Ou­to­no VI­BRAN­TE

Cui­da­dos de pe­le hi­pe­rac­ti­vos e pro­du­tos ne­o­bo­tâ­ni­cos ul­tra­es­pe­cí­fi­cos, ma­qui­lha­gem cho­can­te e co­res cri­a­ti­vas, pen­te­a­dos de Al­ta-cos­tu­ra, co­lo­ra­ções sau­dá­veis e re­cei­tas ve­gan… As no­vas re­gras do Ou­to­no são um ape­lo à li­ber­da­de. Um re­su­mo de tu­do aqui­lo

Máxima - - Beleza - Por Ch­ris­tel­le Bail­let e Ma­ri­on Louis*. Fo­to­gra­fia de Flo­ri­an Som­met

MA­QUI­LHA­GEM

“A ma­qui­lha­gem não tem, obri­ga­to­ri­a­men­te, de ser per­fei­ta. Ado­ro as pe­les na­tu­rais, trans­pa­ren­tes. Não é pre­ci­so ter me­do de um pou­co de bri­lho, ex­cep­to no na­riz e nas mar­cas de ex­pres­são do sor­ri­so. Mas se qui­ser­mos uma bo­ca bo­ni­ta e so­fis­ti­ca­da, o ma­te é in­con­tor­ná­vel.” Tom Pe­cheux, di­rec­tor in­ter­na­ci­o­nal de be­le­za da Yves Saint Lau­rent Be­au­té.

AU­LA DE BLUSH

Achá­mos que o ex­ces­so de blush ti­nha mor­ri­do em 2015, mas ei-lo de vol­ta, mais ele­va­do no ros­to e sem­pre mais for­te. Mis­tu­ra­do com um ilu­mi­na­dor, ini­cia-se a apli­ca­ção des­de os ma­xi­la­res até às têm­po­ras. Ex­pe­ri­men­te usar um pin­cel gros­so e far­fa­lhu­do e o Two-to­ne Blush, da Gu­er­lain, um ro­sa co­ra­do ul­tra­fres­co que tam­bém fun­ci­o­na co­mo ilu­mi­na­dor e dá vi­da à pe­le. Efei­to lif­ting ga­ran­ti­do.

A. Two-to­ne Blush, €49,90, e pin­cel Mé­te­o­ri­tes, €41,50, Gu­er­lain

OS BA­TONS QUE FA­ZEM BEM

Pre­ci­sa­mos de to­do um con­jun­to pa­ra ter os lá­bi­os sem­pre im­pe­cá­veis. Co­me­çan­do pe­lo in­te­ri­or do cor­po, a hidratação é fun­da­men­tal pa­ra que es­sa área do ros­to es­te­ja sem­pre bem hi­dra­ta­da e, por is­so, não se es­que­ça de be­ber mui­ta água. Um con­se­lho: evi­te hu­me­de­cer os lá­bi­os com a lín­gua, uma vez que es­te há­bi­to ape­nas ser­ve pa­ra se­cá-los. Fa­ça uma es­fo­li­a­ção oca­si­o­nal com um pro­du­to es­pe­cí­fi­co pa­ra es­sa zo­na, mas ca­so não te­nha um es­fo­li­an­te à mão, re­cor­ra a um tru­que ca­sei­ro que é mis­tu­rar um pou­co de açú­car e mel até ob­ter uma pas­ta bem sa­tu­ra­da. Apli­que-a nos lá­bi­os su­a­ve­men­te e em cír­cu­los, e uma só vez. O pas­so se­guin­te é o tru­que de to­dos os ma­qui­lha­do­res pro­fis­si­o­nais que con­sis­te em apli­car um bál­sa­mo hi­dra­tan­te e, de­pois, adicionar um to­que de cor. Os no­vos Phy­to Rou­ge, da Sis­ley, ma­qui­lham e cui­dam dos lá­bi­os e es­tão dis­po­ní­veis em 20 tons chei­os de es­ti­lo. Se es­ti­ver dis­pos­ta a acres­cen­tar um no­vo pas­so, ga­ran­ti­mos que va­le­rá a pe­na. A But­ter­mask for Lips, da Ki­ehl’s, é um no­vo tra­ta­men­to noc­tur­no hi­dra­tan­te e nu­tri­ti­vo que per­mi­te re­pa­rar os lá­bi­os se­cos e gre­ta­dos, noi­te após noi­te. Com óleo pu­ro de co­co, pro­ve­ni­en­te do co­mér­cio jus­to, e man­tei­ga de man­ga sel­va­gem, hi­dra­ta in­ten­sa­men­te os lá­bi­os de for­ma a fi­ca­rem su­a­ves e ma­ci­os na ma­nhã se­guin­te.

