A ALI­MEN­TA­ÇÃO

Men's Health (Portugal) - - Estilo - por ANA VE­LEZ, nutricionista* nu­tri­me­lho­ra­na­ve­lez@gmail.com nu­tri­ci­o­nis­ta_ ana­ve­lez

Es­te de­sa­fio foi sem dú­vi­da dos me­lho­res que agar­rei até ho­je.

Pe­lo ob­je­ti­vo, pe­la com­ple­xi­da­de e pe­lo Jo­sé ser qu­em é! Co­mo Mi­guel Es­te­ves Car­do­so o des­cre­veu, é “uma pes­soa mui­to gu­lo­sa e mui­to cui­da­do­sa ao mes­mo tem­po. Quer co­mer sau­da­vel­men­te, sem cor­rer quais­quer ris­cos, mas pa­ra­do­xal­men­te não es­tá dis­pos­to a ab­di­car de um úni­co pra­zer da me­sa”. Por­tan­to, ti­ve­mos vá­ri­os ní­veis de in­ter­ven­ção e cor­re­ção ali­men­tar.

O Jo­sé é um ho­mem su­per em­pe­nha­do, fo­ca­do e as­su­miu o de­sa­fio com to­da au­dá­cia e re­si­li­ên­cia. Qu­em já te­ve nes­ta lu­ta, sa­be que não é fá­cil. Co­me­ce­mos pe­lo ob­je­ti­vo: o Jo­sé tem uma ti­po­lo­gia cor­po­ral ec­to­mor­fa e pre­ci­sá­mos de tra­ba­lhar os ga­nhos mus­cu­la­res. Qu­an­do co­me­çá­mos ele já ti­nha um óti­mo ní­vel de trei­no, mas afi­ná­mos a par­te nu­tri­ci­o­nal pa­ra me­lhor po­ten­ci­ar os ga­nhos. Foi fun­da­men­tal re­for­çar o apor­te pro­tei­co, gli­cí­di­co e água ao lon­go do dia. É es­sen­ci­al acon­te­cer de três em três ho­ras de um apor­te pro­tei­co su­fi­ci­en­te e de uma fon­te de al­to va­lor bi­o­ló­gi­co, acom­pa­nha­do de uma fon­te de glí­ci­dos com­ple­xos, bem re­ga­dos com 2-3 L de água ao lon­go do dia. Es­tes fo­ram os pon­tos prin­ci­pais e ini­ci­ais de atu­a­ção. Só de­pois en­tra­mos em por­me­no­res mais fi­nos: re­fei­ção pré e re­cu­pe­ra­ção pós-trei­no, ges­tão to­tal de apor­tes de vi­ta­mi­nas e mi­ne­rais.

Uma das prin­ci­pais pre­o­cu­pa­ções foi ten­tar en­con­trar um equi­lí­brio de­vi­do a al­gu­mas in­to­le­rân­ci­as e sen­si­bi­li­da­des ali­men­ta­res que o Jo­sé tem – ver en­tre­vis­ta. Ti­ve­mos de ajus­tar to­do o pro­gra­ma pa­ra uma di­e­ta com tra­ços da nu­tri­ção fun­ci­o­nal, pa­ra o aju­dar a es­ta­bi­li­zar to­do o sis­te­ma e ge­rir o seu bem es­tar. De­pois de tu­do is­to no “pon­to”, a mai­or lu­ta que ti­ve­mos foi, sem dú­vi­da, a ges­tão de vo­lu­mes ali­men­ta­res. Pre­ci­sá­mos de apli­car al­gu­mas es­tra­té­gi­as pa­ra o aju­dar, por exem­plo usar ba­ti­dos e su­mos com apor­tes com­ple­tos das ma­cros de uma re­fei­ção, por­que não ha­ven­do mas­ti­ga­ção há um atra­so no es­tí­mu­lo da sa­ci­e­da­de, além de que é pos­sí­vel ge­rir o seu apor­te num pe­río­do mais lon­go no tem­po, com me­lhor to­le­rân­cia.

Além de tu­do is­to, hou­ve ou­tro pon­to que tam­bém nos “tro­cou as vol­tas” a to­da a pro­gra­ma­ção fei­ta: vi­a­gens e ges­tão de ro­ti­nas! É im­por­tan­te um com­pro­me­ti­men­to a to­do o pro­ces­so e não per­mi­tir que ha­jam gran­des des­vi­os (que vão acon­te­cer, sem hi­pó­te­se al­gu­ma!); le­var al­guns ele­men­tos sem­pre con­si­go, co­mo suplementos ali­men­ta­res e ali­men­tos secos que per­mi­tam fa­zer re­fei­ções lí­qui­das em qual­quer mo­men­to; e ter uma noção de por­ções e equi­va­lên­ci­as ali­men­ta­res. Aqui a sua ba­se pro­fis­si­o­nal foi óti­ma pa­ra o au­xi­li­ar, che­ga­mos a um pon­to em que lhe fo­ram ape­nas for­ne­ci­das di­re­tri­zes sim­ples (ma­cros, ali­men­tos re­co­men­da­dos e su­as por­ções) e o Jo­sé apli­cou es­tes in­gre­di­en­tes pe­las re­fei­ções ao lon­go do dia das for­mas mais prá­ti­cas, aces­sí­veis e de­li­ci­o­sas que en­con­trou. Fez a sua ma­gia, por­tan­to!

Ou­tro pon­to a so­mar a tu­do is­to: as re­fei­ções as­so­ci­a­das aos ti­mings dos trei­nos. Aqui foi fá­cil! Bas­tou fa­zer uma re­fei­ção ri­ca e com­ple­ta an­tes; au­xi­li­a­mos o tra­ba­lho mus­cu­lar du­ran­te o trei­no com a to­ma de Bcaa’s; e no após foi fun­da­men­tal a in­ges­tão de um hi­dra­tos sim­ples, com a to­ma de cre­a­ti­na. Pas­sa­do pou­co tem­po, vi­nha uma re­fei­ção prin­ci­pal com­ple­ta.

O de­sa­fio fi­nal de to­da es­ta aven­tu­ra foi afi­nar os tra­ços mus­cu­la­res pa­ra o dia da ses­são. Aqui ten­tá­mos ao lon­go da úl­ti­ma se­ma­na re­du­zir a re­ten­ção de lí­qui­dos sub­cu­tâ­nea, sem de­si­dra­tar o cor­po, e nas úl­ti­mas re­fei­ções dar um “pump" mus­cu­lar. E fun­ci­o­nou mui­to bem. A pro­va es­tá à vis­ta!

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.