Mis­tu­ra de três for­mas de ar­te em três tin­tos de edi­ção li­mi­ta­da

Vi­ti­cul­tu­ra. A Quin­ta do Pô­pa apre­sen­ta uma co­le­ção que mis­tu­ra três artes em três tin­tos: es­cri­ta, de­sign e a pro­du­ção de vi­nhos. “Pô­pa Fic­ti­on” é a pri­mei­ra ex­pe­ri­ên­cia mais a sé­rio do pro­je­to Pô­pa Art Pro­jects.

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMEIRA PÁGINA - BRUNO MAR­TINS

Es­cri­ta, de­sign e pro­du­ção de vi­nhos é a pro­pos­ta de a Quin­ta do Pô­pa. “Hot Lips”, “In The Flesh” e “The Gre­at Es­ca­pe” são os no­mes

Di­ze­mos que es­ta é a pri­mei­ra ex­pe­ri­ên­cia mais a sé­rio, por­que há um par de anos, a ca­sa dos ir­mãos Stépha­ne e Va­nes­sa Fer­rei­ra lan­çou, com os ró­tu­los car­to­o­nes­cos da au­to­ria dos de­sig­ners Fin­kus Bripp e MC Bess, o vi­nho “Lo­li­ta & Milf”. “Foi um su­ces­so, mas lan­ça­do qua­se ex­clu­si­va­men­te na Ale­ma­nha”, ex­pli­ca Stépha­ne. Foi o pri­mei­ro mo­te pa­ra as co­le­ções do Pô­pa Art Pro­ject, de­sa­fio que foi ga­nhan­do for­ma à me­di­da que a co­lhei­ta de tin­to de 2012 ia en­ve­lhe­cen­do nas bar­ri­cas no Dou­ro (Ta­bu­a­ço).

Sur­giu en­tão a ideia de as­so­ci­ar uma co­le­ção de vi­nhos ao uni­ver­so “pulp fic­ti­on” – a cha­ma­da, em por­tu­guês, li­te­ra­tu­ra de cor­del, de en­cru­zi­lha­das, amo­res fer­ven­tes, la­dro­a­gem, fa­cas e al­gui­da­res. “En­tre­gá­mos o con­cei­to ao copy­wri­ter Ri­car­do Hen­ri­ques, que tra­tou de de­sen­vol­ver as idei­as e os tex­tos pa­ra ca­da um dos três vi­nhos.”

Três néc­ta­res, três his­tó­ri­as: Ri­car­do, ex­pli­ca ao me­tro que, ao con­trá­rio do que cos­tu­ma fa­zer nas cam­pa­nhas de pu­bli­ci­da­de em que só en­tra em ação no fim da ca­deia, o pro­je­to cres­ceu “do iní­cio pa­ra o fim”. Ri­car­do cri­ou os “guiões” pa­ra os três vi­nhos: “Hot Lips”, “In The Flesh” e “The Gra­pe Es­ca­pe”. Ca­da um de­les tra­ba­lha­do em con­jun­to com o enó­lo­go João Me­ne­zes que tra­tou de apro­fun­dar os pa­la­da­res de acor­do com o pre­ten­di­do pa­ra as tra­mas: um tin­to mais re­don­do, mais gu­lo­so, mais jo­vem, pa­ra be­ber, co­mo diz Va­nes­sa Fer­rei­ra, “sem mo­de­ra­ção” – o “Hot Lips”, pois cla­ro; ou­tro mais clás­si­co “no sen­ti­do da ir­re­ve­rên­cia”, que co­me­ça por pa­re­cer uma coi­sa, mas que aca­ba por se re­ve­lar ou­tra – o “The Gra­pe Es­ca­pe”; e o ter­cei­ro –“In The Flesh” – ao es­ti­lo das gran­des cas­tas do Dou­ro.

Es­te uni­ver­so ga­nhou ain­da mais com a cri­a­ção de um tra­ba­lho vi­su­al de ima­gem pro­vo­ca­do­ra. Já com es­tes con­cei­tos da li­te­ra­tu­ra “pulp fic­ti­on” bem vin­ca­dos, Má­rio Be­lém par­tiu pa­ra o tra­ba­lho de de­sign: dar o la­do vi­su­al às his­tó­ri­as de Ri­car­do Hen­ri­ques e cri­ar os be­lís­si­mos ró­tu­los dos vi­nhos com ilus­tra­ções e de­ta­lhes co­mo cri­a­ti­vas lom­ba­das de li­vros dis­pos­tas nu­ma es­tan­te que ape­lam a sen­ti­dos “non­sen­se” de que o de­sig­ner con­fes­sa ser fã.

As pró­pri­as gar­ra­fas são tam­bém uma pro­vo­ca­ção ao la­do mais con­ser­va­dor que exis­te, e que se cul­ti­va, na cul­tu­ra vi­ní­co­la: um li­tro, à mo­da an­ti­ga e ao es­ti­lo ta­ber­na. “É um mer­ca­do mui­to li­ga­do à tra­di­ção, mas on­de qui­se­mos dei­xar uma mar­ca de ir­re­ve­rên­cia”, diz Va­nes­sa Fer­rei­ra, adi­an­tan­do que já têm mais dois de­sa­fi­os na ca­lha pa­ra os Pô­pa Art Pro­jects: uma co­le­ção com vi­nhos da Bair­ra­da e ou­tra com vi­nhos do Alen­te­jo.

Es­ta é uma edi­ção li­mi­ta­da a 2.550 gar­ra­fas com um va­lor de €29. Os vi­nhos po­dem ser com­pra­dos em fa­ce­bo­ok.com/po­pa­art­pro­jects.

DR

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.