B. Phy­to Rou­ge, Sis­ley

C. But­ter­mask for Lips, €23,50, Ki­ehl’s

OU­TO­NO MA­TE

Lu­cia Pi­ca, de­sig­ner cri­a­ti­va da ma­qui­lha­gem Cha­nel, ado­ra as mu­lhe­res “ma­te” que ela ima­gi­na co­mo se­gu­ras de si pró­pri­as, ele­gan­tes e in­te­lec­tu­ais, mas tam­bém te­me­rá­ri­as. Es­te Ou­to­no, ela re­sol­veu ele­var bem al­to

a fas­quia da cor. Os seus tons de elei­ção são o ti­jo­lo, o azul-eléc­tri­co e o cor de la­ran­ja aver­me­lha­do, en­tre ou­tros. Na vi­da re­al, on­de a luz na­tu­ral é, por ve­zes, in­cle­men­te, de­ve­mos ma­ti­fi­car du­as zo­nas do ros­to – não mais. Lu­cia su­ge­re com­bi­nar uma bo­ca e um olhar ul­tra­ma­te com uma pe­le lu­mi­no­sa, nun­ca co­ber­ta de pó. Tom Pe­cheux tam­bém op­tou por es­sa tex­tu­ra ul­tra­lu­xu­ri­an­te pa­ra de­sen­vol­ver a sua pri­mei­ra ga­ma de ba­tons, Rou­ge Pur Cou­tu­re The Slim, um no­vo “guar­da-rou­pa” pa­ra os lá­bi­os que tem um aca­ba­men­to cou­tu­re ma­te ul­tra­con­for­tá­vel. No ros­to, to­das as pe­les ole­o­sas irão ado­rar um aca­ba­men­to sem bri­lho, a com­ple­men­tar com um cor­rec­tor de lon­ga du­ra­ção.

D. Rou­ge Al­lu­re Ink no tom 172 Ex­pres­si­on, Cha­nel

E. Rou­ge Pur Cou­tu­re The Slim, €38,50, Yves Saint Lau­rent F. Stu­dio 24H Smo­oth We­ar Con­ce­a­ler, €20,50, M.A.C

G. Po­re Ex­press, pri­mer ma­ti­fi­can­te dis­si­mu­la­dor de po­ros, Fi­lor­ga

CUI­DA­DOS

“Com a mo­da das selfies e da ma­qui­lha­gem na­tu­ral, as mu­lhe­res que­rem, ca­da vez mais, uma pe­le per­fei­ta, lim­pa, fres­ca e sem de­fei­tos. Qual a sua mai­or pre­o­cu­pa­ção, de­pois das ru­gas? Os po­ros.” Ma­rie-hélè­ne Lair, di­rec­to­ra da co­mu­ni­ca­ção ci­en­tí­fi­ca da Cla­rins

LIM­PE­ZA DUPLA

“Con­ten­tar-se com uma só eta­pa des­ma­qui­lhan­te? É co­mo to­mar du­che to­da ves­ti­da”, anun­cia a pa­pi­sa ame­ri­ca­na do “gre­en”, Ta­ta Har­per. A ideia é re­mo­ver a ma­qui­lha­gem com pro­du­tos à ba­se de óleo e de­pois lim­par to­das as im­pu­re­zas acu­mu­la­das du­ran­te o dia com um gel, um cre­me ou uma mous­se. As asiá­ti­cas se­guem es­ta ro­ti­na há imen­so tem­po. Ali­cia M. Schwei­ger, fun­da­do­ra da ga­ma de sé­runs Elix­se­ri, acres­cen­ta: “Os óle­os mi­ne­rais, os si­li­co­nes e ou­tros ele­men­tos pre­sen­tes nas fór­mu­las dos pro­du­tos de ma­qui­lha­gem são o equi­va­len­te a um ham­búr­guer do Mc­do­nald’s pa­ra a pe­le.” Por is­so, é ne­ces­sá­rio fa­zer uma ope­ra­ção em du­as eta­pas, de pre­fe­rên­cia com fór­mu­las que se en­xa­gúem com água, co­mo o Re­freshing Cle­an­ser (€85), de Ta­ta Har­per, em www.net-a-por­ter.com, se­gui­do por um tó­ni­co. Pa­ra ter­mi­nar, en­quan­to as cé­lu­las da pe­le es­tão re­cep­ti­vas, apli­que um dos sé­runs Elix­se­ri, cu­jos in­gre­di­en­tes hi­pe­rac­ti­vos in­clu­em cé­lu­las-tron­co ve­ge­tais, água dos Al­pes e pro­bió­ti­cos.

INFUSÃO DE CI­ÊN­CIA

Com o sur­to da cos­mé­ti­ca eco­ló­gi­ca, as re­cei­tas do pas­sa­do tor­na­ram-se… re­cei­tas. No en­tan­to, em 2018, a ne­o­bo­tâ­ni­ca con­vi­dou os in­ves­ti­ga­do­res a saí­rem dos la­bo­ra­tó­ri­os pa­ra as flo­res­tas e jar­dins. Os fras­cos e as eti­que­tas são ré­tro, mas as fór­mu­las não.

