“É ur­gen­te tra­var es­ta pan­de­mia”

Metro Portugal (Lisbon) - - FOCUS - DR. LUÍS GAR­DE­TE COR­REIA PRE­SI­DEN­TE DA APDP – AS­SO­CI­A­ÇÃO PRO­TE­TO­RA DOS DI­A­BÉ­TI­COS DE POR­TU­GAL

A pre­va­lên­cia da di­a­be­tes em Por­tu­gal vol­tou a su­bir em 2014. Os no­vos es­ti­los de vi­da e ali­men­ta­ção es­tão na ori­gem des­ta ten­dên­cia? Os no­vos es­ti­los de vi­da, que em me­nos de 50 anos pas­sa­ram de uma ali­men­ta­ção tra­di­ci­o­nal e uma vi­da fi­si­ca­men­te ati­va pa­ra um se­den­ta­ris­mo cres­cen­te e uma ali­men­ta­ção ri­ca em gor­du­ras e açú­ca­res de ab­sor­ção rá­pi­da, são dos prin­ci­pais mo­ti­vos do au­men­to da pre­va­lên­cia. Mas há ou­tros que im­por­ta re­fe­rir: o en­ve­lhe­ci­men­to da po­pu­la­ção, a epi­de­mia da obe­si­da­de, a si­tu­a­ção de cri­se eco­nó­mi­ca que atra­ves­sá­mos e a fal­ta de me­di­das que pro­mo­vam a pre­ven­ção, o con­tro­lo e o tra­ta­men­to. To­dos os di­as sur­gem 150 no­vos ca­sos de di­a­be­tes em Por­tu­gal. A do­en­ça já afe­ta mais de um mi­lhão de por­tu­gue­ses. A es­tes po­dem vir a jun­tar-se mais de dois mi­lhões de pes­so­as em ris­co de vir a ter di­a­be­tes. É ur­gen­te que to­dos os se­to­res da so­ci­e­da­de ado­tem me­di­das que per­mi­tam tra­var es­ta pan­de­mia. Qua­se me­ta­de dos do­en­tes com di­a­be­tes não sa­be que tem a do­en­ça. Que si­nais te­mos de ter em con­ta? A di­a­be­tes ti­po 2 é uma do­en­ça si­len­ci­o­sa, ou se­ja, po­de le­var mui­tos anos até ser di­ag­nos­ti­ca­da. Se tem fa­to­res de ris­co co­mo ex­ces­so de pe­so ou obe­si­da­de; fa­mi­li­a­res com di­a­be­tes; se te­ve nu­ma gra­vi­dez di­a­be­tes ges­ta­ci­o­nal; se se le­van­ta mais do que o ha­bi­tu­al du­ran­te a noi­te pa­ra uri­nar; se tem in­fe­ções com frequên­cia no­me­a­da­men­te uri­ná­ri­as ou pru­ri­do vul­var; de­ve es­tar em aler­ta pois po­de ter uma di­a­be­tes ti­po 2. De­ve aler­tar o seu mé­di­co. Na di­a­be­tes ti­po 1 os sin­to­mas são mais evi­den­tes e ma­ni­fes­tam-se ge­ral­men­te atra­vés de si­tu­a­ções de mui­to can­sa­ço; mui­ta ve­zes ape­ti­te in­con­tro­lá­vel; se­de cons­tan­te e in­ten­sa; uri­nar com mui­ta frequên­cia; sen­sa­ção de boca se­ca; vi­são tur­va e per­da acen­tu­a­da de pe­so. Aqui o di­ag­nós­ti­co é rá­pi­do, da­do as ma­ni­fes­ta­ções se­rem mui­to mar­ca­das.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.