RE­DU­ZA-O

TEM­PO POU­PA­DO Mais de qu­a­tro ho­ras por se­ma­na

Men's Health (Portugal) - - Women’s Health -

Um tra­ba­lha­dor mé­dio gas­ta 52 mi­nu­tos por dia a ir e a vol­tar do tra­ba­lho. Ou cer­ca de no­ve di­as por ano. As des­lo­ca­ções re­pre­sen­tam um tri­plo gol­pe ao ní­vel do des­per­dí­cio: re­du­zem a pro­du­ti­vi­da­de la­bo­ral, pre­ju­di­cam a saú­de e, pas­me-se, des­tro­em as re­la­ções. O es­tu­do an­te­ri­or re­ve­la que as pes­so­as que per­cor­ri­am gran­des dis­tân­ci­as pa­ra ir trabalhar ti­nham 46 por cen­to me­nos pro­ba­bi­li­da­de de dor­mir o tem­po su­fi­ci­en­te e 33 por cen­to de en­trar em de­pres­são.

PLA­NO ANTIDESPERDÍCIOS

Fa­le com o seu pa­trão so­bre a pos­si­bi­li­da­de de trabalhar a par­tir de ca­sa. Três em qu­a­tro em­pre­ga­dos que tra­ba­lham re­mo­ta­men­te, pe­lo me­nos al­gu­mas ve­zes por mês, re­por­ta­ram mai­or pro­du­ti­vi­da­de du­ran­te es­se tem­po fo­ra da em­pre­sa. Cer­ca de me­ta­de sen­tiu-se me­nos stres­sa­do e ou­tra me­ta­de in­di­cou sen­tir mai­or apre­ço e li­ga­ção à em­pre­sa. Não é uma op­ção? Use in­te­li­gen­te­men­te a des­lo­ca­ção pa­ra o tra­ba­lho. Num es­tu­do da Co­lum­bia Bu­si­ness Scho­ol, nos EUA, re­a­li­za­do a 443 vi­a­jan­tes diá­ri­os, aque­les que usa­vam o tem­po de vi­a­gem pa­ra pre­pa­rar o seu dia de tra­ba­lho vi­am au­men­tar a sua satisfação pro­fis­si­o­nal.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.