ain­da um ter­ra­ço de on­de se vê o castelo, a igre­ja e o con­ven­to. Car­la Mar­ques trans­for­mou o an­ti­go edi­fí­cio, ou­tro­ra ar­ma­zém de ar­mas da re­sis­tên­cia na al­tu­ra das In­va­sões Fran­ce­sas, num hos­tel e res­tau­ran­te (no rés-do-chão). Nas tra­sei­ras, há esplanada e uma hor­ta bi­o­ló­gi­ca.

Rua Dr. Elí­sio de Cas­tro, nº 22 Tel.: 256318004 Web: facebook.com/pg/fei­rahos­tel­sui­tes Quar­to pa­ra du­as pes­so­as a par­tir de 50 eu­ros (59 eu­ros ao fim de se­ma­na). Ca­ma em dor­mi­tó­rio 16 eu­ros. Pe­que­no-al­mo­ço in­cluí­do. Pre­ço mé­dio do res­tau­ran­te: 15 eu­ros

HOS­TEL DA PRA­ÇA

Re­za a his­tó­ria que al­gu­mas pe­dras do edi­fí­cio fo­ram so­bras da cons­tru­ção do Castelo da Fei­ra. Vá­ri­os sé­cu­los de­pois, há um ano, sur­giu ali um hos­tel e um bar com es­pla­na­das à por­ta e nas tra­sei­ras. Rui Ca­va­co per­ce­beu que o cen­tro his­tó­ri­co pre­ci­sa­va de um hos­tel, e por is­so res­tau­rou o pré­dio do sé­cu­lo XIX e deu-lhe um no­vo ar com 13 quar­tos, se­te par­ti­lha­dos com oi­to ca­mas, seis suí­tes com ca­mas ex­tra, três com kit­che­net­te, num to­tal de 83 ca­mas com no­mes de pra­ças de vá­ri­as partes do mun­do. Nes­te ano, o hos­tel é o pon­to de en­con­tro dos pro­fis­si­o­nais do Ima­gi­na­rius.

Pra­ça da Re­pú­bli­ca, 6 Tel.: 256338186 Web: facebook.com/hos­tel­da­pra­ca Pre­ços: quar­to du­plo a par­tir de 37,5 eu­ros; ca­ma em ca­ma­ra­ta a par­tir de 13 (sem pe­que­no-al­mo­ço; mais 2,5 eu­ros por pe­que­no-al­mo­ço).

No Bar Pra­ça Vi­va (à es­quer­da) ou­ve-se pop rock dos anos 1980 e às sex­tas-fei­ras há mú­si­ca ao vi­vo.

A Cer­ve­ja­ria Cen­tral (à es­quer­da) ser­ve fran­ce­si­nhas, pi­ca-pau de por­co pre­to, pre­gos no pão e no pra­to e tá­bu­as de quei­jos e en­chi­dos.

O res­tau­ran­te Pra­ce­ta (em ci­ma) é um dos ade­ren­tes do fes­ti­val, apre­sen­tan­do um me­nu Ima­gi­na­rius.

www.eva­so­es.pt

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.