Ge­rir, pen­sar, co­mu­ni­car

Jornal de Notícias - JN + Noticias Magazine - - Professores Com Deficiência -

Ge­rir o co­nhe­ci­men­to, sa­ber pen­sar, sa­ber co­mu­ni­car. Três com­pe­tên­ci­as que Ma­ria Amé­lia con­si­de­ra cru­ci­ais num cur­so de Me­di­ci­na. “Sa­ber co­mu­ni­car é sa­ber es­cu­tar os do­en­tes, sa­ber fa­zer a en­tre­vis­ta clí­ni­ca, é en­ten­der por que os do­en­tes nos con­tam a sua his­tó­ria. Con­tam-nos, mui­tas ve­zes, aqui­lo que com exa­mes não con­se­gui­mos ob­ter.” Trans­for­mar alu­nos do primeiro ano em pro­fis­si­o­nais ca­pa­zes de cui­dar é um dos seus ob­je­ti­vos. As­su­miu a re­for­ma cur­ri­cu­lar do en­si­no mé­di­co da fa­cul­da­de. “Ao fim de seis anos, te­mos de ter um pro­fis­si­o­nal, um mes­tre em Me­di­ci­na, que es­te­ja pre­pa­ra­do pa­ra os de­sa­fi­os do fu­tu­ro.” Apre­sen­tou um cur­rí­cu­lo com in­te­gra­ção de ma­té­ri­as que per­mi­tem, no con­jun­to, per­ce­ber os do­en­tes e não só as do­en­ças. Ins­ti­tuiu uma dis­ci­pli­na fa­cul­ta­ti­va de De­sen­vol­vi­men­to Pes­so­al e uma obri­ga­tó­ria de Hu­ma­ni­da­des em Me­di­ci­na. “O nos­so cur­rí­cu­lo tem uma par­ti­cu­la­ri­da­de mui­to gran­de: te­mos um con­jun­to de uni­da­des op­ta­ti­vas que os es­tu­dan­tes po­dem es­co­lher e que po­dem, até cer­to pon­to, ir for­ma­tan­do aqui­lo que vai ser o seu fu­tu­ro pro­fis­si­o­nal. O que tor­na es­te cur­rí­cu­lo mui­to com­ple­xo, mas é is­so que dá um ca­rá­ter dis­tin­ti­vo ao que es­ta­mos a fa­zer. E é es­se o de­sa­fio que me faz man­ter com as emo­ções e com a ener­gia ne­ces­sá­ri­as pa­ra le­var es­te pro­je­to a bom por­to.” Re­can­di­da­tou-se a um se­gun­do man­da­to.

Cri­ou cur­sos de for­ma­ção pe­da­gó­gi­ca pa­ra os do­cen­tes de Me­di­ci­na, um mes­tra­do em Edu­ca­ção Aca­dé­mi­ca e Clí­ni­ca, que jun­ta to­das as uni­da­des or­gâ­ni­cas da Uni­ver­si­da­de do Por­to res­pon­sá­veis pe­lo en­si­no de saú­de. Cri­ou um ser­vi­ço so­ci­al e de me­di­a­ção de con­fli­tos, ino­va­dor nu­ma fa­cul­da­de de me­di­ci­na, que pres­ta apoio a alu­nos, do­cen­tes, in­ves­ti­ga­do­res e não do­cen­tes em áre­as co­mo stress e ges­tão do tem­po. Abriu uma con­sul­ta de apoio psi­co­ló­gi­co que aju­da a li­dar com o fra­cas­so nu­ma área tão com­pe­ti­ti­va. E quer con­ti­nu­ar pa­ra con­cluir um pla­no de tra­ba­lho e pro­je­tar os gran­des de­sa­fi­os da Me­di­ci­na, da apren­di­za­gem, tec­no­ló­gi­ca e hu­ma­na. “Tor­nar sus­ten­tá­vel a trans­for­ma­ção do co­nhe­ci­men­to em va­lor de mer­ca­do. Te­mos de dar con­tas aos con­tri­buin­tes que pa­gam pa­ra que to­dos nós es­te­ja­mos cá.” Ou se­ja, na fa­cul­da­de que é uma re­fe­rên­cia na­ci­o­nal e in­ter­na­ci­o­nal na for­ma­ção de mé­di­cos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.