Mús­cu­los à mão de se­me­ar

O se­gre­do pa­ra um cor­po Men’s Health es­tá já ao vi­rar des­ta pá­gi­na. Leia, apren­da e de­pois... co­lo­que tu­do em prá­ti­ca!

Men's Health (Portugal) - - Treino - POR MI­GUEL SAN­TOS

Comecemos por al­gu­mas per­gun­tas. Qual é o seu ob­je­ti­vo em ter­mos de trei­no? Co­mo es­tá a sua for­ma? Quan­do de­se­ja ter re­sul­ta­dos con­cre­tos? Não é fá­cil res­pon­der a es­tas ques­tões, cer­to? A ver­da­de é que se fos­se as­sim tão fá­cil de­fi­nir um pla­no de ação e co­lo­cá-lo em prá­ti­ca, qua­se todos os por­tu­gue­ses te­ri­am a bar­ri­ga de­fi­ni­da, as cos­tas lar­gas e uns om­bros de fa­zer in­ve­ja. Mas vo­cê vai ter. Con­ti­nue a ler...

En­tão, qual é o pro­ble­ma? A fal­ta de ori­en­ta­ção! Quan­do não exis­te um ob­je­ti­vo cla­ro é im­pos­sí­vel re­ti­rar be­ne­fí­cio do seu trei­no. Mas nós es­ta­mos aqui pa­ra so­lu­ci­o­nar is­so.

POR QUE SÃO TÃO IM­POR­TAN­TES OS OB­JE­TI­VOS?

Ca­so o cé­re­bro não en­vi­as­se um im­pul­so pa­ra con­trair os mús­cu­los das per­nas, le­van­tar o jo­e­lho, mo­ver o pé pa­ra a fren­te e es­ten­der no­va­men­te a per­na, jamais con­se­gui­ria co­lo­car um pé à fren­te do ou­tro. As­sim sen­do, ca­da pas­so é um ob­je­ti­vo e, mais im­por­tan­te ain­da, é is­so que de­ter­mi­na o ca­mi­nho con­cre­to que de­ve se­guir. O cé­re­bro tam­bém po­de en­vi­ar im­pul­sos aos mús­cu­los dos de­dos, por exem­plo, mas is­so não aju­da a an­dar. No en­tan­to, todos os ob­je­ti­vos cum­prem ou­tra mis­são mui­to im­por­tan­te: co­lo­car em mar­cha um me­ca­nis­mo po­si­ti­vo.

Os ob­je­ti­vos au­men­tam a con­cen­tra­ção. Sa­be pa­ra on­de vai e is­so obri­ga o cor­po a trabalhar no seu ren­di­men­to to­tal.

A com­bi­na­ção da mo­ti­va­ção e con­cen­tra­ção au­men­ta a pre­dis­po­si­ção pa­ra o es­for­ço e tam­bém pa­ra a per­for­man­ce.

Um mai­or ren­di­men­to tra­duz-se em

me­lho­res re­sul­ta­dos. Aju­da-o a con­quis­tar pe­que­nas me­tas que re­a­li­men­tam o pro­ces­so e o dei­xam mais pró­xi­mo do seu ob­je­ti­vo.

QUAIS SÃO OS OB­JE­TI­VOS MAIS ADEQUADOS?

Es­ta é a per­gun­ta mais im­por­tan­te. A me­lhor fer­ra­men­ta pa­ra con­cre­ti­zar um ob­je­ti­vo de fit­ness é o mé­to­do SMART. As 5 le­tras des­te acró­ni­mo in­glês re­fe­rem-se aos 5 cri­té­ri­os que de­fi­nem um bom ob­je­ti­vo: es­pe­cí­fi­co, men­su­rá­vel, ori­en­ta­do pa­ra a ação, re­a­lis­ta e de­li­mi­ta­do em ter­mos de tem­po.

Per­der 12 kg em 6 me­ses, por exem­plo, é um ob­je­ti­vo es­pe­cí­fi­co (mui­to mais pre­ci­so do que per­der a bar­ri­ga em 2018).

É men­su­rá­vel. Pa­ra con­tro­lar o pro­gres­so, po­de usar a ba­lan­ça, ver-se ao es­pe­lho, me­dir o pe­rí­me­tro da cin­tu­ra ou pe­dir a opinião crí­ti­ca da sua mu­lher ou ami­gos.

Es­tá ori­en­ta­do pa­ra a ação, ou se­ja, pro­vo­ca al­te­ra­ção na ro­ti­na e di­re­ci­o­na-o pa­ra uma sen­sa­ção de bem-es­tar.

É re­a­lis­ta. É al­go pa­ra cum­prir sem ser em so­nhos (ser ca­pa MH em dois di­as).

De­li­mi­ta­do no tem­po. Trei­nar 6 me­ses!

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.