TAPETES ARTESANAIS NO POR­TO

O pro­je­to GUR, de tapetes fei­tos em te­ar ma­nu­al a par­tir de de­se­nhos de ar­tis­tas, di­vi­de ca­sa com a ga­le­ria Se­nho­ra Pre­si­den­ta e con­vi­da to­da a gen­te a en­trar. Os cães tam­bém são bem-vin­dos.

Jornal de Notícias - JN + Evasões - - SUMÁRIO - TEX­TO DE CARINA FONSECA FO­TO­GRA­FIA DE PE­DRO GRANADEIRO/GLO­BAL IMA­GENS

A GUR, nova lo­ja no Bon­fim, ven­de tapetes de au­tor e al­ber­ga tam­bém a ga­le­ria de ar­te Se­nho­ra Pre­si­den­ta.

Éu­ma lo­ja-ga­le­ria que al­ber­ga dois pro­je­tos: o GUR e a ga­le­ria Se­nho­ra Pre­si­den­ta. Nes­ta ca­sa par­ti­lha­da, aber­ta ao pú­bli­co des­de o pas­sa­do dia 15, e com ate­liê in­cor­po­ra­do, to­dos são bem-vin­dos, in­cluin­do os ani­mais de es­ti­ma­ção. O cão Xu­xo acom­pa­nha a de­sig­ner Cé­lia Es­te­ves, res­pon­sá­vel pe­lo GUR – rug (ta­pe­te, em in­glês, ao con­trá­rio), por­que é de tapetes que tra­ta. São fei­tos em te­ar ma­nu­al, com ba­se em de­se­nhos de ilus­tra­do­res e ar­tis­tas con­vi­da­dos.

Tu­do co­me­çou com a par­ti­ci­pa­ção de Cé­lia nu­ma ex­po­si­ção co­le­ti­va que fa­zia a pon­te en­tre ar­te-

sãos e jo­vens de­sig­ners, na sua ci­da­de de ori­gem, Vi­a­na do Cas­te­lo, o que a le­vou a cri­ar um ta­pe­te com a te­ce­dei­ra Cláu­dia Vi­las Bo­as. Fi­cou tão en­tu­si­as­ma­da com es­sa co­la­bo­ra­ção, que de­ci­diu con­ti­nu­ar – até ho­je. «O que me atraiu foi pe­gar num ob­je­to tão co­mum, o ta­pe­te de tra­pos, e trans­for­má-lo nu­ma coi­sa

mais di­ver­ti-

da, con­cep­tu­al e com de­sign», con­ta. Is­to sem per­der de vis­ta a re­cu­pe­ra­ção da téc­ni­ca e a ques­tão da pro­du­ção ma­nu­al.

Os pre­ço dos tapetes GUR co­me­ça nos 90 eu­ros, po­den­do atin­gir os dois mil, con­so­an­te o for­ma­to e os ma­te­ri­ais usa­dos: al­go­dão, al­go­dão e li­nho ou lã. Na co­le­ção mais re­cen­te, que es­tá na lo­ja-ga­le­ria, Cé­lia tra­ba­lhou pe­la pri­mei­ra vez com lã e com os Tapetes de Bei­riz, da Pó­voa de Var­zim. Os ar­tis­tas que co­la­bo­ram são Ni­co­las Bur­rows e Wil­li­am Luz, do co­le­ti­vo Nous Vous, de In­gla­ter­ra, os mes­mos que as­si­nam a ex­po­si­ção Abs­tract Waf­fle, es­sa da responsabilidade da Se­nho­ra Pre­si­den­ta, um pro­je­to de três ami­gos que es­tu­da­ram na Fa­cul­da­de de Be­las-ar­tes do Por­to: Dy­lan Sil­va, Ma­ri­a­na Ma­lhão e Luís Ce­pa.

O no­me da ga­le­ria vem do tem­po em que Dy­lan e Ma­ri­a­na par­ti­lha­vam ate­liê no Bo­lhão e, por pi­a­da, in­ven­ta­vam his­tó­ri­as pa­ra as gai­vo­tas que de lá avis­ta­vam. A Se­nho­ra Pre­si­den­ta se­ria, pois, uma gai­vo­ta de ar al­ti­vo, pou­co con­di­zen­te com es­te lu­gar lu­mi­no­so e des­con­traí­do, que, além de ser mon­tra de pu­bli­ca­ções in­de­pen­den­tes, ilus­tra­ção, ce­râ­mi­ca, fo­to­gra­fia e ou­tras pe­ças de au­tor, com pre­ços que co­me­çam em dois eu­ros (pos­tais), foi pen­sa­do pa­ra aco­lher workshops, ses­sões de ci­ne­ma e de­mais eventos. Os no­vos vo­os es­tão só a co­me­çar. l

A de­sig­ner Cé­lia Es­te­ves as­si­na os tapetes GUR. Dy­lan Sil­va é um dos res­pon­sá­veis pe­la Se­nho­ra Pre­si­den­ta.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.