Gre­ve iné­di­ta mar­ca os dez anos da ASAE

Na­ci­o­nal. Ins­pe­to­res rei­vin­di­cam me­lho­res con­di­ções de tra­ba­lho e re­cla­mam es­ta­tu­to de car­rei­ra pro­fis­si­o­nal

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMEIRA PÁGINA -

A gre­ve e uma con­cen­tra­ção no Por­to, mar­ca­das pe­la As­so­ci­a­ção Sin­di­cal dos Fun­ci­o­ná­ri­os da Au­to­ri­da­de de Se­gu­ran­ça Ali­men­tar e Económica (ASF-ASAE), re­a­li­zam-se por oca­sião das co­me­mo­ra­ções do 10.º ani­ver­sá­rio da ASAE, que se as­si­na­la ho­je.

Se­gun­do o pre­si­den­te da ASF-ASAE, os pro­tes­tos vi­sam ma­ni­fes­tar “a in­dig­na­ção e re­vol­ta” em re­la­ção ao mo­do co­mo a tu­te­la tem “negligenciado a si­tu­a­ção dos ins­pe­to­res da ASAE, ao ne­gar-lhes rei­te­ra­da­men­te um es­ta­tu­to de car­rei­ra pro­fis­si­o­nal”. “Que­re­mos tor­nar pú­bli­co que um or­ga­nis­mo, que tem es­pe­ci­fi­ci­da­des e res­pon­sa­bi­li­da­de tão gran­de pe­ran­te a po­pu­la­ção e o po­vo por­tu­guês, tra­ta tão mal os seus fun­ci­o­ná­ri­os”, adi­an­ta Al­bu­quer­que do Ama­ral, re­al­çan­do que os ins­pe­to­res re­cla­mam um es­ta­tu­to pro­fis­si­o­nal des­de 2006 e que o Go­ver­no an­te­ri­or cri­ou “fal­sas ex­pe­ta­ti­vas”.

O lí­der do sin­di­ca­to afir­ma que a ASAE é o úni­co ór­gão de po­lí­cia cri­mi­nal que não pos­sui um es­ta­tu­to pro­fis­si­o­nal, con­si­de­ran­do o do­cu­men­to “im­por­tan­tís­si­mo pa­ra os ins­pe­to­res”. Is­to por­que, ex­pli­ca, no es­ta­tu­to pro­fis­si­o­nal de­vem es­tar con­tem­pla­dos os pon­tos que re­gu­lam a car­rei­ra de ins­pe­to­res, co­mo os me­ca­nis­mos de en­tra­da pa­ra a ASAE, pro­gres­são na car­rei­ra, se­gu­ro de vi­da, apo­sen­ta­ção, con­cur­sos e ava­li­a­ção.

De acor­do com Al­bu­quer­que do Ama­ral, “um ter­ço dos fun­ci­o­ná­ri­os da ASAE ga­nha €854 e es­tão su­jei­tos a con­di­ções de in­sa­lu­bri­da­de, dis­po­ni­bi­li­da­de per­ma­nen­te, in­com­pa­ti­bi­li­da­des e si­tu­a­ções de ris­co per­ma­nen­tes”. A ASAE tem 230 ins­pe­to­res em fun­ções.

GONÇALO OLI­VEI­RA/CM

Se­gun­do o sin­di­ca­to, es­tá em con­cur­so a ad­mis­são de 22 ins­pe­to­res, mas o pro­ces­so es­tá com pro­ble­mas, exis­tin­do im­pug­na­ções, o que es­tá a im­pos­si­bi­li­tar o iní­cio do cur­so.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.