UMA FLO­RES­TA DE BEM-ES­TAR. Ou­tras es­tre­las do mo­men­to: as ár­vo­res. De­pois do tra­ba­lho que de­sen­vol­veu pa­ra a Cau­da­lie e pa­ra a Ro­ger & Gal­let, Pau­li­ne Bony cri­ou o seu pró­prio com­ple­xo pa­ten­te­a­do à ba­se de sei­va de bé­tu­la fres­ca e de co­gu­me­lo cha­ga bi­o­ló­gi­co, o co­gu­me­lo da imor­ta­li­da­de. A sua jo­vem mar­ca, a Saè­ve, tem 42 pro­du­tos à ven­da nas far­má­ci­as (H) (ain­da só es­tá dis­po­ní­vel em Fran­ça), to­dos eles sim­ples, agra­dá­veis, sen­so­ri­ais e aces­sí­veis no pre­ço pa­ra en­fren­tar to­das as agres­sões da vi­da mo­der­na.

À PRO­VA DE SELFIES

No âm­bi­to da sua sé­rie #ba­lan­ce­ton­po­re, a Cla­rins lan­ça o Po­re Con­trol, um sé­rum que ac­tua so­bre a di­la­ta­ção dos po­ros em pro­fun­di­da­de. Ali­sa a pe­le, ma­ti­fi­ca-a e pro­te­ge-a da po­lui­ção, co­nhe­ci­da por ac­ti­var a pro­du­ção de se­bo. As mil­len­ni­als vão ado­rá-lo. Pa­ra os pro­ble­mas mais sé­ri­os de fal­ta de lu­mi­no­si­da­de e de im­per­fei­ções, há ain­da sé­runs e con­cen­tra­dos es­pe­cí­fi­cos pa­ra cor­ri­gir glo­bal­men­te as mar­cas no ros­to e equi­li­brar a pe­le que são ade­qua­dos pa­ra to­das as ida­des.

I. Po­re Con­trol, Cla­rins

J. Se­bi­a­cle­ar Se­rum, €24,50, SVR

L. Sé­bo­lo­gie Dou­ble Con­cen­tré Re­sur­fa­çant, €44,50, Li­e­rac

CA­BE­LOS

“Mui­ta per­so­na­li­da­de, uma iden­ti­da­de for­te! É mui­to sim­ples: a mo­da ca­pi­lar des­te Ou­to­no/in­ver­no é com­pos­ta por lo­oks for­tes. Os meus pre­fe­ri­dos: ca­be­lo com efei­to su­per­vo­lu­mo­so, grun­ge, rock, sem es­que­cer os ca­be­los com­pri­dos pre­sos num ra­bo-de-ca­va­lo.” Gui­do Pa­lau, hair sty­list in­con­tor­ná­vel das Se­ma­nas da Mo­da.

STY­LING EXTREMO

Os ca­be­los li­vres ou sem vo­lu­me es­tão ul­tra­pas­sa­dos. Nes­ta ren­trée, três lo­oks ca­pi­la­res es­ta­be­le­cem o tom: Ca­be­lo pe­lo quei­xo, mui­to po­pu­lar no meio da mo­da; O vo­lu­me le­va­do ao extremo, tal co­mo apre­sen­ta­do por Kaia Ger­ber, no des­fi­le de Va­len­ti­no, e a adop­tar nu­ma ver­são me­nos in­su­fla­da, é cla­ro; O ra­bo-de-ca­va­lo bon­da­ge do des­fi­le de Al­ta-cos­tu­ra de Ch­ris­ti­an Di­or, má­gi­co pa­ra um au­men­to ins­tan­tâ­neo do ní­vel de ele­gân­cia.

COLORAÇÃO VIP

No­tí­cia de úl­ti­ma ho­ra: Ch­ris­tophe Ro­bin, o “deus da coloração” in­ter­na­ci­o­nal, lan­çou uma pe­que­na ga­ma de coloração ca­sei­ra com qua­tro co­res uni­ver­sais con­ce­bi­das pa­ra não al­te­rar a fi­bra ca­pi­lar, gra­ças a um mí­ni­mo de 92 por cen­to de in­gre­di­en­tes na­tu­rais. Mas, até che­gar a Por­tu­gal, a pri­mei­ra coloração ve­gan da L’oréal Pro­fes­si­on­nel, Bo­ta­nea, é uma al­ter­na­ti­va pa­ra qu­em não dis­pen­sa so­lu­ções na­tu­rais. Se es­tá à pro­cu­ra de um es­pa­ço on­de se­ja apli­ca­da uma coloração or­gâ­ni­ca, en­tão o des­ti­no ide­al se­rá o re­cém-aberto sa­lão Ken Cos­ta Hair & Body Stu­dio, na Rua Ale­xan­dre Her­cu­la­no, 39-A. Si­tu­a­do den­tro da Con­cept Sto­re 39A, per­mi­te-lhe des­fru­tar de um chá de er­vas ou de um gin, se as­sim o de­se­jar, du­ran­te o tem­po de po­se da coloração da No­ok (€40).

*com in­for­ma­ção com­ple­men­tar de Ca­ro­li­na Sil­va

A

C

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.